Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
BTG (BPAC11) vê crescimento gradual para a Suzano (SUZB3) em 2022

BTG (BPAC11) vê crescimento gradual para a Suzano (SUZB3) em 2022

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

10 Fev 2022 às 19:27 · Última atualização: 24 Jun 2022 · 3 min leitura

Redação EuQueroInvestir

10 Fev 2022 às 19:27 · 3 min leitura
Última atualização: 24 Jun 2022

BTG

Divulgação

O BTG Pactual (BPAC11) analisou a Suzano (SUZB3) após a companhia reportar os seus números do 4T21, e de acordo com a instituição financeira, a empresa que atua no setor de papel e celulose ainda é uma boa opção para investimentos, com ações no preço-alvo de R$ 92. A recomendação é de compra.

O Ebitda – que são os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização, da companhia obtiveram o valor de 6.3 bilhões, o que é considerado estável e dentro das estimativas. O maior obstáculo da SUZB3 foi o custo de caixa que subiu, porém o valor foi balanceado pelo preços da tonelada da celulose, que chegou a US$ 10, o que está acima da expectativa do Banco BTG.

Outro aspecto relevante está associado ao fluxo de caixa da Suzano, e de acordo com o BPAC11, existe a possibilidade de aumento dos preços no mercado de celulose nas próximas semanas, o que pode garantir um tom mais otimistas para os próximos meses.

BTG (BPAC11): preços acima do esperado

Os embarques de celulose de 2,7Mt foram 2% maiores no comparativo com o terceiro trimestre e superior em relação ao ano anterior. A Suzano conseguiu a redução de – 4% no valor dos embarques, o que representa um lucro de US$ 630/t. O custo de caixa, obteve o resultado de R$ 747/t, o que é alinhado com a estimativa do BTGe.

Dentro do seguimento de celulose, o Ebitda da SUZB3 teve lucro de R$ 600 milhões devido ao aumento dos preços e volumes mais altos na produção, o que é 2% superior no comparativo com o 3T21.

Controle do balanço patrimonial

A Suzano divulgou uma dívida líquida e estável  de R$ 58,2 bilhões no trimestre, com o valor do fluxo de caixa em R$ 1,87 bilhão, quantia esta, que está 10% abaixo do yield anual.

De acordo com a Banco BTG Pactual,  o atual estado da SUZB3 é  considerados decente, já que a empresa consegue aliar as despesas financeiras ao capex de crescimento.

A companhia que atua no setor de celulose encerrou o ano com 2,5x Dívida Líquida/Ebitda, o que pode garantir uma possível alavancagem em 2022. Estas estimativas representam um conforto maior para a Suzano e seus acionistas.

Conclusão

A SUZB3 está inserida em um contexto de crescimento e existe a expectativa no aumento do preço da celulose e da matéria prima a longo prazo.  Atualmente, o setor conta com valores em alta e com um nível baixo de oferta, porém a Suzano optou por uma estratégia mais conservadora. Com níveis de valuation barato (~6x EV/EBITDA 22),  a empresa pode conseguir a curva de preço a US$ 520/t.

Outra questão que merece destaque é o VPL negativo ao projeto Cerrado, que é considerado um referencial no setor. Por fim, de acordo com o Banco BTG, a Suzano é vista como uma boa alternativa para investidores ao longo deste ano.

 

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias