Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Debêntures são títulos de dívidas e qualquer pessoa pode investir nesses ativos

Debêntures são títulos de dívidas e qualquer pessoa pode investir nesses ativos

Osni Alves

Osni Alves

04 Mai 2022 às 13:27 · Última atualização: 19 Jun 2022 · 10 min leitura

Osni Alves

04 Mai 2022 às 13:27 · 10 min leitura
Última atualização: 19 Jun 2022

Imagem mostra segmentos de empresas onde o investidor ode adquirir debêntures, como logística, aviação, cabotagem.

Você sabia que debêntures são títulos de dívidas e qualquer pessoa pode investir nesses ativos? Entretanto, não se deve confundir esse tipo de investimento com ações, pois não são.

Via de regra, pode-se afirmar que são um tipo de investimento em renda fixa em que o investidor se torna um tipo de “credor” da empresa.

E renda fixa é ideal para quem deseja alocar o dinheiro em aplicações mais seguras e com algum retorno garantido.

Se quiser saber mais, fique conosco, pois até o término deste artigo você vai saber tudo o que precisa para investir bem e com segurança. Prossiga na leitura!

Mas, afinal, o que são debêntures para as empresas?

Boa parte das empresas listadas – ou como chamamos companhias de capital aberto – se utilizam deste recurso quando pretendem se financiar.

Por isso, conceitualmente, debêntures são títulos de dívida emitidos por empresas. é como se você emprestasse dinheiro a uma companhia em troca de rendimento futuro. É uma maneira bastante interessante de fazer o dinheiro render.

Embora seja um tipo de investimento que não é de conhecimento dos investidores iniciantes, ele está ganhando mercado cada vez mais.

Para se ter ideia, em 2021 a procura por esse investimento dobrou em relação ao ano anterior, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Inclusive, é do interesse do mercado financeiro torná-lo cada vez mais conhecido e acessível. Isso porque o segmento pretende incentivar a diversificação por parte dos investidores.

Desta forma, procure ter isso em mente: debêntures são um investimento de renda fixa que oferecem juros futuros, com base na data de vencimento, quando o investidor recebe o valor aplicado somado ao rendimento informado.

Qual a diferença das debêntures e dos títulos públicos?

Se você quer saber a diferença entre as debêntures e os títulos públicos, seu questionamento tem uma razão de existir. Acontece que estas classes de ativos são, de fato, bastante parecidas, mas com a diferença que para emiti-las, é preciso ter destinação clara.

Na prática, significa dizer que as companhias costumam recorrer a essa solução quando querem pagar uma dívida ou expandir seus negócios. Ao adquirir a debênture, o investidor se torna credor da empresa até que ela seja quitada na data prevista.

Outro ponto importante é que a emissão de debêntures é registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e as unidades oferecidas nos bancos e corretoras de investimentos.

Em 2021, conforme a Anbima, foram mais de R$ 253,4 bilhões captados por meio desses títulos de dívidas, um recorde na série histórica.

Vale destacar, ainda, que a rentabilidade de uma debênture costuma ser mais atrativa do que outros produtos de renda fixa.

Como contraponto a este benefício, podemos dizer que seu prazo de vencimento também é maior que o dos concorrentes.

E existem tipos de debêntures?

Se você quer saber, agora, se existem tipos diferentes de debêntures, a resposta é sim. Para te auxiliar nessa tarefa de conhecer os principais, vamos elencá-los abaixo. Veja:

  • As debêntures simples são as mais fáceis de se encontrar em bancos e corretoras e tem como principal característica o prazo de vencimento longo, entre 2 e 10 anos. Dá ao investidor o direito de receber, em dinheiro, a quantia acrescida de juros acumulados durante o período;
  • Já as debêntures conversíveis são aquelas em que o investidor, depois do vencimento, consegue resgatar seu valor convertido em ações. Nesse caso, ele passa a ser acionista, e não mais credor, segundo as regras previstas no Fato Relevante;
  • Na sequência, as debêntures permutáveis possibilitam a conversão em valor de ações de outras empresas. ou seja, ao invés de resgatar em dinheiro, pode “trocá-la” por outra classe de ativos.
  • As debêntures incentivadas, por sua vez, são isentas de imposto de renda. Também são uma das modalidades mais vantajosas por oferecer maior possibilidade de rendimento. Esse tipo de título é exclusivo para empresas que tenham algum projeto de infraestrutura, que beneficie a sociedade, por isso contam com o incentivo tributário.

Vamos falar de quanto rendem as debêntures?

Se você quer saber, agora, quanto rendem as debêntures, é porque, possivelmente, está obtendo algum interesse nesse tipo de investimento. E isso é ótimo, pois elas são realmente boas. Dito isto, podemos explicar que existem três tipos de remuneração das debêntures.

Para que esta informação fique bem esmiuçada, vamos elencar item a item. Veja como ficam:

Tipos de remuneração

  • Prefixados: a taxa de juros é fixa e definida antes da compra. Exemplo: 10% ao ano;
  • Pós-fixados: os juros estão atrelados a algum índice econômico, como Selic, DI ou IPCA, com variação ao longo do tempo. Exemplo: 100% do CDI;
  • Híbridos: juntam a taxa prefixada com um índice econômico. Exemplo: IPCA + 6,5% ao ano;

Como eu faço para comprar/investir em debêntures?

Investir em debêntures é algo muito simples, bastando, para isso, que você recorra a uma corretora de valores. Para isso, é necessário abrir uma conta se cadastrando em uma instituição que oferece o produto, bem como preenchendo um questionário de suitability que define o perfil de cada investidor.

Depois disto feito, você deve abrir o home broker de investimentos, clicar na opção de renda fixa e escolher a debênture mais atrativa, com base nas informações disponíveis. Esses títulos não oferecem a possibilidade de compra fracionada. Ou seja, você deverá pagar o valor cheio de cada unidade, que pode variar entre empresas.

Vale ressaltar, ainda, que algumas debêntures só podem ser compradas pelos chamados “investidores qualificados”, aqueles que, segundo norma da CVM, são profissionais, experientes ou já investiram mais de R$ 1 milhão.

Mas esta classe de ativos é realmente segura?

Todas as pessoas que desejam acessar o mundo dos investimentos devem saber que este é um ambiente de risco, sempre, ainda que mais, para algumas classes de ativos, e menos, para outros veículos de investimentos.

Em relação às debêntures, saiba que diferentemente do Tesouro Direto e do CDB, não há um órgão que assegure ou indenize o pagamento destes títulos.

Então, é justo dizer que pode ocorrer de a empresa emissora não pagar ao final do prazo, mas isso é muito difícil de acontecer, pois seria como um “auto cancelamento” ou uma mancha na reputação da companhia que poderá ficar prejudicada para sempre.

Mas, ainda assim, compete a você escolher um título de dívida e, principalmente, verificar o risco de crédito da empresa, também conhecido como rating, informado antes da compra.

Entretanto, saiba que a corretora pode auxiliar em todo o processo, sempre. Então, recorra aos especialistas.

Imagem mostra empresários analisando debêntures de uma empresa.

Mas o que é rating?

Usado para definir o risco de crédito de uma instituição, o rating é, basicamente, uma classificação acerca de uma empresa ou ativo financeiro. Pense em algo como um score de países, empresas e bancos, indo de AAA (melhor nota) até D (pior nota). No Brasil, existem três principais agências de classificação de risco: Moody’s, Fitch e Standard & Poor’s.

Saiba que entre as informações da debênture, os bancos e corretoras de investimentos exibem a classificação de risco do emissor, o que dá ao investidor uma noção da capacidade da empresa de devolver o valor e os juros prometidos no momento da operação.

E existem taxas, tributos e outros tipos de cobrança sobre?

Se você quer saber se existem taxas, tributos e outros tipos de cobrança sobre as debêntures, a resposta é sim.

Saiba que os valores aplicados neste tipo de ativos estão passíveis de duas tributações, além das taxas cobradas pelas corretoras.

Podemos citar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), mas este só incide sobre os resgates feitos antes de completar um mês, em uma alíquota regressiva de 100% a 3% sobre os rendimentos.

De igual modo, há o Imposto de Renda, exceto nas incentivadas, e este varia entre 22,5% e 15% sobre os rendimentos, a depender do prazo de resgate, conforme tabela a seguir:

  • Tempo de investimento                       Alíquota
  • Até 180 dias (6 meses)                          22,5%
  • De 181 a 360 dias (1 ano)                    20%
  • De 361 dias a 720 dias (2 anos)             17,5%

Recorrendo a assessores para se municiar de todas as informações

Mesmo compreendendo tudo acerca de investimentos, é recomendável também contar com profissionais especializados na hora de fazer levantamentos, cálculos e decidir por vender ou segurar.

A EQI Investimentos, por exemplo, conta com mais de mil profissionais treinados para oferecer sempre a melhor assessoria sobre todo tipo de investimento. A empresa atende por telefone, chat, e-mail e coloca seu time à disposição para ligar aos interessados também.

Além disso, mantém no ar o portal Euqueroinvestir.com com notícias, artigos e análises de maneira a manter seu público sempre bem-informado. E não apenas isso, mas também um canal no YouTube com aulas, análises, call de mercado e tudo o que é essencial ao investidor, seja ele iniciante ou alguém cum uma carteira robusta.

EQI é BTG Pactual (BPAC11)

A EQI alcançou, recentemente, R$ 14 bilhões sob custódia, o que faz dela uma das maiores assessorias do país. Isso se dá também por conta dos muitos escritórios em cidades importantes, sendo capitais ou não.

Além disso, a EQI é associada do BTG Pactual (BPAC11), ou seja, tratar com a EQI é tratar com o maior banco de investimentos do Brasil, o que garante agilidade e segurança, além de uma infinidade de opções e operações à disposição do investidor.

Inclusive, o investidor que quiser se aprofundar ainda mais acerca da marcação a mercado pode obter, gratuitamente, um documento do próprio BTG. O objetivo, com isso, é municiar o investidor com todos os recursos possíveis, de maneira que ele conheça cada vez mais e se sinta seguro e confortável para fazer seus movimentos no mercado de capitais.Quer saber mais sobre debêntures e como investir? Então preencha este formulário que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para mostrar as aplicações disponíveis!

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias