Fundos Imobiliários
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Vale investir em Fundos Imobiliários de Recebíveis agora?

Vale investir em Fundos Imobiliários de Recebíveis agora?

Vanessa Araujo

Vanessa Araujo

15 Set 2022 às 09:08 · Última atualização: 15 Set 2022 · 8 min leitura

Vanessa Araujo

15 Set 2022 às 09:08 · 8 min leitura
Última atualização: 15 Set 2022

Desenho de homem em cima de sinal de interrogação

Os Fundos Imobiliários de Recebíveis começam a colocar seus investidores em dúvida sobre os rendimentos futuros. 

Isso porque o Brasil registrou sua segunda deflação seguida em agosto. O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) do referido mês teve uma variação negativa de 0,36%, depois de queda de 0,68%, em julho. 

E o que deve acontecer? Vale a pena investir em Fundos de Recebíveis agora?

Para esclarecer essa e outras dúvidas, Luis Moran, head da EQI Research, e Carolina Borges, analista de fundos imobiliários, comandaram um EQI Talks dedicado aos Fundos de Papel. 

Se você perdeu a live, entenda neste texto se os FIIs de papel ainda são uma boa opção de investimento em 2022.

Ciclo de alta da taxa de juros está perto do fim

Segundo ressalta o head da EQI Research, Luís Moran, em comparação aos demais países, o Brasil, que começou antes o seu ciclo de altas na taxa de juros, deve ver já nos próximos meses uma inversão na política monetária. 

“O país passou na frente e subiu os juros para controlar a inflação e isso teve um impacto natural nos ativos de risco, como os Fundos Imobiliários. Agora, com as perspectivas de final do ciclo de aumentos e com a inflação em queda, abre-se a expectativa de que os FIIs, que possuem uma característica de ações, possam ter um desempenho mais rápido”, comenta. 

Contudo, Moran chama a atenção para um fator interessante sobre os Fundos de Papel, que diz respeito à troca dos indexadores. 

“Independentemente da taxa de juros, há fundos e fundos. Existem fundos que pelo regulamento ou por gestão ativa estão fazendo uma migração para o CDI e que vão manter uma rentabilidade interessante mesmo com os juros arrefecendo”, aponta Moran. 

O que deve acontecer agora com os Fundos de Papel?

Para responder a essa dúvida, a analista de Fundos Imobiliários, Carolina Borges, preparou um relatório que monitora os maiores Fundos de Recebíveis que compõem o IFIX – fundos esses que representam mais de 40% do índice. 

“Nosso estudo compreende, entre outros aspectos, uma análise dos indexadores aos quais esses FIIs estão atrelados. Afinal, existem fundos que são, primordialmente, atrelados à inflação, outros à Selic e outros que caminham acompanhando os ciclos econômicos. Nosso estudo visa entender como eles estão se comportando e identificar a perspectiva para eles”, esclarece Carolina.

Por que é importante acompanhar o mercado de Fundos de Recebíveis agora?

“Já estamos vendo a inflação arrefecendo, mas não deve ser uma diminuição linear. Já verificamos que os meses de julho e agosto apresentaram deflação e a expectativa é de que em setembro tenhamos o mesmo cenário”, comenta Moran. 

No entanto, hoje, muitos investidores de Fundos Imobiliários que estão atrelados à inflação e que vinham recebendo rendimentos fortes, já estão esperando por uma diminuição na rentabilidade. Contudo, Moran acredita que isso não deve se solidificar agora. 

“O que provavelmente irá acontecer é termos uma taxa de juros mais alta por algum tempo para consolidar a redução da inflação. Dessa forma, os fundos de ativos terão a perspectiva de fazer a migração de indexador”, observa o head da EQI Research.

Já Carol adverte que os Fundos que fazem distribuição por competência já apresentaram quedas significativas de 30%, 40% de um mês para outro em seus proventos, conforme o esperado. 

“Os fundos que pagaram yield de 1,7% a.m., estavam em uma situação excepcional, dentro de um cenário de inflação alta. Além disso, para compreender melhor esses altos rendimentos, é preciso saber diferenciar rendimento real e nominal”, esclarece a analista.

Fundos atrelados ao CDI são alternativas 

“A Selic deve se manter em um patamar elevado nos próximos 10 ou 12 meses. Dessa forma, vislumbramos que os rendimentos dos fundos que estão indexados ao CDI permaneçam em bons patamares”, pondera Carol.

“Quem fizer a migração de Fundos atrelados à inflação para os Fundos de CDI vai manter uma rentabilidade interessante ainda por algum tempo”, destaca Moran.

Fundos de Papel são todos iguais?

Uma classificação já bem conhecida do mercado para os Fundos de Papel é a divisão em três grandes categorias: high yield, high grade e misto. 

Cada categoria possui características distintas que devem ser vistas sob uma ótica profissional para apoiar a análise sobre o que virá pela frente.

Sendo assim, para ajudar os investidores nessa jornada, a EQI Research preparou o “Relatório de Fundos Imobiliários de Recebíveis”. 

“Estabelecemos e isolamos alguns critérios como a composição de receita, atuação, duration, entre outros indicadores, segmentando os FIIs nesses três níveis de risco”, explica Carol.

Para acompanhar e, consequentemente, facilitar a análise do relatório, a Research desenvolveu em conjunto a “Planilha de Fundos Imobiliários de Recebíveis” que oferece um guia geral dos fundos que entraram no espectro de análise. 

Nela, é possível analisar a alocação dos fundos por segmento, por indexadores, por garantias, entre outros filtros.

“No relatório é possível entender o racional dos fundos. Já a planilha ajuda a fazer uma análise prática. Todos os números são extraídos dos relatórios mensais de gestão ou dos informes mensais dos próprios fundos e serão atualizados até o último dia de cada mês”, aponta Carol. 

Análise de projeção de resultados

Bastante completa, a planilha traz de forma prática a projeção dos resultados para os fundos, a partir da análise da alocação por indexador junto às projeções econômicas para os próximos 12 meses, já com taxas deduzidas. 

Análise do futuro do mercado

Outro ponto incluído é o “preço teto” (preço máximo a ser pago pelos fundos), que na planilha é calculado a partir do dividendo projetado e o nível de risco. “Com o documento será possível olhar para frente do mercado. Essa é a melhor análise que pode ser feita sobre um investimento”, analisa Moran. 

O documento deve ser um aliado para os investidores que queiram compor sua carteira de forma mais estratégica. “Na planilha também estão os links para os últimos relatórios gerenciais publicados de cada fundo para quem quer estudar mais”, completa Carol.  

Qual o melhor momento para diminuir a exposição em Fundos Recebíveis e aumentar em Fundos de Tijolo?

“Olhando para os juros futuros, quando há a inversão da curva é quando temos o melhor ponto de entrada. Mas, isso não é algo fácil de ser acertado”, ressalta Carol.

“Market timing é muito difícil. O que é possível dizer é que essa inversão irá acontecer no decorrer dos próximos 12 meses. É possível começar a se preparar agora alterando a carteira, pois já há boas oportunidades em Fundos de Tijolo”, completa Moran. 

Ainda de acordo com Carol, para os investidores mais conservadores, existe uma alternativa para não ficar “refém do ciclo”. “É possível buscar os Fundo de Recebíveis, que tenham diversificação de indexadores e de segmentos de atuação dentro do próprio fundo”, aponta. 

Checklist de FIIs: ferramenta ajuda a escolher os melhores fundos de tijolo e papel

Além do relatório e da Planilha de Análise de Fundos de Recebíveis, outra ferramenta à disposição dos investidores é o Checklist de Análise de FIIs.

A iniciativa, que aponta oportunidades e riscos embutidos em cada papel, visa facilitar a escolha dos melhores ativos em Fundos Imobiliários, sendo acessível para qualquer investidor, independentemente de seu nível de conhecimento. 

“Nossa proposta é que o Checklist indique para o investidor onde há sinal verde para um bom fundo, onde há sinal vermelho de alerta e onde há um sinal amarelo de que é preciso buscar mais embasamento antes de adquirir o fundo”, completa Carol.

Perdeu a live sobre Fundos Imobiliários de Recebíveis? Assista aqui: 

  • Quem quiser ter acesso ao relatório e à planilha de análise de Fundos de Recebíveis pode entrar em contato com o seu assessor da EQI Investimentos. 
  • Para mais informações que ajudam a compreender se vale investir em Fundos Imobiliários de Recebíveis, clique aqui e converse com um assessor da EQI Investimentos.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias