Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Como proteger seu dinheiro da inflação? Entenda aqui!

Como proteger seu dinheiro da inflação? Entenda aqui!

Elias Wiggers

Elias Wiggers

07 Set 2022 às 09:59 · Última atualização: 07 Set 2022 · 5 min leitura

Elias Wiggers

07 Set 2022 às 09:59 · 5 min leitura
Última atualização: 07 Set 2022

Imagem mostra brasileiros no supermercado.

Você sabe que a inflação afeta o consumo e a vida das pessoas, certo? O que você talvez não saiba é que, quando o assunto é investimento, a inflação pode ser uma aliada.

Por isso, nós vamos explicar, neste artigo, o que é a inflação, quais índices a medem aqui no Brasil e como proteger seu dinheiro da inflação.

Como proteger seu dinheiro da inflação. O que é a inflação, afinal?

Imagine que você foi ao supermercado e encontrou o preço do feijão mais caro do que no mês anterior. Isso não é necessariamente inflação, no entanto: pode ser apenas um reflexo da falta ou do excesso de chuva.

Inflação é o aumento geral e persistente dos preços de produtos e serviços. Ou seja, quando todos eles sobem de preço ao mesmo tempo, e por um longo período. Ela também pode ser ocasionada quando há um aumento de preço num produto essencial para a população, como por exemplo os combustíveis, que são de difícil substituição e pesam sobre o transporte dos produtos.

Uma forma simples de perceber a inflação é quando você vai a uma loja ou ao supermercado e vê que os preços dos produtos não são os mesmos que era praticados um ou dois anos atrás.

O aumento no preço dos veículos exemplifica bem isso: no início de 2020 era possível comprar um carro popular por cerca de R$ 35 mil; hoje, ele custa em média R$ 60 mil.

Causas e consequências da inflação

Assim, o crescimento da inflação impacta diretamente na vida das pessoas, porque corrói o poder de compra, uma vez que desvaloriza a moeda, e gera empobrecimento. Isso tudo reduz o consumo e afeta as empresas, que passam a vender menos produtos e a faturar menos.

Com isso, as empresas deixam de investir em contratação de novos colaboradores e ampliação das fábricas, cancelando ou postergando investimentos e reduzindo a atividade econômica como um todo.

Alguns fatores econômicos também podem afetar os índices de inflação, como a variação na oferta e na demanda de produtos. Quando há aumento da demanda, o preço tende a sumir.

Por exemplo, no começo da pandemia de Covid-19, houve um aumento na demanda de álcool em gel, e isso fez com que o produto aumentasse muito de preço.

Ou seja, quando a procura por um produto ou serviço é maior que a sua oferta, é natural que o produto suba de preço. E aí, quando esse aumento acontece de forma gradual, com diversos produtos, ocorre o fenômeno da inflação generalizada.

Os índices de inflação no Brasil

A inflação tem um impacto direto na vida do consumidor, desde a alimentação básica até o preço dos imóveis. E é por isso que existem vários índices que medem a inflação no Brasil. Vamos ver quais são:

IPCA (índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo)

É o principal dos índices, porque abrange 90% da população urbana do país. O IPCA mede a inflação de produtos e serviços consumidos pelas famílias, como habitação, vestuário, transporte, alimentação, saúde e educação. Ele é medido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

IGP-M (Índice Geral de Preços ao Mercado)

Outro índice muito importante, é usado para medir a inflação da indústria e do comércio, ou seja, uma inflação de atacado, que tem impacto direto no reajuste de tarifas e de contratos de aluguel. É medido pela FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Como proteger seu dinheiro da inflação? Descubra

De uma forma geral, a inflação também reduz a rentabilidade real dos investimentos. Afinal, existe uma rentabilidade normal e a rentabilidade real, que é aquela que vem quando você desconta a inflação da sua rentabilidade.

Assim, se o investimento faz o seu dinheiro aumentar, mas a inflação faz diminuir o poder de compra, então você vai precisar de mais dinheiro no futuro para comprar a mesma coisa. Logo, se o seu rendimento nominal for igual à inflação do período, na prática seu dinheiro não está rendendo nada.

Então, e melhor você buscar investimentos que paguem a taxa de inflação, mais um adicional de juros, para que seu dinheiro não perca o poder de compra. É o que chamamos no mercado de “ganho real”.

Assim, uma forma de se proteger é investir em ativos que são atrelados à inflação, ou seja, investimentos em renda fixa, tais como:

Se você quer saber como investir melhor, baixe agora o guia de investimentos em renda fixa e aprenda a obter bons rendimentos em seus investimentos. É gratuito: basta clicar para ter acesso às melhores dicas sobre como proteger seu dinheiro da inflação.

Por Elias Wiggers, assessor de wealth management.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias