Ações
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
O que esperar da temporada de balanços?

O que esperar da temporada de balanços?

Osni Alves

Osni Alves

21 Jul 2022 às 18:06 · Última atualização: 21 Jul 2022 · 8 min leitura

Osni Alves

21 Jul 2022 às 18:06 · 8 min leitura
Última atualização: 21 Jul 2022

Imagem mostra um gráfico de ações.

A temporada de balanços do 2TRI22, que começou dia 14 de julho e prossegue até meados de agosto, vai mostrar custos altos e margens apertadas por parte das empresas de capital aberto.

A afirmação é do head da EQI Research, da EQI Investimentos, Luís Fernando Moran de Oliveira, para quem algumas empresas, por capacidade de repasse ou poder de mercado, poderão ter resultados melhores.

“Ainda assim, na média deveremos ver queda de lucros em relação ao último trimestre, bem como, em linhas gerais, receitas crescentes, com as empresas repassando ao menos parcialmente a inflação”, disse.

Inclusive, segundo Moran, que também é sócio da EQI, todas as empresas estão tendo que conviver com a inflação em alta e pressão de custos. Contudo, elencou, algumas estão se saindo melhor no processo, repassando esses custos aos preços de vendas e tendo suporte do crescimento econômico e da reabertura da economia.

Petrobras (PETR3; PETR4) e Vale (VALE3)

De acordo com o especialista, Petrobras (PETR3; PETR4) e Vale (VALE3) – duas das companhias com maior peso dentro do Ibovespa, trabalham com preços internacionais elevados neste trimestre e devem se favorecer disso.

Já do lado dos bancos, ele frisou que a preocupação é com a qualidade de crédito.

“Deveremos ver maior provisionamento para perdas nas carteiras de crédito ao consumidor, mas sem comprometer os resultados gerais”, disse.

Temporada de balanços

Em se tratando de Vale (VALE3), no dia 15 de julho, os assessores de investimentos Kleber Falchetti, analista gráfico, e Alexandre Viotto, head de câmbio, ambos sócios da EQI Investimentos, trataram da mineradora em uma live no YouTube.

De acordo com Falchetti, uma análise gráfica acerca do papel da companhia mostra que possivelmente ela está próxima de atingir o fundo e, se isso se confirmar, tem tudo para começar a trilhar o caminho inverso, ou seja, subir. Ele explica sua tese no vídeo e mostra na prática a trajetória dos candles.

Já Viotto trata da parte fundamentalista e esclarece que a companhia exporta minério de ferro, uma commodity que é cotada na China. “É cotada lá justamente porque o país é o maior comprador de minério de ferro do mundo, e da mineradora brasileira, principalmente”, disse.

Minério de ferro

Em um panorama geral, elencou, o minério de ferro tem caído de preço consistentemente nas últimas semanas.

“Para se ter ideia, a tonelada está cotada abaixo dos US$ 100 e, nesta lógica, se o produto que a Vale vende está perdendo valor, logo, a própria mineradora também perderá valor de mercado. Esse é o fundamento”, destacou.

E disse mais: “A queda do preço do minério de ferro na China está atrelada à política de Covid no país de Xi Jinping, por conta das paralisações. Na prática, significa dizer que quando se descobre algum caso de Covid, o governo local, sob a orientação do governo geral, manda fechar comércio, indústria e serviços, além de manter a população restrita dentro de casa.”

Segundo ele, o minério de ferro está muito suscetível à essa política, e quando o país fecha os estabelecimentos, o consumo também cai, lembrando que o minério de ferro é utilizado na produção de aço que, por sua vez, é consumido pela indústria da construção.

Imagem mostra um celular com gráfico de ações na tela.

Vale reportou resultados prévios em linha, diz BTG

De acordo com o BTG Pactual (BPAC11), conforme relatório ao mercado publicado dia 20 de julho, os dados da prévia operacional da Vale (VALE3) ficaram em linha com as expectativas do banco de investimentos.

Porém, a instituição diz acreditar que os resultados podem decepcionar o mercado. Outro fator foi a redução das projeções da mineradora, que agora prevê uma produção de 310-320 milhões de toneladas de ferro ante uma estimativa anterior de 320-355 milhões de toneladas. Apesar disso, é mantida a recomendação de compra.

Redução de estimativas

Também disse que a redução na projeção poderia desencadear uma redução de estimativas de lucro na faixa de aproximadamente 5%, o que é pequeno, mas contém elementos qualitativos preocupantes.

“Considerando as condições macro já muito difíceis, a Vale continua sendo uma candidata no setor de mineração para os investidores montarem uma posição vendida em relação aos seus principais pares”, diz trecho do relatório.

Já as principais dificuldades parecem ser os mesmos velhos culpados: o desempenho inferior de Carajás, licenciamento, umidade, manutenção mais pesada e a venda de sua divisão do Centro Oeste.

BTG se mantém neutro para Petrobras (PETR3; PETR4)

Em se tratando da Petrobras (PETR3; PETR4), o BTG informou, em relatório divulgado dia 5 de julho, que manteve neutralidade para com a petroleira.

Porém, avalia que a queda do petróleo tipo brent, que nas últimas duas semanas e meia caiu 5%, combinada com a queda de 13% do diesel da Costa do Golfo (referência para a maioria das importações do Brasil), podem ajudar.

Diesel e ações

Já acerca do aumento de 14% no preço do diesel da petroleira, isso empurrou os preços locais para um pequeno desconto de 2% na paridade de importação (IPP), apesar do real cada vez mais fraco.

“Acreditamos que isso abre espaço para um momentum melhor para as ações da Petrobras nas próximas semanas”, disse, à época.

Também acrescentou que há muito que a Petrobras se encontra em uma posição curiosa para um produtor de petróleo. Qualquer fator que reduza o preço do petróleo em reais é positivo para a empresa, permitindo que ela opere livre das pressões políticas que são desencadeadas toda vez que seus lucros e pagamentos de dividendos começam a expandir.

“Assumindo que o fornecimento de diesel no Brasil é seguro desde que os descontos para o IPP não ultrapassem 20-30% (corroborado por dados acumulados), a Petrobras parece ter uma ‘gordura’ antes de ter que aumentar os preços novamente”, frisou.

Temporada de balanços lá fora

Analista de BDR do BTG, Bernardo Carneiro destaca que os resultados dos bancos foram bastante mistos. Ele se refere à safra de balanços de empresas estrangeiras.

Conceitualmente, os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) são certificados que representam ações emitidas por empresas em outros países, mas que são negociados aqui, no pregão da B3.

O investidor que adquire um BDR não compra diretamente as ações da empresa no exterior. Em vez disso, investe em títulos representativos desses papéis. Essas ações existem de fato lá fora, e precisam ficar depositadas e bloqueadas em uma instituição financeira que atua como custodiante – ou seja, que faz a guarda delas.

Bancos estrangeiros e Energia

Em relação aos bancos estrangeiros, Carneiro elenca que todos estão sendo afetados por menores receitas de investment banking.

Olhar para o mercado externo é importante, porque o mercado doméstico costuma replicar alguns comportamentos de empresas de mesmo segmento. No Brasil, por exemplo, o setor financeiro é um dos mais fortes na bolsa brasileira. É a velha máxima: “banco nunca perde”.

Outro segmento que está no radar do investidor, segundo Carneiro, é o de energia. A previsão do mercado é que lucro líquido das empresas de companhias ligadas às commodities deve quase triplicar na média.

Conforme ele, a alta expressiva do preço do barril do petróleo, que mais que dobrou em 12 meses, superando os US$ 100 no segundo trimestre do ano, acabou beneficiando diversas empresas do setor petrolífero.

Do lado negativo

Do lado negativo, devem ir mal na divulgação de balanços companhias do setor de consumo de bens supérfluos, varejo de roupas, bens de lazer, entre outras.

  • Quer saber mais sobre a temporada de balanços? Então preencha este formulário que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para mostrar as aplicações disponíveis!
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias