Ações
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Petróleo além da Petrobras (PETR3; PETR4): descubra outras empresas promissoras

Petróleo além da Petrobras (PETR3; PETR4): descubra outras empresas promissoras

Matheus Miranda

Matheus Miranda

25 Ago 2022 às 19:33 · Última atualização: 25 Ago 2022 · 7 min leitura

Matheus Miranda

25 Ago 2022 às 19:33 · 7 min leitura
Última atualização: 25 Ago 2022

além da Petrobras (PETR3; PETR4)

Pixabay

O mundo das empresas do setor de petróleo no Brasil hoje vai além da Petrobras (PETR3; PETR4). Até 1998, a companhia era monopolista do setor no país, mas a Lei do Petróleo, sancionada naquele ano, marcou a abertura do mercado para empresas internacionais e a formação de novas companhias para fomentar a competição no país.

Em seguida, a própria Petrobras sofreu mudanças: deixou de ser uma empresa 100% estatal e passou a ter capital misto, porém, ainda, com o controle nas mãos da União Federal. No entanto, passados 25 anos da Lei do Petróleo, já é possível perceber diversas mudanças. Surgiram as rodadas de licitações de áreas de exploração de petróleo que ajudaram a desenvolver os campos e criar espaço para participação de outras petroleiras, inclusive nacionais.

Além da Petrobras (PETR3; PETR4): conheça as novas empresas

Das companhias nacionais, quatro possuem capital aberto na bolsa: Petrorio (PRIO3), PetroRecôncavo (RECV3), 3R Petroleum (RRRP3) e Enauta (ENAT3). Todas possuem pontos positivo e negativos que o investidor precisa considerar na hora de investir em uma delas.

Petrorio (PRIO3)

Sobre Petrorio (PRIO3), os pontos positivos são itens como capacidade comprovada de revitalização de poços (campos considerados marginais, que já tiveram seu pico de produção, mas que ainda têm algum potencial a ser explorado), com aumento de produção e diminuição de custos de exploração; inclusão de novos ativos, que devem expandir a produção; e oportunidades para reduções adicionais de custos de exploração.

A Petrorio é responsável pela produção em campos como o cluster Polvo e Tubarão Martelo, dois campos na Bacia de Campos que foram interligados há cerca de um ano, além do Campo de Frade, também na Bacia de Campos.

Comportamento da PRIO3 em um ano

Os dados operacionais da companhia, referente a julho, mostraram que o cluster Polvo+Tubarão Martelo produziu 46.824 barris de óleo equivalente por dia (boed). No segundo trimestre, a produção chegou a 33.304 boed.

Sobre Frade, a produção de julho atingiu 28.509 boed. Ao passo que no acumulado no 2TRI22, a petroleira produziu 14.759 boed.

A empresa possui ainda uma participação de 10% no campo de Manati, na Bacia de Camamu, próximo à Bahia. A Petrorio (PRIO3) respondeu por 1.822 boed nesse campo em julho.

Os pontos negativos da Petrorio (PRIO3) é a aquisição do campo de Albacora Leste, que ainda está em fase de transição por parte da Petrobras. Porém, ainda há um grau de incerteza quanto a esta aquisição.

Enauta (ENAT3)

Manati, aliás, também tem uma participação de outra das novas petroleiras. É o caso da Enauta (ENAT3). Esta companhia tem 45% de participação nesse campo. Além de Manati, a companhia possui ainda o campo de Atlanta. A produção total da Companhia no mês de julho atingiu 268,0 mil barris de óleo equivalente (boe), ou produção média diária de 8,6 mil boe. Este volume inclui óleo e gás.

Comportamento das ações ENAT3 em um ano

A empresa informou que ao longo do mês de julho, o Campo de Atlanta passou por uma parada programada para atender às exigências normativas do Ministério do Trabalho, bem como preparar o FPSO para a recertificação pela DNV (Det Norske Veritas). Caso obtida a recertificação, será possível a extensão contratual e a operação contínua da produção do Campo até a entrada do Sistema Definitivo de Produção, previsto para meados de 2024.

Entre os pontos positivos da Enauta estão a experiência em ativos com boa perspectiva de produção e blocos exploratórios, considerados uma boa oportunidade para a empresa. O que pesa contra é a visibilidade de crescimento futuro, considerado menor, devido a poucas oportunidades fora da exploração.

PetroRecôncavo (RECV3)

A PetroRecôncavo (RECV3) é uma das preferidas por parte de especialistas, pois possui larga experiência no setor e faz revitalização de poços há mais de 20 anos. Possui ainda espaço para crescimento da produção com aumento de eficiência operacional e tem ainda uma oportunidade par precificar melhor o gás, com novos contratos e redução do custo de processamento.

Porém, a aquisição do campo de Bahia Terra está em discussão na justiça e pode demorar. O que poderia limitar o potencial da companhia.

Desempenho das ações RECV3 em um ano

Com relação à sua produção, a petroleira produziu, em julho, 21.852 barris de óleo equivalente por dia (boed). No segundo trimestre chegou a 20.528 boed.

Esse volume inclui a produção das cinco concessões da Recôncavo E&P mais a produção dos 12 campos do Polo Remanso operados pela companhia e 47,73% de Participação na Produção da Jazida Compartilhada “Zona Água Grande – Bloco 2” entre as concessões Gomo e Bonsucesso, operada pela 3R Rio Ventura S.A. – esta uma subsidiária da 3R Petroleum (RRRP3).

3R Petroleum (RRRP3)

Por fim, a 3R Petroleum (RRRP3) possui bons pontos como a entrada em produção de vários ativos que devem ocorrer em breve, significando que a empresa deve mais do que dobrar a sua produção. Outro fator positivo é a proximidade geográfica dos campos, que conseguem reduzir custos com serviços e atividades compartilhadas. Conta ainda com uma administração experiente no setor. Porém, o fator positivo é que a 3R necessita de injeção de capital para implementar seu plano de negócios.

Desempenho da RECV3 em um ano

A 3R é operadora dos Polos Macau, Areia Branca, Rio Ventura e Recôncavo e detém participação de 35% no Polo Pescada, este último operado pela Petrobras. A produção média diária consolidada dos cinco Polos citados, somou 12.976 barris de óleo equivalente (boe) em julho deste ano. Desse total, a parcela referente à 3R atingiu uma média diária de 12.186 boe.

Petrobras (PETR3; PETR4) ainda predomina

No entanto, por mais que o mercado de petróleo tenha se desenvolvido a Petrobras (PETR3; PETR4) ainda é predominante entre as empresas nacionais. Isso porque foram muitas décadas de monopólio do petróleo, que só foi quebrado no fim dos anos 90.

Tanto é que ainda passa pela petroleira a questão dos preços dos combustíveis e a companhia é uma das empresas de maior peso na B3 (B3SA3). Entre ações ordinárias e preferenciais, a petroleira possui 13.044.496.930 papéis em circulação. Sobre papéis do tipo ON, são 7.442.454.142 ações; já papéis PN, são 5.602.042.788.

Quer saber mais sobre empresas de petróleo além da Petrobras (PETR3; PETR4) e como investir melhor? Preencha o cadastro que um assessor da EQI Investimentos irá entrar em contato.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias