Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Prefixados: descubra o timing correto de migrar para eles

Prefixados: descubra o timing correto de migrar para eles

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

14 Abr 2022 às 19:00 · Última atualização: 24 Jun 2022 · 5 min leitura

Redação EuQueroInvestir

14 Abr 2022 às 19:00 · 5 min leitura
Última atualização: 24 Jun 2022

investir em prefixados

Reprodução/Pixabay

Qual o momento ideal para investir em prefixados?

O tão sonhado 1% por mês voltou e, com ele, o “direito divino” de todo brasileiro de ter investimentos sem risco trazendo a rentabilidade mensal de um por cento ao mês.

Tudo isso porque a renda fixa voltou e voltou com tudo, chamando a atenção cada vez mais dos investidores, tanto dos saudosistas, quanto dos milhares de novos investidores que ingressaram no mercado financeiro nos últimos anos.

Mas vamos dar um passo atrás e explicar que existem três tipos de retornos para as rendas fixas e um deles tem chamado a atenção e desejo dos investidores:

  • PÓS-FIXADO – Segue  a variação CDI. Exemplos: CDB 120% do CDI ou TESOURO SELIC 100% do CDI.
  • HÍBRIDO (PRÉ e PÓS-FIXADO) – Segue o CDI ou IPCA mais uma taxa prefixada. Exemplos: IPCA+6.00% ou CDI+2,00%.
  • PREFIXADO – Uma taxa predeterminada. Exemplos: CDB 14.50% ou LCI 11,30%.

Desses exemplos acima, o mais desejado é, com toda certeza, o PREFIXADO, pois traz previsibilidade e garantia dos 1% ao mês pelos prazos contratos.

Quando investir em prefixado?

A grande pergunta que fica na cabeça é se, de fato, é hora de migrar seus investimentos para os pré.

Para responder a essa pergunta, vou trazer alguns conceitos, para te ajudar a entender a resposta (porque não é algo trivial).

A taxa dos prefixados varia todos os dias. Inclusive, só nessa semana o Tesouro Nacional já fechou a negociação dos títulos durante dois dias, pois tivemos uma oscilação momentânea causada pela notícia de que a inflação de março foi a maior dos últimos 28 anos para o mês passado.

Isso quer dizer que um título que te paga hoje 14%, amanhã poderá te pagar 15%.

Essa taxa oscila conforme a percepção de risco-país aumenta ou quando a inflação aumenta, já que a taxa Selic é utilizada para conter essa alta do IPCA.

Então, à medida que o Banco Central sinaliza que pode haver aumento na taxa básica de juros, as taxas dos prefixados aumentam também.

Sabendo disso, tivemos uma perspectiva de aumento de 12,75% que seria o último aumento do ano, para 13,50%, podendo aumentar ainda mais dependendo de como virá a inflação nos próximos meses.

Enquanto não tivermos uma mínima previsibilidade de um teto para o aumento da taxa Selic, corremos o risco de prefixar um investimento a 14% e amanhã a previsibilidade da taxa de juros chegar a 14,5% ao ano, sendo melhor ter investido o dinheiro em algo pós-fixado, como 120% do CDI.

Todavia, se não prefixarmos uma parte da carteira às taxas atrativas que temos hoje, corremos o risco inverso.

O risco de as taxas começarem a cair e você não ter nada pagando 14% e sim 12,5% a 13% a.a., pois o Banco Central pode julgar que a Selic a 12,75% será suficiente para conter a inflação, por exemplo.

Aqui, já me adianto, em falar sobre a tal diversificação mesmo em renda fixa.

Precisamos não só diversificar pelas classes de rentabilidade, ou seja, comprar um pouco de PÓS-FIXADO, HÍBRIDO e PREFIXADO.

Precisamos comprar em períodos distintos, já sabendo que o melhor período para comprar um prefixado é quando o Campos Neto, atual presidente do BC, afirmar que será o último aperto monetário (aumento na taxa de juros).

Agora que você entendeu tudo sobre prefixados, posso te contar que estamos nessa janela de oportunidade ou estamos muito próximos de chegar no ponto ideal da compra desses títulos, visto que a maior alta da taxa nos últimos tempos foi de 14,25%, durante o governo de Dilma Roussef. Nessa época, foi possível comprar títulos fixados a 18% a.a.

gráfico com projeções para Selic

Projeções para Selic. Fonte: EQI Asset

Ganhos de renda variável com prefixados?

Como dica bônus, trago os ganhos de renda variável com renda fixa.

Além dos títulos híbridos IPCA+ ou CDI+, conseguimos fazer a marcação a mercado com prefixados também.

Atente-se, todavia, ao tipo de ativo que pode ter ágio (lucro) sobre o preço inicial, que é quando compramos pelo PU (preço unitário) de 1000 e conseguimos vender por PU 1500, por exemplo. Vamos aos ativos:

Cuidado, por favor, ao comprar os créditos privados, pois eles são dívidas de empresas e o risco está ligado à saúde financeira das mesmas.

Já o Tesouro Prefixado tem o risco-Brasil, pois se trata de uma dívida emitida pelo governo.

Agora, é só ficar atento aos comunicados do Banco Central e às plataformas de investimento, para que você consiga comprar o melhor título para sua carteira de investimentos.

Tanto para escolher o melhor ativo ou para fazer a cotação e ver se vale fazer a troca, se beneficiando da marcação a mercado.

Chame seu assessor de investimentos, que, com toda certeza, irá de ajudar no processo de tomada de decisão!

Por Denis Miyabara, assessor de investimentos

  • Quer saber mais sobre o momento correto de investir em prefixados? Então, preencha esse formulário, que um assessor da EQI entrará em contato.
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias