Mercados
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Resumo da semana teve Powell e inflação recuando no Brasil e nos EUA

Resumo da semana teve Powell e inflação recuando no Brasil e nos EUA

Claudia Zucare

Claudia Zucare

26 Ago 2022 às 15:56 · Última atualização: 26 Ago 2022 · 7 min leitura

Claudia Zucare

26 Ago 2022 às 15:56 · 7 min leitura
Última atualização: 26 Ago 2022

O resumo da semana de 22 a 26 de agosto destaca o simpósio de Jackson Hole, que termina no sábado (27), mas teve nesta sexta (26), seu dia mais relevante, com discurso de Jerome Powell, que derrubou os mercados.

Ao longo de toda semana, os mercados se comportaram em modo de espera para avaliar a fala do presidente do Federal Reserve (Fed), buscando pistas sobre a próxima elevação de juros por lá – se de 0,50 ou 0,75 ponto porcentual.

Após a fala, subiram as apostas em 0,75 p.p., apesar de este não ser o cenário apontado pelo BTG Pactual e pela EQI Asset, que projetam alta de 0,50 p.p.

Nos EUA, destaque ainda para o PCE, medida favorita de inflação do Fed, que veio abaixo do esperado.

Já no Brasil, os dois maiores destaques foram o recuo da inflação medida pelo IPCA-15 e o início oficial da campanha eleitoral.

Acompanhe o resumo da semana.

Resumo da semana no Brasil

IPCA-15 de agosto recua

O IBGE divulgou o IPCA-15 de agosto, considerado prévia da inflação oficial (IPCA).

O indicador recuou 0,73%, sendo a menor taxa desde o início da série histórica em 1991. A estimativa era por queda de 0,85%.

No ano, o IPCA-15 acumula alta de 5,02% e, em 12 meses, de 9,60%, abaixo dos 11,39% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores e primeiro registro de um dígito desde agosto de 2021.

O resultado foi influenciado pela queda nos preços dos combustíveis, em particular da gasolina e do etanol, e da energia elétrica. Os preços de alimentação e bebidas (1,12%) e saúde e cuidados pessoais (0,81%), entretanto, continuaram subindo.

Para Stephan Kautz, economista-chefe da EQI Asset, os números apresentados foram na maioria bons e indicam que há menos itens dentro da cesta calculada pelo IBGE que continuam com alta de preço. 

O ponto negativo, ele afirma, continua sendo a inflação de serviços, que se mantém muito alta, apesar de ter parado de subir adicionalmente, e estar oscilando ao redor de 12%, patamar considerado bastante alto.

Para o fechamento de agosto, Kautz diz esperar uma deflação de 0,30%, basicamente por conta do impacto menor da redução dos impostos. “Devemos ter julho e agosto com deflação e, no mês de setembro, uma alta ao redor de 0,30%”, analisa. 

Gráfico do IPCA-15
IPCA-15. Fonte: BTG

Melhora na perspectiva da inflação

Boletim Focus desta semana captou nova redução na expectativa para a inflação oficial, medida pelo IPCA – de 7,02% da semana passada, para 6,82%. É a oitava revisão para baixo consecutiva. Há um mês, a projeção era de 7,30%. 

Para o ano que vem, a expectativa também caiu: de 5,38% para 5,33%.

Fonte: BC

Confiança do consumidor sobe

Índice de Confiança do Consumidor, da FGV, subiu 4,1 pontos em agosto, para 83,6 pontos. 

gráfico confiança do consumidor
Confiança do Consumidor. Fonte: FGV

Campanha eleitoral ganha força

A campanha eleitoral ganhou força nesta semana, com entrevista dos presidenciáveis no Jornal Nacional. A propaganda de rádio e tevê começou na sexta (26).  

Leia também:

Resumo da semana no exterior

Powell em Jackson Hole

Jerome Powell, presidente do Fed, afirmou no simpósio de Jackson Hole que não vê ainda um momento econômico para que o Fomc – equivalente norte-americano ao Comitê de Política Econômica – reduza os juros.

Ele admitiu que o foco é levar a inflação dos EUA a 2% ao ano, já considerado pela autoridade monetária do país como sendo o patamar ideal.

Disse ainda que isso custará alguma “dor” ao país: com as taxas de juros mais altas para controlar a inflação, o crescimento mais lento e as condições mais brandas do mercado de trabalho trarão alguns problemas para famílias e empresas.

PCE abaixo do esperado

Índice de Preços para Despesas com Consumo Pessoal (PCE), medida favorita de inflação do Fed, recuou 0,1% em julho, com alta de 6,3% na comparação anual.

O núcleo do PCE, que exclui os itens mais voláteis, subiu 0,1% ante projeção de alta de 0,2%. 

Segundo Stephan Kautz, economista-chefe da EQI Asset, estes são números bons e mostram que a inflação está dando algum sinal de melhora, mas isso já estava parcialmente antecipado pelo índice de preços do CPI.

“O Fed, agora, vai olhar para os próximos meses, para tentar confirmar se realmente isso é uma tendência, ou se foi simplesmente um número mensal que acaba não mudando o cenário para a autoridade monetária”, ressaltou.

Tabela mostra evolução do PCE dos EUA.
PCE EUA. Fonte: BLS

PIB dos EUA encolhe 0,6%

Segunda prévia do segundo trimestre aponta recuo mais suave da economia: o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA recuou 0,6%, ante previsão de recuo de 0,7%.

Gráfico mostra o avanço do PIB dos EUA.
PIB EUA. Fonte: BEA

PMI decepciona

prévia do PMI dos Estados Unidos decepcionou. O PMI de serviços foi de 44,1 pontos contra 49,8 de consenso e 47,3 anterior; já o PMI industrial atingiu 51,3 pontos contra consenso de 51,8 e 52,2 anterior; enquanto isso, o PMI composto chegou a 45 pontos contra 47,7 anterior.

Twitter de volta ao noticiário

O Twitter volta ao noticiário, com o ex-diretor Peiter Zatko afirmando que a rede social não protege os dados de usuários. Vale lembrar que Twitter e Elon Musk seguem em disputa judicial depois de quebra de acordo de compra. 

6 meses de guerra

Invasão russa completou 6 meses na quarta-feira. No mesmo dia, a Ucrânia comemorou seu 31º aniversário de independência.

Saiba mais:

Gostou do resumo da semana? Quer aprender mas sobre investimentos e investir com assessoria? Preencha o formulário e fale com um de nossos assessores!  

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias