Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Debêntures: o que são, como escolher e o que analisar

Debêntures: o que são, como escolher e o que analisar

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

11 Dez 2021 às 19:00 · Última atualização: 10 Ago 2022 · 4 min leitura

Redação EuQueroInvestir

11 Dez 2021 às 19:00 · 4 min leitura
Última atualização: 10 Ago 2022

debêntures

As debêntures funcionam de forma parecida com os títulos públicos do Tesouro Direto e títulos emitidos por instituições financeiras, como o CDB, a LCI e a LCA. Ao invés do investidor financiar a dívida pública ou emprestar dinheiro para instituições financeiras, ao escolher uma debênture, ele contribui para o financiamento de grandes projetos de empresas privadas. Assim como no pagamento de dívidas ou expansão do capital. Com isso, a rentabilidade para o investidor tende a ser maior em comparação com outros títulos de renda fixa, devido ao maior risco.

No caso das empresas, torna-se interessante a emissão de títulos de debêntures, uma vez que os empréstimos bancários tendem a ter juros maiores. Portanto, emitir esses títulos é uma forma de captar recursos de maneira mais atrativa.

Debêntures: como escolher?

Antes de escolher uma debênture, é importante avaliar o perfil do investidor. Geralmente, as debêntures são escolhidas por pessoas com perfis mais moderados e arrojados. Seguindo a lógica do mercado, quanto maior o risco, maior é a remuneração.

Sendo assim, é importante avaliar a empresa que está emitindo o título bem como seus potenciais riscos. Uma forma de verificar se a companhia possui uma boa reputação é analisar a nota de risco através de agências como Fitch, Moody´s e Standard & Poors (S&P). Diferentemente de outros títulos de renda fixa, as debêntures não têm cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Logo, o investidor poderá sofrer prejuízo caso a empresa não cumpra com o acordo inicial.

Outro fator fundamental a ser considerado durante a escolha de uma debênture é a data de vencimento. Os prazos costumam ser longos e podem conflitar com os objetivos do investidor no curto prazo.

Diversos são os setores que utilizam este instrumento para captar recursos. Ao comprar uma debênture, o investidor fica sujeito à tributação no modelo regressivo, sendo esta:

  • Até 6 meses: 22,5%
  • Até 12 meses: 20%
  • Até 24 meses: 17,5%
  • Mais que 24 meses: 15%

Com o intuito de incentivar projetos de infraestrutura, como por exemplo a construção e reformas de rodovias, portos e aeroportos, o governo sancionou a Lei 12.431/2011. Esta isenta a tributação aos investidores. Entretanto, mesmo com a isenção, a remuneração em termos líquidos pode ser menor quando comparada a outros títulos que não possuem isenção.

O que é preciso levar em conta e quais os cuidados?

Alguns cuidados são necessários ao avaliar uma debênture. Os principais fatores a serem considerados estão relacionados aos riscos e às formas de rendimentos.

Um dos riscos a que o investidor está sujeito é o de crédito. Como se trata de um empréstimo, é importante examinar a capacidade da empresa de honrar os compromissos. Analisar cuidadosamente os resultados operacionais e financeiros é uma boa forma de minimizar estes riscos.

As debêntures têm como característica a baixa liquidez. Portanto, caso haja a necessidade do investidor de se desfazer do título antes do vencimento, será preciso buscar um comprador. As corretoras de investimentos são a melhor alternativa para encontrar investidores interessados e fazer essa intermediação.

Outro fator importante a ser considerado é a rentabilidade. Quando uma debênture é prefixada, o rendimento é informado no ato da compra. Sendo assim, é possível calcular quanto o investidor receberá no vencimento antes de aplicar o dinheiro.

No caso de uma debênture pós-fixada, ela é atrelada a um indexador, como por exemplo a taxa Selic. Portanto, há menor clareza o quanto o investimento pode render. Por outro lado, há maior chance de obter um maior rendimento, caso os juros subam.

Por fim, existe o rendimento híbrido, onde se aplica um componente prefixado e um pós-fixado.

A aplicação em debêntures costuma atrair investidores devido à boa rentabilidade e diversidade de opções. No entanto, ao escolher uma debênture é necessário consultar as características da mesma no ato da emissão e pesquisar sobre a empresa antes de tomar a decisão. Além disso, uma boa forma de mitigar os riscos é diversificar os investimentos.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias