Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
BTG Pactual (BPAC11) avalia manutenção dos juros altos nos EUA e Europa

BTG Pactual (BPAC11) avalia manutenção dos juros altos nos EUA e Europa

Victor Meira

Victor Meira

08 Set 2022 às 15:15 · Última atualização: 08 Set 2022 · 4 min leitura

Victor Meira

08 Set 2022 às 15:15 · 4 min leitura
Última atualização: 08 Set 2022

Pessoa usando uma calculadora

Freepik

Nesta quinta-feira (08), o Banco Central Europeu (BCE) anunciou o aumento na taxa de juros da zona do euro de 0,5% para 1,25%. Diante disso, a equipe de research do BTG Pactual (BPAC11) divulgou um documento analisando o movimento de alta nas taxas de juros na Europa e nos comentários de Jerome Powell, presidente do Fed (Federal Reserve), sobre política monetária.

Powell participou hoje de um evento do Cato Institute, em Washington. O chairman indicou que deve seguir com tom hawkish, movimento de alta nos juros, mesmo com os novos dados fortes de atividade econômica (ISM de manufatura, serviços e payroll).

A equipe de research do BTG Pactual avalia que a taxa de juros americana subirá 0,75 bps na próxima reunião do FOMC, agendada para o dia 21 de setembro.

J. Powell apontou que há muito trabalho para ser feito e que os dirigentes do Fed vão agir com precisão, sem se “distrair por considerações políticas externas”.

“Suas falas deram mais suporte para o Dólar (DXY) mesmo em um dia de front-loading do BCE”, explica o relatório do BTG.

Os analistas do banco de investimentos relatam que Powell considera que um crescimento abaixo da tendência, desde que não uma recessão, seria um fenômeno positivo para o Fed. Uma vez que isso permite o balanceamento do mercado de trabalho, o que sustenta o tom hawkish.

“Nesse sentido, se mostrou bastante confiante em não infringir o mandato duplo do FOMC (sigla em inglês de Comitê Federal de Mercado Aberto), que também precisa pensar na sustentabilidade do mercado de trabalho”, indica o relatório.

Na última quarta-feira (07), os dirigentes Loretta Mester, Lael Brainard, Susan M. Collins e Michael S. Barr sinalizam que devem votar neste tom hawkish. De acordo com o BTG Pactual, os nomes citados acima entendem que é necessário assistir um tempo maior de desaceleração da inflação para pensar em outro cenário.

BTG repercute alta nos juros na Europa

Christine Lagarde, durante a entrevista coletiva, reforçou que o aumento na taxa de juros da Europa “não é um ritmo usual de elevação de juro e que o BCE continua distante da sua taxa neutra”.

Apesar disso, a decisão foi unânime, embora repleta de discussões. O relatório informa que alguns membros do Conselho do BCE se surpreenderam com o CPI (Índice de Preços ao Consumidor) de agosto, que foi de 9,1%.

Gráfico da taxa de juros na Europa

Além dos juros, o BCE revisou a inflação para cima e o PIB da zona do euro para baixo.

“Como toda reunião de fim de trimestre, o BCE efetuou as revisões das suas principais projeções, a saber: CPI 2022 (de 6,8% para 8,1%); CPI 2023 (de 3,5% para 5,5%); CPI 2024 (de 2,1% para 2,3%); PIB 2022 (de 2,8% para 3,1%); PIB 2023 (de 2,1% para 0,9%). Vemos um risco para frustração de crescimento em 2023, dado nosso cenário de contração neste segundo semestre”, diz o relatório do BTG Pactual.

Diante disso, Lagarde indicou quatro motivos para o menor crescimento do PIB europeu:

  • inflação já estava afetando o poder de compra do consumidor;
  • a pressão foi intensificada pela situação do mercado de energia;
  • a desaceleração global afeta a Europa, reflexo do aperto monetário de outros países;
  • incerteza segue elevada.

Diante disso, a francesa reforçou que uma política fiscal planejada, de forma temporária, é preciso para dar suporte ao bloco europeu e com foco específico, para não atrapalhar a política monetária.

  • Quer entender como as altas nos juros dos EUA e Europa impactam nos seus investimentos? Então preencha este formulário que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para mostrar as aplicações disponíveis!
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias