Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Livetech da Bahia (LVTC3): conheça a empresa que estreia na B3 nesta segunda-feira

Livetech da Bahia (LVTC3): conheça a empresa que estreia na B3 nesta segunda-feira

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

26 Jul 2021 às 12:00 · Última atualização: 04 Jul 2022 · 9 min leitura

Redação EuQueroInvestir

26 Jul 2021 às 12:00 · 9 min leitura
Última atualização: 04 Jul 2022

Livetech da Bahia - WDC

A Livetech da Bahia (LVTC3), empresa que opera com tecnologia wireless e segurança predial eletrônica, estreia na Bolsa de Valores nesta segunda-feira (25).

Na semana passada a empresa precificou as ações de sua oferta e movimentou R$ 450 milhões.

Com oferta restrita, a Livetech da Bahia foi fundada em 2003 e é a razão social da empresa WDC Networks.

Vamos conhecer melhor a empresa?

Sobre o negócio da Livetech da Bahia

Fundada em 2003, com capital 100% nacional, a empresa diz que se tornou líder em seus segmentos na oferta do modelo de negócio “TaaS – Tecnologia as a service” (hardware e software como serviço). A sede fica em Ilhéus-BA.

A empresa de tecnologia é focada nos setores de telecomunicações com fibra ótica e corporativo em vários segmentos.

A empresa nasceu com a visão de que as telecomunicações seriam impulsionadas por tecnologia sem fio (wireless) e por isso seu nome fantasia ser Wireless Design Center, e trouxe para o Brasil várias marcas de produtos nessa área de Wi-Fi, OFDM e WiMax, aliando outras aplicações nesse segmento tais como câmeras de vigilância, sendo a pioneira em projetar e vender sistemas de monitoramento urbano em cidades do interior de São Paulo. Com o passar do tempo, incrementou seu portfolio, com telefones IP (VoIP), roteadores, antenas e muito mais.

A Livetech da Bahia industrializa no Brasil mais de 40% dos produtos de maior volume. Conta com parcerias estratégicas com seus fornecedores internacionais e nacionais, a maioria líderes em seus segmentos.

Isso garante um portfólio amplo, com 60 marcas, e soluções voltadas para internet banda larga via fibra ótica, Segurança Eletrônica, Telefonia via Internet, Redes WI-FI, Redes de Dados (Networking), Cyber segurança, Áudio e Vídeo Profissional, Smart-Home e Energia Solar.

A Livetech da Bahia estruturou uma rede de canais de venda em todo o Brasil, atendendo mais de 2.000 ISPs.

A ideia de se estabelecer no Polo de Informática de Ilhéus veio da necessidade de reduzir custos de vendas, industrializando a maior parte dos produtos vendidos, que na época eram voltados para um mercado em desenvolvimento.

Breve histórico

Em 2008, apesar de pequena, a empresa passou ilesa pela crise internacional. Mas em 2009 houve uma reestruturação dos acionistas, ficando apenas Vanderlei Rigatieri Jr, com 90% do capital e Francisco Sérgio Toledo com 10%, e deram um salto de crescimento nos projetos de segurança eletrônica corporativa, com um dos maiores projetos de câmeras IP em um só cliente, o Banco Itau-Unibanco.

Em 2012 a Livetech da Bahia fez parceria estratégica com fornecedores de soluções de fibra ótica, celebrando acordos de industrialização local desses produtos, usando sua instalação em Ilhéus. Quando poucos acreditavam na capacidade de investimento dos ISP’s a WDC se dedicou a treina-los, a trazer a melhor tecnologia GPON disponível e com a relação custo/beneficio que fazia sentido nesse segmento.

Mas em 2013, a Livetech da Bahia deu um novo salto, criando o programa de venda dos produtos em forma de contratos de locação de equipamentos, e nascia a TaaS – Tecnologia as a Service. Este modelo de negócio inovador de venda de tecnologia como serviço, seguindo uma tendência mundial do mercado fez esse segmento literalmente explodir de crescimento.

Em 2017, em plena crise econômica do Brasil, a Livetech da Bahia crescia a taxas acima do mercado, e demonstrando a resiliência criada pelos seus modelos de venda, atraiu a atenção de investidores, e recebeu um investimento minoritário do fundo de Private Equity 2BCapital, ligado ao Bradesco, que capitalizou a empresa e possibilitou o avanço em sua rota de crescimento e de melhoria da qualidade de atendimento.

Em 2019 iniciou um processo de internacionalização de suas operações, para permitir que seu modelo de negócio possa ser replicado em países da América Latina que tenham as condições parecidas com o Brasil. Em 2020 iniciou as atividades no mercado de energia solar, abrindo um centro distribuição e industrialização em Extrema/MG.

Mercados de atuação

A Livetech da Bahia é organizada em unidades de negócio de telecom e enterprise, dividida em 4 grandes áreas:

  • Telecomunicações. Com soluções de Infraestrutura as a Service para redes GPON FTTH de banda-larga, sistemas de transmissão DWDM, cabos de fibra ótica, infraestrutura de Data centers, sistema de energia crítica e diversos produtos relativos a gerenciamento de redes. O principal tipo de cliente são os quase 7.000 ISP’s Regionais e as grandes operadoras.
  • Corporativo. Corporativo e Empresarial, com soluções de Segurança Eletrônica, conectividade, Wi-FI, Segurança da Informação, Telefonia e Automação Predial. A Livetech da Bahia atende esse mercado via rede de mais de 200 integradores de sistemas em todo o Brasil.
  • Áudio, Vídeo e Automação. ProAV, todo um portfólio de tecnologia desde painéis de LED, mesas de som, caixas acústicas, microfones, salas de reunião, projetores, vídeo conferência, automação residencial que atendem os canais especializados de mídia, eventos, etc.
  • Energia Solar. Com a produção de geradores residenciais, comerciais e grandes usinas e fazendas de geração, com vários modelos de módulos, inversores e sistemas de gerenciamento.

Livetech da Bahia - WDC

Vantagens competitivas da Livetech da Bahia

  • Grande modelo de negócios que vende tecnologia como serviços (TaaS);
  • Linhas de produtos e parcerias com grandes marcas;
  • Estrutura e capilaridade;
  • Fabricação nacional;
  • Expertise em TaaS e sólido relacionamento com clientes;
  • Expertise da alta administração;
  • Certificação OEA (Operador Econômico Autorizado).

Estratégia de crescimento

  • Expansão de TaaS. Entre 2014 e 2020 o crescimento na participação de TaaS nas vendas totais da Livetech da Bahia foi significativo, quase dobrando em termos de relevância. Em 2014, TaaS representou 20% do vendas totais enquanto em 2020 alcançou 39% do total vendas totais.
  • Expansão da Casa Conectada e dos negócios de energia solar. A Casa Conectada oferece a seus clientes uma tecnologia de automação moderna e descomplicada para deixar um ambiente mais funcional. Atualmente, 100% da produção pela Livetech da Bahia de equipamentos de energia solar ocorrem em Extrema/MG. Apesar da concentração na produção, as vendas dos painéis solares são realizadas em diversos Estados, prevalecendo Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo como os estados com maior número de clientes, equivalendo a 25%, 11% e 14% respectivamente, de nossa receita de Solar em 31 de dezembro de 2020. O uso de energias renováveis é cada vez mais estimulado por meio de conscientização popular e políticas públicas, tendo crescido de maneira exponencial com a popularização do seu uso.
  • Aquisições. Além do crescimento orgânico, a empresa pretende buscar aquisições estratégicas para a ampliação de mercado e oferta de novos serviços. São alvos da Livetech empresas que fornecem produtos que competem diretamente com a companhia; empresas que possuem serviços de valor agregado no TaaS; empresas com expertise em cibersegurança; e companhias com expertise em energia solar.

Principais fatores de risco

  • A companhia pode não conseguir acompanhar o rápido desenvolvimento tecnológico de seu setor de atuação ou modernizar adequadamente sua infraestrutura tecnológica para desenvolver e integrar novos produtos e serviços e/ou aperfeiçoar seus atuais produtos e serviços, o que poderá afetar sua competitividade e causar um efeito adverso relevante em seus resultados financeiros e operacionais.
  • A empresa pode não ser bem-sucedidos na execução de nossa estratégia de crescimento (orgânico e inorgânico), o que poderá afetar negativamente os planos para aumentar a receita e rentabilidade.
  • A Livetech da Bahia pode não conseguir ter acesso a novos financiamentos a termos atrativos para conseguir viabilizar suas necessidades de capital ou cumprir com suas obrigações financeiras.
  • O endividamento da empresa pode afetar sua capacidade de crescimento.
  • A companhia depende dos sistemas de transportes e infraestrutura, nacionais e internacionais, para importação e entrega dos produtos aos clientes. Eventos relacionados a estes fatores podem resultar em atrasos e riscos de entrega.

Dados econômico-financeiros

A empresa somou alta de 11,8% no lucro líquido do primeiro trimestre de 2021 (1TRI21). O indicador cresceu de R$ 10 milhões para R$ 11,2 milhões.

O Ebitda ajustado da empresa subiu 15,7% no primeiro trimestre de 2021. Mas a margem Ebitda caiu de 34,6% para 26,3%.

Já a receita líquida da Livetech da Bahia apresentou alta de 52,2% no 1TRI21.

Sobre o IPO da Livetech da Bahia

A Livetech da Bahia registrou seu pedido de IPO na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em fevereiro de 2021.

A empresa já definiu seu ticker: LVTC3. E será listada no Novo Mercado.

Em 23 de julho a empresa fixou o preço de sua oferta em R$ 23,20. O piso da faixa indicativa ia até R$ 25,75. Assim, a empresa levantou R$ 450 milhões.

O preço de subscrição da oferta restrita havia sido diminuído. Antes, o valor da faixa indicativa ia de R$ 25,75 a R$ 31,25.

Com a alteração na oferta, a distribuição é apenas primária.  São 19,4 milhões de ações ordinárias de emissão da WDC Networks. Mas poderá haver um acréscimo de 30% das ações. Ou seja, mais 5,82 milhões de ações ordinárias, além de um lote suplementar de 15%.

Os papéis da empresa estreiam na B3 no dia 26 de julho.

De acordo com o prospecto, a empresa deve usar os recursos líquidos provenientes da oferta para investimentos de capital (Capex) para aquisição de equipamentos destinados a locação; e para potenciais aquisições de empresas (M&As).

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias