Ações
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Carteiras administradas de ações: gestão ativa de private, mas acessível a partir de R$ 100 mil

Carteiras administradas de ações: gestão ativa de private, mas acessível a partir de R$ 100 mil

Claudia Zucare

Claudia Zucare

08 Ago 2022 às 14:18 · Última atualização: 08 Ago 2022 · 5 min leitura

Claudia Zucare

08 Ago 2022 às 14:18 · 5 min leitura
Última atualização: 08 Ago 2022

ilustração com touro e urso, símbolos dos mercados em alta e baixa

Reprodução/Pixabay

Em um cenário altamente incerto como o atual, com bancos centrais elevando juros, inflação nas alturas, guerra e lockdowns afetando abastecimento, e eleições logo mais à frente, é muito difícil para o investidor de varejo acertar sozinho a hora de entrar e sair dos ativos.

Para os investidores de bolsa de valores, em especial, o mercado não foi favorável nos últimos 13 meses. Ações consideradas “top”, do setor de varejo, por exemplo, que performavam muito bem, chegaram a cair 90%.

“Teve ação que foi de R$ 21 para R$ 17, depois para R$ 12… e o investidor não ‘stopou’”, exemplifica Alexandre Furghestti, assessor de investimentos especialista em renda variável da EQI Investimentos.

O ‘stopar’ a que Furghestti se refere é o mecanismo de stop loss, que é um recurso sofisticado de investimento, que tem por objetivo limitar o prejuízo de uma operação malsucedida.

Pois é justamente para facilitar para o investidor movimentos considerados mais difíceis como este que a EQI Asset criou as Carteiras Administradas de Ações, oferecendo gestão ativa e calibragem oportunista de ativos.

“Qual é a maior vantagem ao aderir a uma carteira administrada de uma asset? Contar com um constante balanceamento. Um gestor não deixaria de ‘stopar’ uma ação que tivesse a queda que citei como exemplo. Mas teve investidor que deixou, por falta de domínio do mercado”, explica.

O investimento mínimo para participar das Carteiras Administradas é de R$ 100 mil, com a vantagem de o investidor contar com a gestão e com assessoria ativa, diferentemente do investidor que opera pelo home broker.

Imagem de celular  tela de computador com gráficos de ações
Reprodução/Pixabay

Três modelos de carteiras administradas

São três os modelos de carteiras administradas oferecidas pela EQI Asset:

Ações Brasil

Focada 100% em ações de empresas brasileiras listadas na B3, contemplando small caps, dividendos, e mantendo como meta rentabilidade superior ao Ibovespa.

“Esta carteira é recomendada para quem fica 100% confortável investindo em ações, é um investidor mais arrojado”, explica Furghestti.

Dividendos

A segunda carteira tem foco exclusivo em ações que pagam bons dividendos, também com diversificação setorial. Segundo Furghestti, seria indicada para um perfil mais moderado de investidor renda variável.

Carteira balanceada

A terceira modalidade é, como ele diz, para o cliente que está bastante desconfortável com o mercado de ações. Para este, foi montada uma carteira composta de 80% de renda fixa e apenas 20% de renda variável.

“Esta é para o perfil mais conservador de investidor de renda variável”, diz.

Mas para uma correta alocação, afirma, o melhor caminho é sempre conversar com o assessor de investimento primeiro. Ele fará o encaminhamento correto para a carteira mais adequada, após estudar, junto com o investidor, seu correto perfil de risco. É possível, inclusive, que um mesmo cliente seja direcionado para duas ou mais carteiras.

Mais transparência que os fundos de investimento

Furghestti explica que, diferentemente de um fundo de investimento em ações, nas carteiras administradas, o investidor terá total transparência quanto aos ativos escolhidos.

“Assim como no fundo, o investidor confere um mandato ao gestor da carteira, mas terá acesso aos ativos que a compõem. É tudo muito transparente. A asset vai promover lives bimestrais para todos os cotistas, além de enviar uma carta do gestor”, diz.

Atendimento de cliente private

Outro benefício, diz Furghestti, é que com as carteiras todos os clientes passam a ter um atendimento ativo dos assessores, o que só se consegue via conta private.

“O cliente que investe R$ 100 mil em ações hoje e investe sozinho, pode até contar com o assessor na hora de comprar o ativo. No entanto, não tem as atualizações de acordo com o cenário”, diz.

“Já nossos clientes private contam com assessor de alocação de ativo e especialista em renda variável. Estamos estendendo esse atendimento a todos que aderirem às carteiras”, afirma.

“É um produto classificado como wealth management – gestão de fortunas – , mas acessível a preço de varejo, com acesso a partir de R$ 100 mil”, complementa, afirmando ser esta uma oportunidade para todo investidor aumentar a probabilidade de retornar para a zona da rentabilidade, com diversificação setorial, equilíbrio no portfolio e atualização de cenário.

  • Quer saber mais sobre as carteiras administradas de ações da EQI Asset? Então, preencha o formulário que um dos assessores entrará em contato!
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias