Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
BTG (BPAC11) tem recomendação de compra para Itaú-Unibanco (ITUB4)

BTG (BPAC11) tem recomendação de compra para Itaú-Unibanco (ITUB4)

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

11 Fev 2022 às 22:48 · Última atualização: 24 Jun 2022 · 3 min leitura

Redação EuQueroInvestir

11 Fev 2022 às 22:48 · 3 min leitura
Última atualização: 24 Jun 2022

BTG

Divulgação

O BTG Pactual (BPAC11) analisou o bom momento do Banco Itaú-Unibanco (ITUB4). De acordo com relatório divulgado nesta sexta-feira (11), a instituição obteve resultados considerados bons sob o comando do CEO Milton Maluhy. O BPAC11 mantém a recomendação de compra ao preço alvo de R$ 31.

Na administração anterior, o banco de investimentos considera que o Itaú viveu um bom momento, cujo trunfo era os dados relativos ao retorno sobre o patrimônio líquido (ROE), o que mantinha o ITUB4 à frente da concorrência. Porém, nos últimos anos, o Itaú começou a perder espaço para outras instituições financeiras, como é o caso do Bradesco (BBDC4) que se adaptou melhor a um cenário de baixas taxas Selic e do Santander (SANB11) que apresentou melhor rentabilidade de market share.

De acordo com o Banco BTG Pactual, a nova administração do Itaú-Unibanco o elevou a um nível mais digital, e dentro desta reformulação, o ITUB4 retornou a ser uma das principais instituições financeiras do Brasil.

BTG (BPAC11): solidez no 4T

No quarto trimestre (4TRI21), o banco obteve o lucro líquido de R$ 7,2 bilhões. De acordo com o relatório, este número simboliza uma alta de 33% ao ano.

Outro fator considerado positivo foi a variação cambial, onde o ITUB4 obteve um crescimento de 16% a/a na carteira,  com destaque para o crédito imobiliário, crédito pessoal e cartões de crédito. O banco também obteve êxito no aumento de tarifas de 2% t/t e 4% a/a e dos seguros com 10% t/t e 19% a/a.

Melhor inadimplência

O Banco BTG Pactual destacou a inadimplência e a cobertura do Itaú, e para a instituição financeira, esta foi uma da melhores caraterísticas para um retorno ao topo. De acordo com o BPAC11,  o crédito mais forte sob uma perspeciva mais arriscada foi sinônimo para um lucro de R$ 6,8 bilhões, o que representa uma alta de 24% t/t e 21% a/a. Este resultado está 16% acima da expectativa do relatório.

Vale destacar também a taxa de inadimplência de 90 dias, que obteve um número baixo de 2,5%, o que foi considerado um excelente desempenho.

Por fim, as NPLs para pessoas físicas obtiveram um grande aumento no último t/t, o que gera uma expectativa maior nos próximos trimestres. O índice superior de cobertura do Itaú é de 241%.

Guidance em alta

O guidance do Itaú foi considerado mais forte do que as estimativas do BTG. Existe uma chance de crescimento de empréstimos, e por consequência, um aumento na margem de clientes e do mercado propriamente dito.

Vale destacar a estratégia do ITUB4, que apostou nas moedas estrangeiras. Dentro deste o contexto, o banco tem como objetivo paralisar as adversidades da variação cambial que podem impactar o lucro antes dos impostos em R$ 2 bilhões.

Conclusão

O Banco Itaú obteve um bom resultado no quarto trimestre, com destaque para o ambiente virtual onde a instituição obteve um crescimento de 71 pontos nos NPS de aplicativos e em estratégias de Ini e Ion.

A modernização na administração e gestão do CEO Milton Malhuy também foi destaque para o sucesso do Itaú e de acordo com o BTG Pactual, o ITUB4 é a principal aposta no setor em 2022.

 

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias