Money Week
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Alexandre Schwartsman confirmado na Money Week Cenários 2022

Alexandre Schwartsman confirmado na Money Week Cenários 2022

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

28 Dez 2021 às 19:00 · Última atualização: 08 Jun 2022 · 2 min leitura

Redação EuQueroInvestir

28 Dez 2021 às 19:00 · 2 min leitura
Última atualização: 08 Jun 2022

Alexandre Schwartsman, ex-diretor de assuntos internacionais do Banco Central, já tendo sido economista-chefe dos bancos ABN Amro e Santander, estará em dois painéis da Money Week Cenários 2022, que ocorre entre os dias 11 a 14 de janeiro de 2022.

Formado em administração pela Fundação Getúlio Vargas, Schwartsman fez mestrado em economia na Universidade de São Paulo e doutorado em economia na Universidade da Califórnia em Berkeley.

Em sua carreira também constam passagens pelo Unibanco e pelo BBA.

Atualmente, Alexandre comanda a consultoria econômica Schwartsman & Associados, é colunista da rádio CBN, e autor de diversos livros e publicações com foco em assuntos macroeconômicos.

No ano passado, ele lançou o livro ‘Economia no cotidiano’, em que aborda temas como inflação, emprego, contas públicas, relação do país com o exterior e mercado financeiro.

Análise de números, por Alexandre Schwartsman

Assíduo nas redes sociais, o economista coleciona mais de 90 mil seguidores no Twitter, onde diz fazer “em poucos traços, a análise do mundo dos números e cifrões”.

Em podcast recente para a CBN sobre a atual situação da economia, Alexandre afirmou que as projeções mostram uma perda da confiança no Banco Central. “Certamente é algo que vai pesar nas decisões do BC”, disse ele à rádio.

Palestrante requisitado quando o assunto é economia do país, em um evento recente, Alexandre comentou sobre o dólar estar cada vez mais valorizado e fortalecido. “As taxas de juros americanas tem um impacto muito grande no Brasil. Os preços sobem bastante e a meta de inflação do ano que vem é de 3,25%”.

Ele ainda comentou sobre os desafios enfrentados no cenário brasileiro: “A inflação em alta ameaça a manutenção da política monetária, e as taxas de juros devem aumentar ainda mais em 2022, cabendo ao Banco Central controlar a inflação. Porém, com a valorização do dólar, esta missão se torna árdua”.

Não perca a chance de conferir o que mais ele projeta para 2022. Clique aqui e faça sua inscrição na Money Week!

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias