Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
PIB dos EUA desacelera para 2,3% no 3TRI21, mas acima da projeção

PIB dos EUA desacelera para 2,3% no 3TRI21, mas acima da projeção

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

22 Dez 2021 às 14:18 · Última atualização: 22 Dez 2021 · 2 min leitura

Redação EuQueroInvestir

22 Dez 2021 às 14:18 · 2 min leitura
Última atualização: 22 Dez 2021

A Anfavea prevê um crescimento de até 6% em relaação a 2021, uma produção bem menor do que nos anos anteriores.

A Anfavea prevê um crescimento de até 6% em relaação a 2021, uma produção bem menor do que nos anos anteriores.

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos (EUA) desacelerou no terceiro trimestre (3TRI21) deste ano. E com isso registrou 2,3% contra 6,7% no segundo trimestre. No entanto, ficou um pouco acima da projeção de mercado, que era de 2,1%. Os dados da economia norte-americana foram divulgados nesta quarta-feira (22) pelo Bureau of Economics Analysis (BEA).

De acordo com o departamento, o aumento foi revisado para cima em 0,2 ponto percentual em relação à segunda estimativa divulgada em novembro. A desaceleração do PIB no 3TRI21 foi liderada por uma redução das despesas de consumo.

Além disso, o reaparecimento de casos da covid-19 resultou em novas restrições e atrasos na reabertura de estabelecimentos em algumas partes do país. Outro fator que afetou negativamente o resultado foi a redução de pagamentos de assistência governamental a empresas, concessões a governos estaduais e locais e benefícios sociais.

Ainda segundo o departamento norte-americano, os efeitos econômicos totais da pandemia não podem ser quantificados na estimativa do PIB para o 3TRI21 porque os impactos são geralmente incorporados aos dados de origem e não podem ser identificados separadamente.

PIB dos EUA

PIB dos EUA reflete aumento no investimento privado

Do lado positivo, a formação do PIB refletiu aumentos dos investimentos privados, gastos de governos estaduais. Estes fatores foram parcialmente compensados ​​por reduções nas exportações, investimento fixo residencial e gastos do governo federal.

Os investimentos privados resultado em melhores resultados no comércio atacadista (liderado por indústrias de bens não duráveis) e no comércio varejista (liderado por concessionárias de veículos automotores e peças).

Já o aumento nas despesas de consumo pessoal refletiu uma elevação nos serviços. Neste segmento, as maiores contribuições vieram de segmentos como viagens internacionais e serviços de transporte.

A diminuição no consumo de bens duráveis refletiu principalmente uma diminuição nos gastos com veículos e de peças. Já o aumento nos gastos dos governos estaduais e prefeituras foram encabeçadas pelas despesas com pessoal. Principalmente com profissionais da área de educação.

Decréscimo de gastos residenciais

A redução dos gastos fixos residenciais refletiu principalmente os novos arranjo familiares, cujos gastos são menores do que as famílias consideradas tradicionais.

A redução nos gastos do governo federal refletiu principalmente a queda nas despesas relacionadas à bens e serviços intermediários. E também o encerramento, no segundo trimestre, do Programa de Proteção ao Pagamento por bancos, realizado pelo governo federal.

A queda nas exportações refletiu quedas tanto em bens quanto em serviços. O aumento nas importações refletiu principalmente um aumento nos serviços – liderados por viagens e transporte.

Hoje também foi divulgado o PIB do Reino Unido, que avançou 1,3% no terceiro trimestre, em linha com a projeção. Na comparação anual, a alta é de 6,6%.

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias