Fundos Imobiliários
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Fundos Imobiliários: como investir no segundo semestre de 2022

Fundos Imobiliários: como investir no segundo semestre de 2022

Vanessa Araujo

Vanessa Araujo

12 Ago 2022 às 09:24 · Última atualização: 12 Ago 2022 · 9 min leitura

Vanessa Araujo

12 Ago 2022 às 09:24 · 9 min leitura
Última atualização: 12 Ago 2022

paisagem de prédios - fundos imobiliários

Os investimentos em Fundos Imobiliários cresceram 660% nos últimos três anos, segundo a B3 – Bolsa de Valores Brasileira – em seu último estudo trimestral, divulgado em março de 2022.

Segundo o levantamento, a quantidade de CPFs por investidor em FIIs registrou aumento de 24% no período entre abril de 2021 e março de 2022.

O número saltou de 1,3 milhão, para 1,6 milhão de pessoas. O valor em custódia alcançou R$ 133 bilhões, alta de 13%. 

Ainda de acordo com os dados da B3, a maioria dos investidores em Fundos Imobiliários é composta por Pessoa Física, o que representa 74% do volume total.

Acompanhe a leitura para saber como investir em Fundos Imobiliários no segundo semestre.

FIIs: juros altos apontam janela para compra   

Apesar da expectativa do mercado por juros em alta por um bom tempo – momento em que,  tipicamente, os investidores se voltam para a rentabilidade na renda fixa – o ritmo de investimento em FIIs deve continuar ascendente. 

Isso se justifica, pois é nesse momento em que estão se abrindo janelas para a compra de fundos baratos e que continuam pagando bons dividendos. 

É por isso que mesmo com a taxa Selic a 13,75% ao ano e depois de dois anos difíceis para a indústria, é possível encontrar no mercado Fundos Imobiliários baratos, com média de 26% de desconto nas cotas, conforme aponta o estudo realizado por Felipe Paletta, analista de Fundos Imobiliários da Monett e colunista do EuQueroInvestir. 

FIIs baratos para investir em 2022: quais são?

De acordo com Paletta, atualmente, mais de 70% dos Fundos Imobiliários listados na B3 negociam com desconto em relação ao seu valor patrimonial, o P/VP.

No entanto, é preciso entender o contexto dos setores em que os FIIs estão mais descontados, como hotéis, lajes corporativas, hospitais, agências bancárias e shopping centers.

“O ponto comum entre eles é que todos sofreram bastante com a pandemia”, comenta.

O analista também destaca que os descontos desses grupos são superiores a 20%. Mas, nem todos os fundos refletem essa realidade. “Os fundos de papéis (recebíveis) e os fundos de agronegócio negociam com ágil”,  observa. 

Ranking dos Fundos Imobiliários mais descontados em 2022

Gráfico com FIIs mais descontados

Maiores dividendos de FIIs: quem pagou mais nos últimos 12 meses

Felipe Paletta avaliou em junho de 2022 os Fundos Imobiliários maiores pagadores de dividendos nos últimos 12 meses, no recorte por setor. 

O destaque foi para os Fundos de Recebíveis, que pagaram dividendos de 17%, na média. 

“Os três maiores FIIs deste setor estão pagando algo na casa de 17% em dividendos. Se compararmos com o retorno de um produto de renda fixa mais arrojado, e considerando que os dividendos são livres de imposto de renda, estamos diante de um título com uma remuneração de 150% do CDI. Isso já mostra porque os Fundos Imobiliários são excelentes veículos para se investir”, analisa.

Já os Fundos de shopping center, hotéis e hospitais ainda esperam recuperação.

Dividendos de Lajes corporativas  

Já o ranking dos três maiores pagadores de dividendos em Fundos de Lajes Corporativas mostram oportunidades excepcionais a preços descontados. 

Nesse “top 3”, é possível ver os maiores fundos de lajes corporativas que estão pagando DYs na casa de 15%, “o que é um dividendo excepcional”, conforme Paletta. 

“Como o preço dos empreendimentos imobiliários caiu bastante em vários casos, essa é uma particularidade de um número mais seleto de FIIs”, pondera.

Melhores pagamentos de dividendos de 2022: Fundos Imobiliários

Gráfico com FIIs que mais pagaram dividendos nos últimos 12 meses

FIIs recomendados para o segundo semestre de 2022

Com relação aos Fundos Imobiliários recomendados para o segundo semestre, o analista da Monett, comenta sobre dois fundos que devem ficar no radar dos investidores em 2022.

São eles:

HTMX11 – FII Hotel Maxinvest

Principal fundo listado no segmento de Hotéis, que negocia, atualmente, com desconto acima de 30% em relação ao valor patrimonial dos seus ativos, mesmo já vendo a taxa de ocupação de seus hotéis acima do nível pré-pandemia e incentivos tributários em vigor desde março de 2022.

“Esse não é um fundo pagador de dividendos, devido aos prejuízos líquidos acumulados, mas a volta de distribuição ao longo do tempo deve trazer de volta o fluxo de investidores e permitir que vejamos uma forte valorização de suas cotas, sem que vejamos uma alta muito significativa da indústria de FIIs”.

BPFF11 – FII Brasil Plural Absoluto 

Esse é um dos FoFs (fundos de fundos) mais antigos do mercado com excelente histórico de performance dentro da sua estratégia de comprar cotas de outros Fundos Imobiliários. 

“Ele está pagando quase 12% de dividendos anuais e tendo acumulado excelentes ativos em seu portfólio e com suas cotas negociando com desconto de 20% em relação ao valor dos ativos dentro do seu portfólio. Esse é um ótimo FII para ter no portfólio e capturar a retomada ainda maior dos Fundos Imobiliários”,  comenta o analista da Monett.

FIIs: Dica para o investidor fazer boas compras

No geral, Paletta diz que a melhor dica para o investidor que procura boas oportunidades de compra em Fundos Imobiliários é seguir o conselho base para esta classe de ativos. 

“Compre Fundos Imobiliários bem diversificados, com bom histórico de distribuição de dividendos, bons inquilinos, boa equipe de gestão, por um preço razoável”, completa. 

  • Veja o vídeo:

Guia Completo dos Fundos Imobiliários: Como escolher os melhores fundos!

Acesse os materiais gratuitos sobre Fundos Imobiliários da Eu Quero Investir:

Manutenção da Selic em alta: como ficam os Fundos Imobiliários?

O Copom – Comitê de Política Monetária do Banco Central – sinalizou em sua última ata, divulgada em 9 de agosto, que avaliará a necessidade de um ajuste residual de menor magnitude na taxa Selic em sua próxima reunião, que será realizada em setembro. 

Tal movimentação tem como objetivo trazer a inflação ao redor da meta estipulada. No entanto, o comitê explicou que avaliará se mais um ajuste será necessário ou se somente a manutenção da Selic por tempo mais longo no patamar atual (13,75%) será suficiente.

Para Stephan Kautz, economista-chefe da EQI Asset, a Selic deve sofrer ainda uma alta de 0,50 ponto porcentual, alcançado 14,25% – e se mantendo nesse patamar até junho de 2023 -, para garantir o controle da inflação, que já ultrapassa a meta para o próximo ano. 

Gráfico com evolução da taxa Selic

De acordo com Felipe Paletta, embora o momento ainda seja de dúvidas com relação à continuidade dos movimentos de alta da Selic ou de uma possível “virada de mão” na política monetária brasileira, os ativos de risco, como os Fundos Imobiliários e as ações, devem ser observados com atenção. 

“Não tivemos novidades, com a subida da taxa de juros para o patamar de 13,75% a.a.. Podemos ter na próxima reunião uma elevação na casa dos 14%. E, então, devemos ter uma paralisação deste movimento de alta”.

No curto prazo, Paletta avalia que “os Fundos Imobiliários já vem desempenhando melhora este ano, mais do que a bolsa. Esse comportamento deve continuar acontecendo”.

Melhores Fundos Imobiliários com Selic em alta: quais são?

De acordo com Paletta, “os fundos de papel ainda são posições interessantes para ter na carteira. Especialmente, os que têm posição pós-fixada inflação de longo prazo, os que se beneficiam também com queda da taxa de juros futura”.

Já os mais arriscados, segundo o analista, são os fundos high grades. “Eu buscaria um dividend yield um pouco menor, mas com um potencial de correção mais brando, caso seja observada uma queda muito forte de inflação”. 

  • Veja o vídeo:

Entenda o que são os FIIs de papel

Fundos de tijolo: janela de oportunidade

O analista da Monett considera que os Fundos de tijolo continuam sendo “a bola da vez”. “Acredito que vamos ver muito ganho de capital, olhando para os segmentos que sofreram bastante na pandemia, como shopping center, escritórios comerciais e hotéis”.

Vale a pena comprar Fundos Imobiliários com Selic em alta?

Diante do cenário atual, na opinião do analista, quem ainda não tem Fundo Imobiliário na carteira tem bons motivos para se posicionar nesse momento. “Já quem já é investidor, não é hora de sair de uma posição de FIIs e realizar lucro, porque ainda estamos muito longe dos potenciais que se pode capturar”, finaliza.

  • Quer saber mais sobre FIIs? Veja o vídeo: 

Entenda o que são Fundos de Investimentos Imobiliários

  • Quer saber como investir em Fundos Imobiliários no segundo semestre de 2022? Então, preencha este formulário que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias