Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Sonha em viver de renda? Então confira o passo-a-passo para chegar até lá!

Sonha em viver de renda? Então confira o passo-a-passo para chegar até lá!

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

23 Mai 2022 às 15:24 · Última atualização: 23 Mai 2022 · 10 min leitura

Redação EuQueroInvestir

23 Mai 2022 às 15:24 · 10 min leitura
Última atualização: 23 Mai 2022

viver de renda: sacos de dinheiro

Reprodução/Pixabay

Quem se planejou para fazer diferente com relação ao modo como lida com suas finanças, está na hora de colocar em prática os seus objetivos. Mas, qual o caminho para quem quer acumular patrimônio e viver de renda

O primeiro passo é organizar os gastos para obter um planejamento financeiro que realmente funcione. 

O passo seguinte é definir objetivos e encontrar as melhores formas de investir para fazer o dinheiro trabalhar a favor deles. 

Para isso, é necessário entender as modalidades de rendimento e ver qual melhor se ajusta ao seu perfil.  

Parece complicado, mas não é. 

Para facilitar a jornada, especialistas em finanças dão algumas recomendações, que veremos a seguir. 

https://youtu.be/U_cUMd41hxY

O que é acúmulo de patrimônio?

Acumular patrimônio consiste na reunião de bens como imóveis e/ou ativos financeiros, dentro de um determinado período de tempo.

O principal objetivo é obter liberdade financeira para que seja possível realizar metas, sonhos e até para garantir uma aposentadoria mais confortável. 

Contudo, acumular patrimônio pode não parecer uma tarefa muito simples, pois requer a combinação de dois fatores simultâneos: poupar e investir.

Mas, antes de começar a busca por investimentos que contribuam para o crescimento de seu patrimônio, será necessária alguma dose de paciência e dedicação no controle do orçamento.  

Quais são os passos para acumular patrimônio?

Para acumular patrimônio, ao mesmo tempo em que se economiza e poupa o dinheiro que é gerado com o fruto de seu trabalho, você também deve saber fazer o seu dinheiro render.

Mas, antes de tudo, o primeiro passo é se atentar à base que irá fornecer esta sustentação: a organização do seu orçamento.

Veja o passo a passo a seguir:

Diagnóstico atual: entenda e organize o seu orçamento 

Para estruturar o seu orçamento, é fundamental conhecer suas fontes de renda e seus gastos. Uma boa maneira é anotar todas as entradas e saídas em uma planilha ou aplicativo.

Depois, separe os gastos por categorias como, por exemplo, gastos fixos, variáveis e supérfluos. 

Assim que você visualizar a evolução do seu orçamento, terá mais clareza para cortar o que não precisa. 

Contudo, vale reforçar que os especialistas em educação financeira alertam para os cortes muito radicais, como aqueles que eliminam gastos com experiências como lazer, cuidados pessoais e educação. 

Na opinião deles, a adoção de tais práticas pode trazer frustração e, consequentemente, ser um fator desestimulante para manter uma organização saudável e perene. 

Cuidado com as taxas e multas que você não percebe

Uma das formas mais eficientes de controle de gastos é ficar atento a algumas cobranças que recaem mensalmente sobre o orçamento, sem que se perceba. 

Entre os campeões estão as cobranças de tarifas bancárias, anuidades, multas por atraso de pagamento e recorrência de assinatura de serviços pouco utilizados. 

Todos esses itens podem ser inofensivos a princípio. Porém, dentro do prazo de um ano, apontam para um gasto nada desprezível. 

Livre-se das dívidas!

Agora com o orçamento mais claro, é possível acompanhar a evolução de dívidas e parcelamentos. 

Na avaliação de especialistas em finanças pessoais, elas são as principais vilãs de quem deseja acumular patrimônio. 

“Não estou afirmando que você não deva contrair dívidas. No entanto, é preciso cuidado extremo ao entrar em qualquer tipo de parcelamento, mesmo que as taxas de juros pareçam muito atrativas”, avalia André Bona, educador financeiro e parceiro do BTG Pactual (BPAC11). 

“Uma despesa minimamente aceitável é o financiamento imobiliário. Isso porque muitas pessoas sonham em adquirir a casa própria. Além disso, o imóvel adquirido ao fim do parcelamento será considerado um patrimônio”, completa o especialista. 

Planejamento financeiro: construa uma reserva de emergência

Para começar um planejamento financeiro mais sólido, o ideal é reservar um fundo para suprir qualquer eventualidade: a chamada “reserva de emergência”. 

Não há certo ou errado nesse momento, cabe a cada um calcular o quanto precisa ter em mãos para o caso de uma situação que prejudique o recebimento de renda. 

De modo geral, recomenda-se que seja feita uma reserva que possa assegurar o pagamento de todas as suas despesas fixas e variáveis pelo prazo mínimo de 6 meses.

Vale ressaltar que a construção da reserva de emergência faz parte da acumulação de patrimônio. Contudo, seu objetivo é garantir que quando imprevistos aparecerem, você estará mais preparado financeiramente para lidar com eles.

Defina metas para acumular patrimônio 

Agora é o momento de migrar o orçamento do “real” para o “ideal”. Para isso, é necessário traçar objetivos e metas mensuráveis para determinar um valor mensal para poupar e investir. 

Depois de começar a poupar para a reserva de emergência, você terá mais estabilidade para investir o seu dinheiro e acompanhar as etapas de rendimento de cada aplicação. 

Para escolher a opção que melhor se enquadra no seu perfil financeiro, tenha em mente em quanto tempo pretende dispor desse retorno, o que irá variar de acordo com cada objetivo. 

Para facilitar o caminho, defina prioridades como:

  • Qual é a minha meta? 
  • Em quanto tempo planejo alcançá-la?
infográfico com informações de como deve ser a construção de patrimônio ao longo da vida

Como deve ser a construção de patrimônio ao longo da vida. Reprodução/EQI

Investindo com foco no longo prazo

Para acumular patrimônio, é preciso começar a investir. Pensando nisso, a estratégia que trará mais benefícios é com foco no longo prazo. 

Isso porque, segundo observam os especialistas, quanto mais tempo os valores permanecem investidos, maior costuma ser sua rentabilidade.

“Dentre as vantagens (do longo prazo), posso destacar que não é necessário analisar frequentemente os investimentos e, além disso, você poderá pagar menos impostos e ter maior rentabilidade em suas aplicações”, avalia André Bona.

Contudo, ele complementa que para que o investimento constitua um bom patrimônio, será preciso escolher bons ativos.

“Não adianta optar por um investimento de longo prazo, no qual a quantia ficará aplicada por um bom tempo sem a necessidade de análises aprofundadas e cálculos financeiros, se o ativo não tiver uma boa rentabilidade”, ressalta o educador.

Viver de renda: símbolos de dinheiro com luzes

Reprodução/Pixabay

Diversifique os investimentos

Quem começa a investir sabe que diversificar é uma premissa básica. Afinal, nunca se deve direcionar todo o seu dinheiro a um único investimento, pois se o ativo se perder ou começar a dar prejuízo, todo o recurso aplicado será perdido.

Neste sentido, André Bona dá a dica: “Se for investir em algum produto financeiro disponível no Brasil, alterne a sua carteira entre aplicações de renda fixa e variável, por exemplo.

Se pretende priorizar ações, nunca aplique toda a quantia que possui em ativos de uma única empresa.

Já se deseja investir em imóveis, adquira vários de menor valor em vez de um único mais caro”, explica o educador financeiro. 

gráficos com recomendação de alocação de ativos

Reprodução/EQI

Invista seus próprios recursos

A decisão de começar a investir deve acontecer a partir dos próprios recursos, aqueles obtidos pelo seu trabalho ou gerados de algum investimento que tenha realizado.

Isto significa que jamais é recomendado contrair uma dívida com a finalidade de investimento. 

“Até porque grande parte dos ganhos (caso eles ocorram) será destinada ao pagamento da dívida contraída. Além disso, você correrá o risco de o ativo não gerar o retorno esperado e de ter que arcar com os prejuízos dos valores perdidos”, alerta Bona.

Viver de renda: o que é e como começar? 

Viver de renda significa investir dinheiro e fazer com que ele trabalhe para você. 

Contudo, isso não é algo instantâneo, mas sim, uma meta de médio a longo prazo, que será calcada na formação de um patrimônio que lhe permita ter liberdade financeira.

Dessa forma, é preciso adquirir ativos que gerem retornos, sem que seja preciso trabalhar para isso.

“Uma forma clássica de renda passiva é a aquisição de imóveis para disponibilizá-los para aluguel. Outro exemplo é a rentabilidade de títulos públicos, ou até mesmo os dividendos pagos referentes aos investimentos em ações”, comenta o educador financeiro.

Por que viver de renda?

Mesmo que pareça uma realidade distante da atual, acumular um patrimônio que permita viver de renda é algo possível de ser feito. 

Para não perder o foco no meio do caminho é importante sustentar este objetivo. Para isto, basta se concentrar nas vantagens que a renda passiva pode oferecer: 

  • Viver com mais qualidade de vida;
  • Aposentar-se mais cedo;
  • Planejar-se para realizar sonhos;
  • Ter liberdade financeira para morar onde quiser;
  • Dedicar-se a hobbies e outros projetos pessoais.

viver de renda: cofre de porquinho com moedas e notas de dinheiro

Onde investir para viver de renda?

Mas, como é possível saber onde investir de maneira alinhada às suas demandas? 

A decisão depende de uma série de fatores, tais como:

  • Perfil investidor;
  • Definição de metas realistas;
  • Manter-se em uma constante aprendizagem em relação às finanças;
  • Manter o foco e a disciplina financeira.

Melhores investimentos para viver de renda passiva

A principal dica para viver de rendimentos é montar uma carteira de investimentos que esteja condizente com os seus objetivos. 

Existem investimentos que são excelentes para uma finalidade e péssimos para outros. 

Para definir a melhor aplicação para você, vale a pena se informar para conhecer riscos e oportunidades.

Alguns investimentos mais comuns para quem quer viver de renda são:

Viver de dividendos: comece hoje a construir seu patrimônio

Obter conhecimento é o caminho mais eficiente para acumular patrimônio e viver de renda.

É sempre importante destacar que ter uma carteira de investimentos variada é o que vai garantir que você receba dividendos e rendimentos de forma passiva, construindo o seu patrimônio a longo prazo, de forma planejada e consistente.

Além disso, para poupar dinheiro e acumular patrimônio, é necessário trabalhar o seu dinheiro de forma eficiente.

Isto envolve algumas estratégias que surgem da disciplina e da educação financeira. 

Lembre-se que os sonhos e objetivos de vida não devem ser resultado de privação, mas sim de uma construção, conforme orientam os especialistas. 

O consumo inteligente é tão importante quanto a dedicação em poupar. 

E, para finalizar: quanto mais você se envolve com o seu sonho, mais ele parte da sua vida, aproximando você da realização.

(Por Vanessa Araujo)

  • Quer conhecer mais investimentos para viver de renda? Então preencha este formulário que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para mostrar as aplicações disponíveis!
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias