Investimento no Exterior
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
COE renda fixa com bonds da Petrobras: por que vale a pena investir?

COE renda fixa com bonds da Petrobras: por que vale a pena investir?

Claudia Zucare

Claudia Zucare

20 Set 2022 às 16:04 · Última atualização: 20 Set 2022 · 5 min leitura

Claudia Zucare

20 Set 2022 às 16:04 · 5 min leitura
Última atualização: 20 Set 2022

ilustração com perfuração de petróleo e nota de dólar

Reprodução/Freepik

O cenário internacional atual é de inflação e juros em escalada. Neste contexto, o investidor americano deixa a renda variável e procura proteção na renda fixa, mais especificamente nos bonds, que são títulos de dívida.

No que se costuma chamar de “fly to quality”, ou voo para qualidade, os investidores americanos buscam papéis especialmente do tesouro americano, que são considerados os ativos mais seguros do planeta – sim, porque a chance de o governo americano dar calote é considerada praticamente nula.  

Partindo do mesmo princípio, eles também se movem de títulos de renda fixa emitidos por empresas de países emergentes para opções consideradas mais seguras, como os títulos do governo, já ditos, e títulos de empresas locais.

Exatamente neste momento, aparece uma oportunidade para investidores brasileiros: investir em títulos de renda fixa de empresas brasileiras emitidos no exterior.

Uma boa oportunidade no momento é investir em bonds da Petrobras (PETR3, PETR4), uma empresa que os brasileiros conhecem bem e que aqui recebe classificação de risco triple A, ou seja, muito segura.

No entanto, para investir em bonds da Petrobras direto no mercado americano, o investidor precisa de uma conta em corretora americana e, além disso, de pelo menos um capital de US$ 50 mil para investir.

Então, para facilitar o acesso aos investidores de varejo, é que surgem no mercado veículos de investimento como os COEs, que são Certificados de Operações Estruturadas.

Entenda, abaixo, o que é um COE Renda Fixa com bonds da Petrobras e como você pode adquiri-lo.  

O que é um COE?

Para começar, vamos explicar o que é exatamente um COE.

“O COE é uma casca vazia. Você escolhe o que quer colocar dentro”, exemplifica Valter Manfro, head de operações estruturadas da EQI Investimentos.

Uma das grandes vantagens dos COEs é que eles permitem que se una a segurança da renda fixa com a rentabilidade da renda variável, além de dispor de uma infinidade de possibilidades de combinações de veículos de investimentos, seja no mercado nacional ou internacional.

“Até recentemente, os COEs eram compostos, prioritariamente, de produtos de renda variável, com uma parte em renda fixa para garantir o capital protegido, ou seja, o retorno, no mínimo, do valor investido. Mas, agora, temos opções focadas 100% em renda fixa e o primeiro deles é com bonds da Petrobras”, ele explica.

O que é um bond?

Um bond nada mais é do que um título de dívida do mercado de renda fixa emitido fora do país, seja nos EUA ou em qualquer outro país que não o Brasil.

Assim, um investidor que aplica seus recursos em um papel pertencente ao mundo da renda fixa e que não seja emitido em solo nacional estará investindo em um bond.

Os bonds do COE de renda fixa são do tipo corporate, ou seja, emitidos por empresas e não pelo governo (treasury bond).  São similares às debêntures no Brasil.

Por que a estrutura de um COE se só tem renda fixa?

Mas se o COE de bonds da Petrobras é todo de renda fixa, por que, então, usar esta estrutura?

“O COE é mais rápido e barato de estruturar. Podíamos ter um fundo de renda fixa, mas ele demoraria uns 120 dias para ser disponibilizado. O COE demora 24 horas. Eu consigo aproveitar melhor as oportunidades do mercado. Agora, eu tenho uma oportunidade de rentabilidade de 13,7% ano com os bonds da Petrobras. Se esperasse o fundo, poderia perder essa janela”, explica Manfro.

Outra vantagem é que, via COE, o investidor de varejo também consegue acessar o produto.

“Para investir em bonds, o investidor precisa de no mínimo US$ 50 mil. Para comprar um COE, apenas R$ 5 mil. Então, é uma grande vantagem”, explica Manfro.

Qual o risco do COE Renda Fixa com bonds da Petrobras?

Ainda que o risco de um corporate bond seja maior que o de um treasury bond, vale destacar que, a depender de seu emissor, o risco de crédito também pode ser baixo. Tudo vai da análise prévia feita pelo investidor.

Como dito anteriormente, atualmente, o investidor estrangeiro está deixando os bonds de empresas de países emergentes para migrar para papéis do governo, considerados mais seguros.

Neste momento, exatamente, é que a oportunidade se abre para os brasileiros que conhecem a Petrobras e o risco baixíssimo de crédito que ela representa.

“A Petrobras é um dos maiores produtores de petróleo e gás do mundo e, no Brasil, tem rating triple A, ou seja, é altamente improvável que a empresa não honre o título”, diz Manfro.

“Investir na Petrobras é seguro? É. Então, por que o americano não está investindo? Porque, na percepção dele, investir em bonds do tesouro americano vale mais a pena neste momento, porque é uma opção mais segura”, afirma.

Desta forma, ele complementa, a rentabilidade se encontra alta no momento, para garantir atratividade, o que configura uma oportunidade. A rentabilidade do COE de renda fixa é de 13,7% ao ano, com juros trimestrais de 3,3%, o que garante mais de 1% ao mês.

O prazo do investimento é de 5 anos e, portanto, vale dizer, ele se destina a quem não tem preocupação com a liquidez.

Quer investir ou saber mais sobre o COE Renda fixa com bonds da Petrobras? Clique aqui e fale com um assessor da EQI Investimentos.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias