Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Juros futuros: entenda o que são e como eles impactam a renda fixa

Juros futuros: entenda o que são e como eles impactam a renda fixa

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

29 Nov 2021 às 14:52 · Última atualização: 29 Nov 2021 · 4 min leitura

Redação EuQueroInvestir

29 Nov 2021 às 14:52 · 4 min leitura
Última atualização: 29 Nov 2021

juros futuros

Os juros futuros estão sempre no radar dos investidores e possuem uma grande importância no mercado financeiro. A taxa de juros futuros se refere à estimativa do mercado sobre a taxa de juros no longo prazo.

A estimativa dos juros futuros costuma aumentar em momentos de incerteza, uma vez que o risco é maior. Esse risco resulta em uma taxa de juros mais alta comparada a outras taxas, como o CDI e a Selic. No atual momento, por exemplo, de instabilidade nos mais diversos setores, os juros futuros estão mais altos.

Por conta da pandemia provocada pela Covid-19, situações como atrasos na cadeia produtiva, aumento dos custos de energia e dificuldades para encontrar trabalhadores contribuíram para o processo inflacionário. Isso tem gerado uma preocupação no âmbito global. Como resultado desses fatores, os bancos centrais têm ajustado a política monetária e reforçado as discussões sobre o aumento das taxas de juros.

Os agentes econômicos e as organizações adotam a perspectiva dos juros futuros como uma forma de precaução frente às adversidades. Portanto, basear-se nessas estimativas é um modo de se preparar para as oscilações que o mercado possui e, assim, mitigar os riscos.

Como os juros futuros são calculados?

Os principais fatores que determinam a taxa Selic também embasam a previsão dos juros futuros, como por exemplo a política fiscal e monetária de um governo, a dívida pública, a atividade econômica, o resultado do PIB, o câmbio e a balança comercial.

O mercado financeiro busca antecipar os fatos e as decisões futuras do Banco Central. Sendo assim, através dessas estimativas, os agentes econômicos estipulam os juros futuros.

De acordo com o relatório “Curva de juros” do Banco BTG Pactual, publicado em novembro deste ano, o agravamento do cenário fiscal no Brasil, sobretudo motivado pela conduta do Governo Federal em relação ao teto de gastos, resultou em uma projeção de 11,75% para a taxa Selic em 2022.

O que os juros futuros dizem para o investidor

Além de influenciar em aspectos macroeconômicos, os juros futuros também impactam os investimentos. Sendo assim, é importante que o investidor fique atento à flutuação desse importante indicador.

Investimentos impactados pelos juros futuros possuem relevância em momentos de instabilidade. No momento da negociação, por exemplo, as taxas de juros futuros são levadas em consideração. Porém, para obter a rentabilidade prometida, é necessário permanecer com o título até o final do vencimento. Nesse cenário, temos o conceito de marcação na curva.

Se porventura, houver necessidade de vender o título antes do vencimento, o investidor deve se atentar ao cenário macroeconômico e à taxa de juros no ato da compra e venda. Caso contrário, o investidor corre o risco de perder dinheiro, onde se aplica a marcação de mercado.

É importante observar o período em que o título é adquirido. Se no momento da compra, o cenário econômico encontra-se instável, o risco é maior, assim como a taxa de juros. Em contrapartida, o preço do título torna-se mais alto em momentos de estabilidade, quando a taxa de juros é menor, uma vez que o risco é mais baixo. Portanto, se o investidor se desfaz do título que possui uma taxa de juros menor comparada à do momento da compra, há prejuízo.

Ainda de acordo com o relatório do Banco BTG Pactual, devido à percepção mais aguçada dos riscos domésticos no atual momento, como desemprego, inflação, queda do PIB, risco fiscal etc., os títulos com vencimentos mais curtos e intermediários tornam-se mais atrativos.

As oscilações nos juros futuros também impactam a economia nacional. Quando os juros aumentam, por exemplo, os investidores lucram. Por outro lado, a dívida pública aumenta. No entanto, ao investir em títulos públicos, os investidores contribuem para o financiamento da dívida pública do País.

Quando o investidor compreende esse mecanismo, pode extrair uma boa rentabilidade de acordo com as circunstâncias. Caso contrário, a melhor opção é contar com a ajuda de um assessor de investimentos.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias