Money Week
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Confira dicas para o equilíbrio financeiro e mental

Confira dicas para o equilíbrio financeiro e mental

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

10 Out 2021 às 10:01 · Última atualização: 10 Out 2021 · 7 min leitura

Redação EuQueroInvestir

10 Out 2021 às 10:01 · 7 min leitura
Última atualização: 10 Out 2021

equilíbrio financeiro

Várias famílias brasileiras já passavam por dificuldades financeiras, mas a pandemia agravou ainda mais esse problema. A perda de renda das famílias e o isolamento social trouxeram uma série de outras questões. Uma delas foi a necessidade de equilibrar o trabalho dentro de casa e o cuidado com a família. Outra, a falta de horário de término do expediente.

Segundo dados coletados pelo Índice de Saúde Financeira dos Brasileiros – I-SFB FEBRABAN, cerca de 69% das pessoas chegam ao final do mês no negativo ou no empate financeiro, sem conseguir guardar dinheiro. E 58% delas vivem estresse dentro de casa por causa de compromissos financeiros.

Os números são um retrato da pesquisa até o final de agosto de 2021, totalizando 4.863 entrevistados.

Dívidas tornam as situações ainda mais complexas

Os casos de depressão subiram 90% nos primeiros meses da pandemia e o número de pessoas com crises de ansiedade e estresse agudo praticamente dobrou no período, de acordo com estudo feito pela Universidade do Rio de Janeiro e publicado pela revista The Lancet.

Para quem está endividado, as coisas se tornam ainda mais complexas e surge, nesse cenário, uma estreita relação entre saúde financeira e saúde física e mental.

Nesse momento é importante saber que você não está sozinho e que há toda uma rede de apoio que pode ajudar você a atravessar esse momento. Confira a seguir dicas e saiba quem pode te ajudar.

Analise as dívidas e trace uma estratégia para pagá-las

Saber que têm um problema com as contas já é o primeiro passo para pagá-las. Tendo isto em mente, coloque na ponta do lápis e anote todas as suas dívidas, até aquelas consideradas quase impossíveis de se pagar. Ao registrá-las em um papel ou numa planilha, as contas agora são visíveis. E com isso fica mais fácil realizar uma análise sobre elas.

Com as contas anotadas, é possível fazer duas coisas: organizar o orçamento e entender o tamanho do passivo. Organizar o orçamento é prioridade para quem deve, pois com a organização você define e distribui o dinheiro da melhor forma.

Após organizar o orçamento, trace uma estratégia de como irá pagar as pendências. Verifique o tamanho delas e se elas se encaixam no seu orçamento. Mais uma vez, dê prioridade ao pagamento das contas.

Com uma estratégia bem definida, você consegue traçar metas e até mesmo um tempo para se livrar das dívidas.

Negocie com os credores

Se mesmo com a análise e a estratégia, as dívidas estiverem estourando o orçamento, você pode procurar os credores para negociar.

Mesmo a quem tem o nome negativado, muitas empresas e credores oferecem descontos e condições especiais para pagamento. Por isso, organize-se e faça uma proposta para quem você está devendo. Em muitos casos, o problema é bem menor do que o imaginado.

Além dos próprios credores, você pode verificar se há propostas em sites como o consumidor.gov.br ou no Serasa. Caso a empresa seja conveniada com essas agências, é possível pagar as dívidas com descontos de até 90% do valor total.

Livre de dívidas, você consegue conquistar os seus objetivos com planejamento e muita paciência.

Apoio jurídico para resolver pendências financeiras

Em algumas situações o descontrole do orçamento gera pendências financeiras e jurídicas no qual o apoio jurídico é fundamental para sair de uma situação complicada.

Nesse caso é possível contar com o apoio de organizações que prestam orientação jurídica e intermediam a renegociação de dívidas, nos casos que não há acordo entre as partes.

Veja um passo a passo para sair das dívidas

Para sair do endividamento, é necessário colocar um plano no papel, um passo a passo que funcionará como uma bússola na direção da saúde financeira e de uma vida organizada e bem mais tranquila.

Reveja seu estilo de vida

Viver um degrau abaixo do padrão de vida que sua renda permite é o principal caminho para a saúde financeira. Vale reavaliar os gastos com moradia, água e energia e meios de transporte, por exemplo. O objetivo é chegar ao final do mês com alguma sobra, mesmo que pequena, para poupar e investir. Faça uma caça aos gastos invisíveis e economize!

Forme uma reserva de emergência

Todas as pessoas sonham com a independência financeira. Porém, há alguns passos a serem traçados nessa jornada. O primeiro deles é se preparar para as imprevistos com uma reserva de emergência.

Em períodos de crise, quem não está preparado com uma boa reserva está mais suscetível a reduzir seu padrão de vida por conta dos endividamentos feitos. Para evitar essa situação, devemos nos planejar e montar uma reserva suficiente para superarmos os períodos de baixa. E como não sabemos quando períodos inesperados virão, o melhor a fazer é deixar a reserva pronta.

Desta forma, o dinheiro para emergências deve estar sujeito a um baixíssimo risco e também deve ser acessível a qualquer momento, ou seja, ter grande liquidez. Logo, o foco dessa reserva não é aumentar seu patrimônio consideravelmente, nem gerar renda passiva no futuro, mas sim estar lá quando surgirem imprevistos.

Controle no cartão de crédito

O cartão de crédito nos ajuda com parcelamentos, inclusive viabilizando compras de valores maiores, mas precisa ser usado com planejamento. Se o valor da fatura vem maior do que o saldo da conta e empurramos uma parte do pagamento para o mês seguinte, além de pagar os juros do crédito rotativo, ainda corremos o risco do descontrole. Por isso, sempre pague o cartão em dia e no valor integral. Leia mais em Como usar o cartão de crédito de forma inteligente e De olho no cartão de crédito.

Controle seus gastos

Gastar menos do que se recebe parece óbvio, apesar disso implementar uma nova rotina não é tarefa fácil. Por isso, segue um passo a passo para auxílio.

Primeiro passo: elenque todos os gastos. Utilize planilha de Excel, a caderneta de papel ou o aplicativo do cartão bancário. Em seguida, categorize em 8 perfis: moradia, alimentação, saúde, transporte, educação,  impostos e diversão

Segundo passo: reflita se os números estão adequados à renda e aos planos para o futuro. A princípio, enumere prioridades. Em seguida, procure substitutos, pesquise preços e troque o consumo mais caro por um mais barato, por exemplo: o restaurante, o supermercado, a marca do vestuário. Posteriormente, busque a moderação, quantas refeições fora de casa podem ser substituídas pela comida de caseira? Ou qual percurso de carro próprio pode ser feito por transporte público, aplicativos de transporte, ou mesmo carona?

Terceiro passo: adquira necessidades que ainda não possuiu. Afinal, com o consumo menor você terá mais caixa para bens e serviços essenciais, que pretende possuir.

Quarto passo: não se esqueça da diversão. Este é o grande segredo do planejamento financeiro. Afinal, convívio com a família e amigos é fundamental para garantir qualidade de vida. Privações podem trazer riqueza, mas não felicidade.

Todo esse dinheiro que pode ser economizado por meio de uma caça aos seus gastos invisíveis também podem voltar para você com um bom investimento.

Comece com pouco, pesquise sobre o assunto e entenda que tipo de investimento faz sentido para você. Essa, com certeza, é uma maneira inteligente de fazer o seu dinheiro trabalhar para você.

  • Quer saber mais sobre educação financeira e investimentos? Faça sua inscrição na Money Week, evento online e gratuito que acontece entre os dias 25 e 29 de outubro, com mais de 50 convidados que vão falar e tirar dúvidas sobre o cenário econômico atual, balanceamento de carteira, renda fixa e diversos outros temas. Clique aqui para se inscrever.
A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias