Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Diversificação da carteira de investimentos pela Regra dos 100

Diversificação da carteira de investimentos pela Regra dos 100

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

29 Ago 2021 às 10:00 · Última atualização: 29 Ago 2021 · 2 min leitura

Redação EuQueroInvestir

29 Ago 2021 às 10:00 · 2 min leitura
Última atualização: 29 Ago 2021

renda fixa

Talvez você ainda não tenha ouvido falar, mas existe uma regra clássica no universo financeiro que relaciona a sua idade com o tanto que você deve poupar.

“100 menos a sua idade” é um termo utilizado por investidores em todo o mundo, e parece dar certo.

A ideia é ajudar a definir os limites na carteira de investimentos, e isso inclui renda fixa, variável, e dentro desta, os fundos imobiliários e as ações.

A regra força o investidor a reduzir gradualmente os seus riscos financeiros à medida que envelhece.

Entenda a regra

A regra dos “100 menos a sua idade” significa subtrair a sua idade do número 100. Este resultado será o máximo que a carteira principal de investimentos deve ter em renda variável. Nesta classe, você pode optar ainda por fundos imobiliários e ações, por exemplo.

O restante será destinado para os investimentos em ativos de renda fixa.

Neste caso, se João* tem 30 anos. Devemos subtrair este número de 100, logo, temos 70.
João* deveria manter no máximo 70% de seus investimentos em renda variável.

Já os outros 30% devem ir para a renda fixa.

A regra muda para países de economia desenvolvida, onde o juro da renda fixa é muito baixo ou negativo, sendo utilizado 110 e não 100 para deduzir a idade.

Uma lógica por trás

A regra dos 100 tem um motivo: evitar que os mais idosos tenham grande parte da carteira de investimentos concentrada em renda variável.

Se diz que um jovem com 20 anos está na fase de correr riscos, por isso ele pode sim manter um percentual maior de suas finanças em renda variável.

Já os mais velhos estão na fase de viver bem dos investimentos que fizeram há anos atrás.

Sendo assim, devem preservar o que já tem e arriscar pouco nos investimentos.

A idade é importante mas não é tudo

A composição inicial da sua carteira pode ser pensada a partir da idade, mas as características de cada ser humano também contam muito.

Existem jovens que preferem carteiras com retornos estáveis (baixa volatilidade) e alta liquidez (a maior parte do dinheiro pode ser sacado sem perdas e imediatamente).

Em troca essas pessoas aceitam uma rentabilidade menor, desde que seja constante e com disponibilidade.

Já as pessoas mais maduras, que muitas vezes já estão estabilizadas no trabalho e na moradia, podem possuir uma renda maior, logo, menos necessidade de saques imediatos.

Além disso, se pouparam durante a vida, elas possuem mais recursos disponíveis para diversificar na renda variável, com ações e fundos imobiliários, por exemplo.

Essa maturidade também conta na hora de buscar novos conhecimentos para diversificar a carteira com paciência e controle emocional diferente do jovem.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias