Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
O que é come-cotas? Entenda aqui a cobrança que incide nos fundos de investimento

O que é come-cotas? Entenda aqui a cobrança que incide nos fundos de investimento

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

18 Dez 2021 às 10:00 · Última atualização: 08 Jun 2022 · 3 min leitura

Redação EuQueroInvestir

18 Dez 2021 às 10:00 · 3 min leitura
Última atualização: 08 Jun 2022

Conhecer o come-cotas é crucial para quem deseja começar a investir, isso porque é um imposto que recai sobre as aplicações financeiras e e interfere de forma direta nos seus lucros finais. Saiba mais neste artigo.

O que é come-cotas?

Este é o nome dado a uma cobrança calculada sobre os seus rendimentos, ou seja, é uma taxa que recai direto em seus fundos de investimentos de modo direto sobre as aplicações feitas nele. De modo geral, é uma antecipação do imposto de renda que acontece a cada seis meses.

A quantia é recolhida duas vezes no ano e sempre é no último dia do mês de maio e de novembro. Dessa forma, recebeu esse nome devido a sua forma de atuação que deduz todo semestre da cota dos fundos.

Qual o valor do imposto

O valor é descontado conforme a alíquota do imposto de renda e varia entre 15% e 20%. Assim, eles equivalem aos menores percentuais sobre os investimentos feitos para longo ou curto prazo. Portanto, é um item presente para quase todos que aplicam em carteiras.

Come-cotas atinge todos os fundos?

A cota não é válida para todos os investimentos, são apenas alguns que estão sujeitos a els. Então, para que você saiba quais são, os fundos estão listados a seguir:

  • Cambiais;
  • DI;
  • Renda Fixa;
  • Multimercado.

Os tipos mais comuns que não possuem a taxa são os de ações e de previdência. Isso porque o imposto de renda é cobrado apenas quando o investidor faz o resgate.

Como funciona o come-cotas?

O come-cotas é bem simples de entender, já que não depende das interferências do investidor. Então, ele atua na prática, como uma cobrança automática sobre os rendimentos que ocorre a cada seis meses.

É considerada uma cobrança antecipada porque ocorre duas vezes por ano e não apenas na alíquota final. Dessa forma, a incidência do imposto de renda segue uma tabela regressiva para a maioria dos fundos onde há variação dos valores com relação ao tempo.

  • Fundo de curto prazo: varia entre 20 e 22,5%;
  • Fundo de longo prazo: varia de 15% a 22,5%.

Todo final de semestre então há uma redução do número de cotas do investidor. Assim, ela diminui de forma equivalente ao percentual do IR sobre os rendimentos da aplicação. Assim, toda vez que se cobra o imposto a quantia cai.

Como identificar?

É importante que o investidor preste atenção no seu extrato a cada seis meses, já que nele vai constar um resgate das cotas. Ainda é importante saber que a taxa incide apenas sobre o rendimento do período.

Quando for aplicar em um fundo de investimento, é necessário prestar atenção neste item. Isso porque ele deve influenciar muito a sua decisão final sobre onde colocar ou não seu dinheiro.

Desvantagens dos investimentos

Antes de começar a sua carteira leve em conta os custos que ela vai apresentar com tributos e taxas administrativas. Dessa forma, considere também as variações apresentadas em função do come-cotas.

A grande desvantagem do imposto é a retirada dos rendimentos valorizados ao longo do semestre. Portanto, os casos em que só há impostos no momento do saque têm valorização de cotas maiores e por mais tempo.

Pense bem antes de investir

Todo dinheiro retirado de uma aplicação antes do prazo de resgate deixa de somar benefícios. Assim, não rende nenhum juros compostos. Então, mesmo que o valor pareça não fazer diferença, a longo prazo será significativo.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias