Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Como investir no exterior sem sair do Brasil: EQI e Avenue explicam

Como investir no exterior sem sair do Brasil: EQI e Avenue explicam

Vanessa Araujo

Vanessa Araujo

16 Jun 2022 às 09:20 · Última atualização: 16 Jun 2022 · 10 min leitura

Vanessa Araujo

16 Jun 2022 às 09:20 · 10 min leitura
Última atualização: 16 Jun 2022

Investir nos EUA avenida em Nova York

Investir nos EUA avenida em Nova York. Crédito Pixabay

Conheça a Avenue, uma corretora americana, que desde 2020 está abrindo passagem para que investidores brasileiros ampliem sua carteira de investimentos internacionalmente.

Entenda como é possível investir no exterior de forma simples, a partir de uma experiência 100% voltada para as necessidades dos brasileiros. 

Se no passado o mercado internacional era acessado por quem tinha um patrimônio robusto, agora, existe uma forma mais democrática.

O que você precisa para investir no exterior sem sair do Brasil? EQI Investimentos e Avenue explicam.

Corretora nos EUA: quem é a Avenue 

A Avenue é uma corretora de valores americana, 100% focada em atender clientes que moram no Brasil, com um perfil de varejo de alta renda. 

Tratam-se de pessoas que já investem e que desejam dar um passo internacional, acessando uma maior diversificação de ativos.

“Ajudamos os brasileiros a investirem nos EUA, a partir de uma experiência verdadeiramente voltada para o contexto do Brasil. 

A prestação de serviços é completa, o que inclui também a abertura de uma conta bancária internacional”, explica Roberto Lee, CEO e fundador da Avenue. 

Investimentos no exterior: por que atender brasileiros?

De acordo com Lee, a ideia de fundar uma corretora nos EUA que pudesse atender especificamente os brasileiros em suas demandas surgiu da percepção de uma deficiência do mercado financeiro nacional. 

“Há cerca de 20 anos não era possível comprar ações como compramos hoje, era preciso ter muita grana. 

Dessa forma, sempre direcionei minha carreira para a criação de veículos e instrumentos de democratização para que brasileiros tivessem acesso a investimentos, assim como o cliente private sempre possuiu”, comenta.

Quem é o CEO da Avenue?

Hoje CEO da Avenue, Roberto Lee tem uma atuação sólida de mais de duas décadas no mercado financeiro, tendo fundado empresas de sucesso como a Wintrade e a Clear Corretora.

Iniciou sua carreira na Patagon.com em 1998, e lá permaneceu até 2002, ingressando depois na Ágora Corretora. 

Em 2005, Roberto Lee fundou a Wintrade Investimentos, uma das pioneiras em investimento online para o mercado de varejo.

Posteriormente, em 2010, vendeu sua participação na Wintrade para fundar e ser CEO da Clear Corretora, que rapidamente se tornou uma das principais corretoras online no Brasil.

Em 2014, após fusão entre Clear e XP Investimentos, passou a desempenhar também os papéis de CIO e CMO, onde ficou até 2017. 

Mercado financeiro brasileiro: limitado para o investidor 

O empreendedor da Avenue relembra que a indústria independente no Brasil começou a crescer, de fato, entre os anos de 2012 e 2013. 

No entanto, essa expansão evidenciou alguns desafios, um deles foi a adequação dos produtos, conforme analisa.

“Embora o Brasil seja gigante, o sistema financeiro brasileiro é pequeno para acomodar a liquidez de um país como o nosso. 

Percebi o tamanho dessa deficiência, ao ver que os investidores muito ricos, quando se davam conta da limitação do nosso mercado, passavam a mandar recursos para fora.

Para cobrir esse movimento, a tentativa da indústria brasileira era de importar produtos, ao invés de levar os clientes para as suas estruturas internacionais. 

Para suprir esse gap, fundamos a Avenue, que já nasceu com a missão de expandir o sistema financeiro brasileiro para o exterior”, explica.

Qual o risco de um brasileiro investir no exterior através da Avenue?

Para o brasileiro começar a investir no exterior sem risco é preciso derrubar a barreira do desconhecimento, conforme aponta o CEO da Avenue. 

“O brasileiro ainda percebe o mercado daqui como mais seguro que o internacional. 

O que a Avenue faz é eliminar essa sensação de risco, através de uma estrutura simples, regulada, transparente e muito próxima da experiência que a gente tem aqui no Brasil, só que lá nos EUA”, destaca. 

Investimentos no exterior e rendimentos em dólar
Investimentos no exterior: EUA mercado é o mais seguro do mundo. Crédito Pixabay

Qual a melhor forma de investir no exterior?

Para o gestor da Avenue, a melhor forma de investir no exterior é vivenciando uma experiência, verdadeiramente, brasileira. 

“De fato, até pouco tempo atrás era muito angustiante investir nos exterior. Era preciso encarar uma língua diferente e muita burocracia para a declaração do imposto de renda”, recorda. 

“Essa é uma curva de aprendizado tão desafiadora, quanto foi sair do banco para investir em uma empresa independente”, compara. 

Por que investir pela Avenue é melhor?

As corretoras americanas nunca foram muito preparadas para o atendimento do brasileiro, porque entender a estrutura do nosso país não é para amadores, conforme observa Lee.

“É necessário entender o dia a dia do investidor que mora aqui no Brasil. Não adianta falar de dólar, sem falar de real. Falar de juros americanos, sem falar do CDI. Não se pode desconsiderar o contexto do nosso país na hora de vender um investimento internacional”. 

Como funciona a corretora americana Avenue?

A Avenue funciona com as mesmas estruturas, ferramentas e funcionalidades que são encontradas em uma corretora nacional. 

O diferencial é englobar, cada vez mais, todos os serviços financeiros que estão disponíveis nos EUA.

“Lá temos uma estrutura que irá executar o investimento em ações, em Fundos de Investimento, em BONDs (Renda Fixa), criptomoedas em uma estrutura de digital assets.

Além de uma estrutura de banking, com cartão gratuito, para ser usado no formato digital ou físico”, resume o gestor.

Como é a estrutura?

Aqui no Brasil, existem as corretoras brasileiras, reguladas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Nos EUA, as corretoras são reguladas pela SEC (U.S. Securities and Exchange Commission). 

A Avenue também tem uma corretora DTVM (Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários)  aqui no Brasil para mandar o dinheiro lá para fora. 

O que a Avenue faz?

A Avenue começou a ser desenhada em 2018 e entrou em operação em janeiro de 2020. 

Nesse período, a empresa vem experimentando um bom crescimento, impulsionado pela forte demanda e interesse pelos investimentos no exterior. 

Desde sua fundação, a Avenue tem se consolidado, com números robustos: meio milhão de brasileiros investidores, distribuídos em vários tipos de produtos, representando quase 2 bilhões de dólares em custódia.

“Essa já é, disparada, a maior operação dos EUA em número de CPFs. Abrimos 2 mil contas todos os dias, um número que cresce a cada dia”, ressalta Roberto Lee. 

A empresa recebeu aporte do Soft Bank, um dos maiores investidores institucionais do planeta, que oferece suporte à operação em termos de governança. 

“A missão central de uma instituição financeira é cuidar bem do dinheiro dos outros. Para isso, temos uma estrutura robusta, regulada e coerente”, destaca

Por que começar a investir no exterior é importante?

O mercado americano engloba as maiores empresas do mundo, os maiores fundos e também clientes de todas as regiões. “Este é um círculo virtuoso para as melhores oportunidades em investimentos”, diz o CEO da Avenue.

“Não tenho dúvidas que a indústria financeira brasileira irá expandir para o exterior. Chegou a hora de conectar o brasileiro ao mundo, começando pelos EUA, maior mercado, onde as principais empresas globais, entre as quais muitas brasileiras, preferem se listar”, completa. 

Investir em BONDs: quais as vantagens?

São títulos de Renda Fixa emitidos nos EUA pelas empresas do mundo todo, incluindo empresas brasileiras. 

Existem todos os tipos de empresas que se listam, com vários tipos de risco. É possível fazer alocações a partir de US$ 1.000.

Quanto custa investir no exterior? Quais são as taxas da Avenue?

O foco na escalada da operação, que mira o atendimento de centenas de milhares de clientes, permitiu que a Avenue entrasse no mercado de forma mais competitiva. 

“Não temos nenhum custo para abertura e manutenção de contas. Trabalhamos com opções de planos de corretagem zero ou preços de corretagens sempre fixos com uma média abaixo de US$ 2,0.

Como automatizamos quase todo o processo, os custos da Avenue são muito baixos”, esclarece.

Investimento internacional: quais as vantagens tributárias para o brasileiro?

O acesso direto aos investimentos no exterior traz vantagens atrativas para quem investe em ações e Fundos de Investimentos. 

“Diferetemente do que acontece aqui no Brasil, quem investe em Fundos de Investimento constituídos lá fora, não paga o come cotas. Paga o imposto somente quando vender o fundo”, comenta. 

Em ações, uma venda abaixo de R$ 35 mil reais é isenta de recolhimento (no Brasil, esse limite é R$ 20 mil). 

Existem alguns outros veículos como as offshores que só pagam impostos quando o dinheiro é trazido para o Brasil”, comenta Lee.

Veja neste vídeo como usar a ferramenta da Avenue para a declaração do imposto de renda:

Avenue e EQI Investimentos: qual a relação?

“Além da relação de muita admiração pela EQI Investimentos, temos formalmente uma relação de ‘foreign finder’, na qual a EQI indica clientes para a Avenue nos EUA. Temos também uma relação de correspondente de câmbio”, explica Lee.

Como o investidor brasileiro declara investimentos nos Estados Unidos?

Não é preciso declarar investimentos nos EUA, apenas no Brasil. E quando for necessário pagar algum tipo de imposto, a Avenue prepara todos os relatórios, até a DARF. 

“A empresa faz todas as contas sobre ganho de capital. Depois, o investidor faz o carnê Leão e a declaração assim como se declara o investimento aqui no Brasil.

Isso vale para todos os ativos: ações, fundos, BONDs e para criptomoedas. 

“Historicamente sempre foi muito chato fazer essa declaração, mas a gente resolveu esse problema”, observa o gestor.

Por que brasileiros devem ter investimentos Internacionais?  

É preciso ter exposição em dólar para proteger o poder de compra, independentemente do tamanho do capital, observa o CEO da Avenue.

“Nas últimas décadas, nossa estrutura de consumo se assemelhou muito a de outros países. O dólar tem um componente dentro do nosso custo de vida muito alto. 

Até os produtos que não percebemos como gasolina e trigo são dolarizados. Quando o real perde frente ao dólar nosso poder de compra diminui.

Por isso, é preciso ter uma diversificação internacional para proteger seu poder de compra”, comenta.

Avenue: o que o investidor tem acesso?

Todos podem acessar criptomoedas, ações, fundos de investimento dos maiores gestores do mundo, carteiras administradas, BONDs e ter uma conta bancária. 

Ficou com alguma dúvida?

Assista neste vídeo um super bate papo sobre investir no exterior com Gustavo Strauch, head da EQI Internacional e Roberto Lee.

Como investir no exterior com a EQI e Avenue.

Quer ter uma assessoria para investir no exterior? Preencha este formulário e um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para tirar todas as suas dúvidas!

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias