Ações
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Amazon (AMZO34): como investir na empresa de Jeff Bezos

Amazon (AMZO34): como investir na empresa de Jeff Bezos

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

08 Dez 2021 às 18:30 · Última atualização: 08 Jun 2022 · 7 min leitura

Redação EuQueroInvestir

08 Dez 2021 às 18:30 · 7 min leitura
Última atualização: 08 Jun 2022

Largar a vice-presidência de uma empresa para vender livros pela internet, numa época em que o e-commerce ainda era uma aposta arriscada. Criar um botão de “compre com um clique”, que revolucionou a venda online. Abrir uma empresa de transporte espacial e viajar até o espaço.

Não há limites para as ideias e ousadias de Jeff Bezos, fundador da Amazon. E o sucesso parece gostar do que ele inventa. Tanto que Bezos é um dos homens mais ricos do mundo, com fortuna estimada em US$ 205,5 bilhões. Ele disputa frequentemente o título de homem mais rico do mundo com Elon Musk.

Já a Amazon é a segunda marca mais valiosa do mundo, perdendo apenas para a Apple que ocupa o 1º lugar. Mas, a depender das oscilações do mercado, a Amazon já foi algumas vezes a companhia mais valiosa do planeta também.

Os números fazem brilhar os olhos de qualquer investidor. No Brasil, até outubro de 2020, investir na Amazon não era para qualquer um. Agora é, via BDRs – os Brazilian Depositary Receipts.

Na B3, os investidores brasileiros podem negociar BDRs da Amazon sob o código AMZO34.

  • Para saber tudo sobre BDRs, clique aqui e baixe o e-book mais completo sobre o assunto 

Empresa foi favorecida pela pandemia

Com as pessoas em casa devido às medidas de isolamento social pela Covid-19, o consumo pela internet disparou e, claro, a gigante Amazon foi bastante beneficiada. Segundo analistas, foi como injetar “hormônio do crescimento” na empresa.

Mas no terceiro trimestre de 2021 os dados começaram a arrefecer.

A Amazon (AMZO34) registrou lucro líquido de US$ 3,156 bilhões no terceiro trimestre de 2021, ou US$ 6,12 por ação, após ajustes.

O resultado representou uma queda de 50,15% ante o lucro de US$ 6,331 bilhões ou US$ 12,37 por ação, de igual período do ano passado.

As vendas da Amazon no trimestre mais recente foram de US$ 110,8 bilhões, um crescimento de 15% na comparação anual, mas abaixo da expectativa de US$ 111,6 bilhões.

Já a receita operacional recuou de US$ 6,2 bilhões no terceiro trimestre de 2020 a US$ 4,9 bilhões em igual período do ano atual.

A companhia afirma que, confrontada com a escolha entre otimizar os lucros no curto prazo e “fazer o que é melhor para os clientes no longo prazo”, escolheu a última alternativa.

A Amazon diz que houve um esforço para estender sua rede de entregas desde o início da pandemia.

Além disso, a empresa afirma que enfrenta problemas de falta de pessoal, aumento nos custos salariais e “questões da cadeia de oferta global”, bem como maiores custos de frete para transportar produtos.

Valorização dos BDRs da Amazon

No começo de 2020, os BDRs da Amazon valiam R$ 48,45. Em 21 de novembro, no entanto, eram cotados a R$ 127,72. Ou seja, de lá até aqui, a valorização é de mais de 163%.

Desde o início de 2021 os papéis da Amazon subiram mais de 18%.

Amazon

Reprodução/Google

Novo CEO para a Amazon

Desde julho de 2021, Andy Jassy, que ingressou na empresa em 1997 e liderava a equipe da Amazon Web Services, assumiu o cargo de CEO da Amazon.

Bezos decidiu ir para o comando do conselho de administração da empresa. Adicionalmente, ele permanece envolvido em projetos na companhia, entretanto dedica agora mais tempo ao Fundo Bezos Earth, sua nave espacial Blue Origin, ao The Washington Post e ao Amazon Day 1 Fund.

Empresa avança no Brasil

Entre os temas que os investidores devem ficar de olho está a expansão dos negócios da Amazon no Brasil.  Em novembro do ano passado, a empresa comunicou a abertura de três novos centros de distribuição no país.

Já presente em São Paulo (com quatro unidades) e em Cabo Santo Agostinho, em Pernambuco, ela tem também unidades em Betim (MG), Santa Maria (DF) e Nova Santa Rita (RS).

O valor do investimento total da Amazon para os novos centros, que têm um espaço conjunto de 75 mil metros quadrados, não foi revelado pela empresa.

O foco é acelerar as entregas e se destacar da concorrência, que inclui por aqui nomes como Mercado Livre, Via Varejo, GPA e Magazine Luiza.

Em setembro de 2021, a rede varejista online abriu seu primeiro centro de distribuição no estado do Rio de Janeiro. Localizada em São João de Meriti, a estrutura tem cerca de 30 mil m².

Em outubro de 2021, a empresa anunciou o início da operação de seu novo Centro de Distribuição em Itaitinga, na região metropolitana de Fortaleza, Ceará. O novo CD é o primeiro no estado e o terceiro no Nordeste, e espera criar cerca de 400 vagas diretas e indiretas na região, além de outras milhares de oportunidades temporárias.

História da Amazon

A história da Amazon está ligada a uma ideia fixa que Jeff Bezos, então vice-presidente de um fundo de investimentos de Wall Street, tinha aos 30 anos: abrir uma livraria online.

Ele tinha acabado de completar um curso sobre como abrir uma loja de livros e acreditava, contra todas as opiniões e evidências, que a internet seria um ótimo canal de venda.

Pois foi atrás deste sonho que ele abandonou a zona de conforto e, em 1994, fundou, ao lado da esposa, a tal livraria, que receberia o nome de Amazon.

Descontos agressivos explicam crescimento acelerado

Bastou um mês para Bezos convencer o mercado que não estava de brincadeira quando afirmava que a Amazon era a maior livraria do planeta.

Em 30 dias de fundação, ele já estava presente em 45 países. Quatro anos depois, em 1998, estendeu os serviços a outros produtos – e começou a incomodar a concorrência.

Seu diferencial sempre foi a prática de descontos agressivos e a busca constante pela otimização da logística de entrega, minimizando custos.

Além da compra “com um clique” idealizada por Bezos, ele também lançou o Kindle, o e-reader da Amazon, outra sacada de mestre. Para utilizar o leitor, o consumidor precisa baixar livros na própria Amazon.

Amazon

Reprodução/Pixabay

Maior loja virtual do planeta

Vinte e seis anos mais tarde, ele é dono da maior loja virtual do planeta e segunda marca mais valiosa do mundo.

No ranking “Marcas Globais Mais Valiosas 2020”, da consultoria Interbrand, a Amazon só perde para a Apple, fundada por Steve Jobs, com quem, por muitas vezes, Bezos é comparado pelo espírito inovador e ousado, capaz de ditar tendências.

Bezos possui, hoje, 11% das ações da empresa. Mas também exibe em seu portfólio a rede de supermercados Whole Foods, a Alexa, que desenvolve tecnologia de inteligência artificial, e o The Washington Post, um dos mais tradicionais jornais norte-americanos.

Bezos também investiu parte da fortuna em ações da Uber, do Airbnb, do Google e do Twitter.

Além disso, ele é dono da Blue Origin, empresa de exploração espacial criada em 2010. A Blue Origen é rival da Space X, do também bilionário Elon Musk.

Como investir na Amazon?

Os investidores brasileiros podem ter acesso aos chamados BDRs – Brazilian Depositary Receipts – da Amazon.

Eles são ativos que representam ações de empresas estrangeiras.

Quem adquire um BDR está, indiretamente, participando de uma empresa no exterior. E terá direito aos dividendos distribuídos pela companhia lá fora.

Funciona mais ou menos como um fundo de investimento. O investidor não vira o dono da ação, portanto não é sócio da empresa em questão.

Para comercializar um BDR, a instituição emissora do papel adquire várias ações de empresas estrangeiras. Depois monta um “pacote” e vende partes dele aos investidores. Logo, esses títulos são como cotas.

O que é preciso fazer para investir na Amazon?

Para adquirir BDRs da Amazon, o investidor precisa procurar um banco ou uma corretora de valores autorizados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

(Com Cláudia Zucare Boscoli)

Quer saber mais sobre como investir em BDRs ou outros ativos correlacionados ao mercado exterior? Preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias