Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Resumo da semana: Twitter vendido, big techs em baixa e mercado de olho nos juros

Resumo da semana: Twitter vendido, big techs em baixa e mercado de olho nos juros

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

30 Abr 2022 às 01:14 · Última atualização: 30 Abr 2022 · 8 min leitura

Redação EuQueroInvestir

30 Abr 2022 às 01:14 · 8 min leitura
Última atualização: 30 Abr 2022

resumo da semana: foto de calendário

Reprodução/Pixabay

O resumo da semana é que as big techs e a expectativa quanto aos juros deram o que falar.

Logo no início da semana, o mercado se agitou com o anúncio de compra do Twitter por Elon Musk, da Tesla.

Na sequência, os balanços das grandes de tecnologia vieram, na maioria, insatisfatórios.

Os resultados coincidem com a queda no Produto Interno Bruto (PIB) americano, apontando que a economia deu uma boa esfriada no início do ano.

No Brasil, destaque para os dados de inflação e emprego e para as apostas para a Selic.

Confira os destaques do resumo da semana.

Resumo da semana no Brasil

Apostas para a Selic

O resumo da semana destaca que o mercado segue avaliando as apostas para a Selic. Isso porque dia 4 acontece a Super Quarta, quando Copom e Fomc, comitês de política monetária daqui e dos EUA, definem as taxas de juros.

No Brasil, é unânime que a Selic vá a 12,75%, dos atuais 11,75%. A dúvida fica quanto ao passo seguinte: se será de 0,25% ou 0,5%. Para o BTG Pactual, a Selic fecha o ciclo de alta em 13,25%.

gráfico com projeção para Selic

Projeção Selic. Fonte: EQI Asset

Tá, mas e aí? O que isso diz ao investidor?

Mesmo fechando o ciclo de alta, a Selic permanece elevada (basta lembrar que a escalada começou com 2% de juros).

No entanto, o fim do ciclo aponta para outros ativos que devem passar a fazer parte do radar do investidor: pré-fixados, IPCA+ e ações de valor. Confira as recomendações da EQI Investimentos para este cenário.

Resumo da semana e a prévia da inflação

Às vésperas da reunião do Copom, que deve elevar a Selic a 12,75% daqui uma semana, o destaque é a escalada do IPCA-15.

A prévia da inflação oficial de abril acelerou para 1,73%, ante 0,95% de março. Apesar de ter vindo abaixo da projeção, essa foi a maior variação mensal do indicador desde fevereiro de 2003 (2,19%). A alta da gasolina foi o maior impacto no indicador.

Gráfico de variação do IPCA-15

Reprodução/IBGE

Focus de volta, ao menos até dia 2

Os servidores do Banco Central deram uma trégua na greve até dia 2 de maio, a tempo de divulgar o Focus antes da definição da nova Selic, que acontece no dia 4 – e que deve levar a taxa de juros a 12,75%.

Como já era esperado, houve alta na projeção para a inflação e para a Selic.

A taxa básica de juros agora tem projeção de 13,25% ao ano, de 13% de quatro semanas atrás.

O PIB foi revisto para cima pelo Focus, a 0,65%. E a expectativa para o câmbio caiu a R$ 5.

Boletim Focus

Reprodução/BC

Dados de emprego

O Ministério do Trabalho divulgou o Caged de março, que apontou um saldo positivo de 136.189 vagas formais de emprego. O crescimento foi em ritmo reduzido em relação a fevereiro, quando o saldo havia sido de 328 mil vagas.

gráfico do Caged de março

Reprodução/Ministério do Trabalho

A Pnad, do IBGE, apontou estabilidade na taxa de desemprego no trimestre encerrado em março, ficando em 11,1%, mesma leitura do trimestre anterior, mas com queda de 3,8 ponto porcentual na comparação anual.

Pnad contínua: gráfico com taxa de desocupação

Reprodução/IBGE

Aumento da CSLL

A semana também teve aumento, via Medida Provisória, da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) dos bancos de 20% para 21% e das corretoras de 15% para 16%.

Inflação do aluguel

A FGV divulgou o IGP-M, inflação do aluguel, de abril, que subiu 1,41%, com recuo ante 1,74% do mês anterior. A alta é de 6,98% no ano e de 14,66% em 12 meses.

Temporada de balanços

Na temporada de balanços do Brasil, o destaque principal é para a Vale (VALE3), que decepcionou com o balanço do primeiro trimestre, vindo com resultado abaixo das projeções.

A empresa teve lucro líquido de US$ 4,458 bilhões no 1TRI22, queda de 19,6% na comparação com igual período de 2021.

No entanto, os papéis da empresa são favorecidos pela alta do minério de ferro, com notícias de controle da Covid na China e estímulos à economia por lá. A empresa ainda foi acusada pela SEC esta semana, por questões relacionadas a Brumadinho.

Veja os demais balanços divulgados:

  • Gol (GOLL4) reporta lucro líquido de R$ 2,6 bi no 1TRI22, revertendo prejuízo de R$ 2,5 bi no 1TRI21.
  • Embraer (EMBR3) informa prejuízo líquido ajustado de R$ 428 milhões no 1TRI22, 18% menor que o 1TRI21.
  • Kepler Weber (KEPL3) informa lucro líquido de R$ 94,5 milhões, resultado que é 400% maior do que no 1TRI21.
  • Odontoprev (ODPV3) teve lucro líquido de R$ 161,5 milhões no 1TRI22, resultado 48% maior do que no 1TRI21.
  • Vamos (VAMO3) reporta lucro líquido de R$ 121,9 milhões no 1TRI22, alta de 66,4%.
  • Dexco (DXCO3) tem lucro líquido recorrente de R$ 198,322 milhões no 1TRI22, queda de 10,8% frente ao 1TRI21.
  • Irani (RANI3) tem lucro líquido de R$ 112,1 milhões, alta de 97,8%.
  • Multiplan (MULT3) tem lucro líquido de R$ 171,5 milhões no 1TRI22, alta de 270,5% ante o 1TRI21.
  • Hypera (HYPE3) lucra R$ 349,5 milhões, alta de 13,6%.
  • Grendene (GRND3) tem lucro líquido de R$ 125,3 milhões, com queda de 4,9%.
  • Paranapanema (PMAM3) reverte prejuízo de R$ 402,3 milhões do 1TRI21 e obtém lucro de R$ 168,7 milhões no 1TRI22.
  • WEG (WEGE3)reporta lucro líquido de R$ 943,9 milhões no 1TRI22, alta de 23,5% em relação a igual período do ano passado.
  • Neoenergia (NEOE3) tem lucro líquido de R$ 1,212 bilhão no 1TRI22, com alta de 20%.
  • Romi (ROMI4) tem lucro de R$ 30,388 milhões, alta de 47%.

EQI e Mercado Bitcoin

A EQI Investimentos e o Mercado Bitcoin anunciaram um acordo para a venda cruzada de ativos.

Com o negócio, os clientes EQI passam a ter a compra direta de todo cardápio de criptoativos do Mercado Bitcoin à disposição, ao passo que os clientes do Mercado Bitcoin podem a acessar todos os produtos financeiros oferecidos pela assessoria.

Prestes a virar corretora, a EQI também anunciou recentemente a compra de participação na casa de análises Monett e a criação de um braço (EQI Tech) para incubar gestoras de recursos menores dentro da EQI Asset.

Resumo da semana no exterior

Expectativa pelo Fomc

Nos EUA, é grande a expectativa pelo aumento de 0,5 ponto porcentual nos juros em 4 de maio.

Sobre isso, o PCE, medida favorita do Federal Reserve para medir a inflação, veio em linha com o esperado (0,9%), intensificando as apostas de uma escalada mais acelerada dos juros.

Com a alta de juros nos EUA, o capital tende a migrar para os papéis do tesouro americano, considerados os ativos mais seguros do mundo. Logo, perdem os ativos de risco e os mercados emergentes.

PIB abaixo das projeções

O Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA caiu inesperadamente no primeiro trimestre em 1,4% em relação ao ano anterior, ante expectativa de crescimento de 1%.
gráfico com PIB EUA 1TRI22

Reprodução/BEA

Twitter e Musk roubam a cena

O resumo da semana destaca a venda do Twitter para Elon Musk.

O homem mais rico do mundo pagará US$ 54,20 por ação e fechará o capital da empresa. Sua intenção, diz, é garantir liberdade de expressão até mesmo para o seu pior crítico.

Queda das big techs

O Nasdaq teve, neste mês, seu pior ritmo desde março de 2020, puxado para baixo pela alta de juros nos EUA, que desfavorece as ações de crescimento, mas também pelos fracos resultados de boa parte das grandes empresas de tecnologia.

Alphabet (GOGL34) reportou lucro por ação de US$ 24,62, contra US$ 25,91 esperados.

O prejuízo da Amazon (AMZO34) foi de US$ 3,8 bilhões, ou US$ 7,38 por ação. De acordo com a FactSet, um lucro de US$ 8,36 por ação era esperado.

Meta (Facebook) reportou lucro líquido de US$ 7,47 bilhões no 1TRI22, com queda de 21% na comparação com igual período de 2021.

Já a Apple (AAPL34) lucrou US$ 25,010 bilhões. Um ano antes, a companhia havia registrado lucro de US$ 23,630 bilhões. Os ganhos por ação foram de US$ 1,52, contra US$ 1,43 do consenso de Wall Street.

Microsoft (MSFT34) também teve resultado positivo: lucro por ação ajustado em US$ 2,22, contra uma expectativa de US$ 2,19.

Estímulo chinês

Por fim, no resumo da semana, o Banco Central chinês afirmou que irá cortar a taxa de compulsório em 1 ponto percentual, a 8%, a partir de 15 de maio, para “melhorar a capacidade das instituições financeiras de usar fundos em moeda estrangeira”.

Novos estímulos à economia são aguardados para a próxima semana, o que ajuda na valorização das commodities.

  • Gostou do resumo da semana e quer saber mais sobre como investir corretamente? Então, preencha o formulário para um assessor da EQI Investimentos entrar em contato!
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias