Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Petrobras (PETR3, PETR4) negocia venda de Polo Bahia Terra a consórcio formado por PetroRecôncavo (RECV3) e Eneva (ENEV3)

Petrobras (PETR3, PETR4) negocia venda de Polo Bahia Terra a consórcio formado por PetroRecôncavo (RECV3) e Eneva (ENEV3)

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

04 Mai 2022 às 18:17 · Última atualização: 24 Jun 2022 · 6 min leitura

Redação EuQueroInvestir

04 Mai 2022 às 18:17 · 6 min leitura
Última atualização: 24 Jun 2022

Petrobras negocia venda de polo para consórcio de empresas

André Motta de Souza/Agência Petrobras

A Petrobras (PETR3, PETR4) está em negociação com um consórcio formado por PetroReconcavo (RECV3) e Eneva (ENEV3) para a venda do Polo Bahia Terra, uma das mais antigas estações de produção de petróleo do país, pelo valor de US$ 1,4 bilhão.

A negociação foi anunciada pelo site Brazil Journal e confirmada pelas três empresas envolvidas por meio de fatos relevantes. O consórcio tem 60% de participação da PetroRecôncavo, que será a operadora dos ativos, e 40% da Eneva.

O processo de venda foi aberto pela Petrobras em novembro de 2020 e vencido pela Aguila Energia, mas a negociação de US$ 1,8 bilhão avançou, por falta de financiamento. A Petrobras reabriu a venda em nova rodada, em fevereiro de 2022, e três empresas colocaram propostas: Aguila, Petroborn e o consórcio PetroReconcavo/Eneva, que acabou vencedor.

Andamento da venda

O fechamento do negócio agora depende do acerto do pagamento e de aprovações pela ANP (Agência acional de Petróleo) e pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

O polo Bahia Terra é composto por 28 campos de produção onshore nas bacias do Recôncavo e Tucano, com produção iniciada em 1958. Trata-se de um dos últimos elementos do processo de venda de campos maduros terrestres pela Petrobras.

A produção do polo hoje é de 11 mil barris de óleo equivalente/dia – incluindo 250 mil m3/dia de gás. Faze parte da negociação a infraestrutura para produção, escoamento, tratamento primário de petróleo e gás natural.

  • Quer saber se vale a pena incluir a Petrobras (PETR3, PETR4) em seus investimentos? Preencha este formulário e um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para mostrar as melhores aplicações disponíveis!

Falo relevante Petrobras (PETR3, PETR4)

A Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras, em relação às notícias veiculadas na mídia, informa que concluiu a nova rodada da fase vinculante do processo de venda dos campos de produção terrestres localizados na Bacia do Recôncavo e Tucano, no estado da Bahia, denominados conjuntamente de Polo Bahia Terra.

O consórcio formado pelas empresas PetroRecôncavo S.A. (60%) e Eneva S.A. (40%) apresentou a melhor proposta, em valor superior a US$ 1,4 bilhão, considerando pagamentos firmes e contingentes, e foi convidado para a fase de negociação. A assinatura do contrato de compra e venda ainda está sujeita à conclusão das negociações e à aprovação dos órgãos competentes da Petrobras.

A Petrobras reforça o seu compromisso com a ampla transparência de seus projetos de desinvestimento e de gestão de seu portfólio e informa que as etapas subsequentes do projeto serão divulgadas tempestivamente.

Fato revelante – PetroReconcavo (RECV3)

PetroReconcavo S.A. ou “Companhia”, (B3: RECV3), em cumprimento ao disposto na Resolução CVM n.º 44, de 23 de agosto de 2021 e ao disposto no art. 157, §4º da Lei n.º 6.404, de 15 de dezembro de 1976, conforme alterada (“Lei das S.A.”), vem informar os seus acionistas e o mercado em geral, em razão da notícia veiculada pelo canal de notícias Brazil Journal nesta data, que a Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras (“Petrobras”) informou que, em relação ao processo de desinvestimento do Polo Bahia Terra (“Processo”), a Companhia é a Selected Binding Offeror. Em seguida, será iniciada a fase de negociação dos termos e condições para a potencial aquisição da totalidade das participações da Petrobras em um conjunto de concessões de campos terrestres de E&P e instalações associadas (Polo Bahia Terra), localizadas nas Bacias do Recôncavo e de Tucano, no Estado da Bahia, Brasil.

A Companhia esclarece que apresentou a oferta em conjunto com a Eneva S.A. (“Eneva”), na forma de um consórcio com participação de 60% (sessenta por cento) da PetroReconcavo e 40% (quarenta por cento) da Eneva, sendo a PetroReconcavo a operadora dos ativos.

A efetiva realização da potencial aquisição, assim como seus termos e condições e montante envolvido, estão sujeitas à aceitação da oferta pela Petrobras, à negociação e celebração do contrato de compra e venda e outros instrumentos relacionados à aquisição, às aprovações legais e regulatórias competentes, bem como a satisfação de determinadas condições precedentes típicas de operações dessa natureza, em especial, a aprovação do Conselho de Administrativo de Defesa Econômica – CADE e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, dentre outros fatores.

A Companhia reforça o seu compromisso com a ampla transparência de suas ações e informa que manterá os seus acionistas e o mercado informados sobre quaisquer atualizações relevantes em relação a esse assunto por meio de seus canais habituais de divulgação de informações periódicas e eventuais, que também podem ser obtidas por meio do site da CVM (https://www.gov.br/cvm/pt-br), da B3 (https://www.b3.com.br/pt_br/) e da própria Companhia (https://ri.petroreconcavo.com.br/).

Fato relevante – Eneva (ENEV3)

ENEVA S.A. (“Eneva” ou “Companhia”) (B3: ENEV3), em cumprimento ao disposto na Resolução CVM n.º 44, de 23 de agosto de 2021 e ao disposto no art. 157, §4º da Lei n.º 6.404, de 15 de dezembro de 1976, conforme alterada, informa, em razão da notícia veiculada pelo canal de notícias Brazil Journal nesta data, que a Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras (“Petrobras”) comunicou que, em relação ao processo de desinvestimento do Polo Bahia Terra (“Processo”), a Companhia é a Selected Binding Offeror. Em seguida, será iniciada a fase de negociação dos termos e condições para a potencial aquisição da totalidade das participações da Petrobras em um conjunto de concessões de campos terrestres de E&P e instalações associadas (Polo Bahia Terra), localizadas nas Bacias do Recôncavo e de Tucano, no Estado da Bahia, Brasil.

A Companhia esclarece que apresentou a oferta em conjunto com a PetroReconcavo S.A. (“PetroReconcavo”), na forma de um consórcio com participação de 40% (quarenta por cento) da Eneva e 60% (sessenta por cento) da PetroReconcavo, sendo a PetroReconcavo a operadora dos ativos.

A efetiva realização da potencial aquisição, assim como seus termos e condições, montante envolvido, estão sujeitas à aceitação da oferta pela Petrobras, à negociação e celebração do contrato de compra e venda e outros instrumentos relacionados à aquisição, às aprovações legais e regulatórias competentes, bem como a satisfação de determinadas condições precedentes típicas de operações dessa natureza, em especial, a aprovação do Conselho de Administrativo de Defesa Econômica – CADE e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, dentre outros fatores.

A Companhia reforça o seu compromisso com a ampla transparência de suas ações e informa que manterá os seus acionistas e o mercado informados sobre quaisquer atualizações relevantes em relação a esse assunto por meio de seus canais habituais de divulgação de informações periódicas e eventuais, que também podem ser obtidas por meio do site da CVM (https://www.gov.br/cvm/pt-br), da B3 (https://www.b3.com.br/pt_br/) e da própria Companhia (https://ri.eneva.com.br/).

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias