Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Brasil é líder em juros real. Entenda e saiba como calcular

Brasil é líder em juros real. Entenda e saiba como calcular

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

06 Nov 2021 às 09:24 · Última atualização: 06 Nov 2021 · 4 min leitura

Redação EuQueroInvestir

06 Nov 2021 às 09:24 · 4 min leitura
Última atualização: 06 Nov 2021

Com o último aumento da Selic, que passou a 7,75% ao ano, o Brasil passou a liderar a lista de países com a maior taxa de juros real. É o que aponta o relatório da Infinity Asset, divulgado em 28 de outubro.

De acordo com a Infinity, considerando as projeções para a inflação nos próximos 12 meses, a nossa taxa de juros real é hoje de 5,96%. Logo após vêm Rússia (4,77%), Turquia (3,46%) e Colômbia (2,78%).

Segundo o economista-chefe da instituição, Jason Vieira, a posição do Brasil no ranking não chega a ser uma surpresa para o mercado. Isso porque os juros têm sido pressionados por causa do aumento do receito quanto ao risco fiscal. Com o aumento das despesas do governo, a tendência é de que sejam cobrados juros maiores para se emprestar dinheiro por aqui.

Teoricamente, juros reais mais altos poderiam atrair o investidor estrangeiro. No entanto, o economista declarou ao portal UOL não acreditar que isso possa acontecer no momento.

Isso porque a política monetária e o real desvalorizado não atraem o capital de fora. Por isso, para Jason, embora o aumento de juros reais em si pudesse ser positivo, dificilmente alguma mudança positiva em relação ao fluxo de capitais estrangeiros poderá acontecer.

Mas o que é a taxa de juros real?

A taxa de juros real (ou juro real) é o que efetivamente mostra quanto rende um investimento. Isso porque ela desconta do rendimento o impacto que a inflação causa no período em que os recursos estiveram investidos.

Em períodos de inflação alta, ficar atento ao juro real de um investimento é ainda mais importante. Se você já investe, ou está pensando em dar os primeiros passos para formar as suas reservas, provavelmente já ouviu falar sobre o rendimento negativo da poupança nos últimos tempos.

Para entender o que isso significa, continue a leitura e saiba como calcular o juro real dos investimentos!

Taxa de juros real x taxa de juros nominal: entenda a diferença

Quando você adquire um título, como um CDB, a instituição financeira informa a taxa de juros nominal do investimento (5% ao ano, ou 99% do CDI, por exemplo).

No entanto, essa taxa não corresponde efetivamente ao rendimento da aplicação, pois ela não considera os efeitos da inflação. Digamos que, no primeiro ano de vigência do CDB, a inflação tenha sido de 7% ao ano. Nesse caso, a remuneração do investimento teria perdido para a inflação. Ou seja, o juro real da aplicação foi negativo.

Em outras palavras, você só terá ganho de fato com o investimento se a taxa real superar a inflação do período. Por isso, é muito importante saber calcular o juro real.

Como calcular o juro real

Para calcular o juro real, são necessários dois componentes: a taxa de juros nominal e a inflação do período analisado.

Como vimos, a taxa de juros nominal é aquela informada no momento que é feito o investimento. Já a inflação pode ser obtida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), índice da inflação oficial brasileira divulgado todos os meses pelo IBGE.

Imagine que a rentabilidade divulgada de um determinado investimento tenha sido de 8% ao ano. No mesmo período, a inflação medida pelo IPCA foi de 6%. De posse dessas duas informações, você pode calcular o juro real desse investimento.

A fórmula do juro real é a seguinte:

juro real = (1 + juro nominal) / (1 + inflação) – 1

Conforme o exemplo acima, temos:

juro nominal: 8/100 = 0,08

inflação: 6/100 = 0,06

Agora, basta substituirmos os resultados acima na fórmula, e teremos o seguinte:

(1 + 0,08) / (1 + 0,06) – 1 = (1,08) / (1,06) – 1

juro real: (1,01886 – 1) x 100 = 1,886%

Rendimento real da poupança

A poupança encerrou o ano de 2020 com rendimento acumulado de 2,11%. Já a inflação do ano passado, medida pelo IPCA, foi de 4,52%.

O juro real negativo da poupança permanece em 2021. Até julho desse ano, a caderneta rendeu 1,43%, contra um IPCA de 4,88% no mesmo período. Ou seja, se você ainda tem dinheiro na poupança, saiba que os seus investimentos continuam perdendo para a inflação.

Deu para perceber que não adianta somente observar a taxa nominal dos investimentos, certo? Para garantir que o seu patrimônio não sofrerá perdas com a inflação, é extremamente importante comparar os juros reais dos investimentos antes de tomar qualquer decisão em relação aos seus recursos.

E onde investir em tempos de inflação alta?

Em momentos de alta dos preços, a melhor forma de proteger o dinheiro é procurar investimentos atrelados a índices inflacionários. Nos últimos tempos, o Tesouro IPCA+ tem ganhado destaque entre os investidores que buscam proteger o patrimônio da desvalorização causada pela inflação. Além disso, o Tesouro Direto é o investimento mais seguro do mercado, pois conta com a garantia do governo federal.

Clique no link abaixo, e saiba mais sobre como funciona e quais os rendimentos do Tesouro IPCA+

Por Carla

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias