Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Fundos de previdência: como funcionam? Entenda tudo aqui!

Fundos de previdência: como funcionam? Entenda tudo aqui!

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

01 Fev 2022 às 18:00 · Última atualização: 01 Fev 2022 · 6 min leitura

Redação EuQueroInvestir

01 Fev 2022 às 18:00 · 6 min leitura
Última atualização: 01 Fev 2022

Todo investimento em previdência privada se dá por meio de fundos de previdência. Mesmo que muitas pessoas não saibam, é nesse veículo que o dinheiro é aplicado quando se abre um plano previdenciário. Conhecer suas características tem o poder de tonar mais rentáveis os investimentos nesse tipo de mercado.

Acompanhe a seguir uma explanação sobre o assunto. Por meio desta leitura, você tomará nota de novos conhecimentos, entenderá as modalidades de fundos previdenciários existente e, assim, aproveitará ainda mais o recurso alocado em previdência.

Aproveite o texto e tenha uma boa leitura!

O que é um investimento via fundo?

Existem diversas formas de fazer um investimento no mercado financeiro. Elas se agrupam em dois grandes grupos. O primeiro deles é via título e o segundo é via fundo.

Na primeira modalidade, é o próprio investidor que toma as decisões a respeito de qual título escolher para fazer a alocação patrimonial.

Prazos de resgate e rentabilidade, dentre outras características, devem ser analisadas pelo investidor que, de certa forma, toma a figura de gestor para si.

Já na segunda modalidade, toda essa tarefa é delegada a um profissional do mercado financeiro: o gestor patrimonial. Sua atuação (e consequentemente o investimento) se dá por meio de um fundo de investimento.

Nessa modalidade de aplicação, o investidor compra cotas do fundo e a responsabilidade pela alocação do patrimônio do fundo fica a cargo do gestor, respeitando sempre a política de investimentos do fundo.

Esses veículos têm toda uma estrutura profissional envolvida e por isso incorrem em custos, a despeito da taxa de administração.

No mínimo, um fundo deve contar com uma instituição administradora, um gestor profissional e uma auditora externa independente.

Tudo isso fornece a comodidade ao investidor de não se preocupar com as decisões de alocação, pois há quem faça isso por ele.

O que é um fundo de previdência?

Entendida a diferença entre investir via título e via fundo, temos a classe dos fundos de previdência no mar de opções dos fundos de investimentos.

Tratam-se de veículos voltados exclusivamente ao mercado previdenciário.

Assim, esses fundos possuem as mesmas características de funcionamento e estruturação de toda a indústria de fundos, com algumas particularidades.

Um exemplo são os regimes de tributação, que existem em número de dois e são diferenciados.

Em suma, os fundos previdenciários podem alocar seu patrimônio em todos os mercados disponíveis no sistema financeiro nacional, com a particularidade de serem voltados ao mercado de previdência privada.

Durante muito tempo vigorou a ideia de que esse tipo de investimento era ruim. E de fato não havia muita atratividade. No entanto, o mercado mudou e grandes inovações foram inseridas.

Um bom exemplo dessa mudança foi o surgimento de diversos fundos previdenciários voltados ao mercado de ações. É possível aplicar nesses títulos via fundo de previdência, o que antes era impensável.

Isso abre uma ótima janela para a diversificação de patrimônio, com a possibilidade de formação de uma carteira previdenciária de bons resultados.

Como funciona um fundo de previdência?

Investir em um fundo de previdência é algo mais simples do que se possa imaginar. Na verdade, não há como investir em previdência de outra forma, pois a indústria é fechada.

Isso quer dizer que não é possível escolher títulos como no mercado tradicional. Sempre que alguém aplica em um plano de previdência privada, automaticamente estará investindo em um fundo previdenciário.

Assim, cotas são adquiriras em nome do investidor. Algumas características do investimento são próprias do fundo e outras são próprias do plano de previdência.

Em relação ao fundo, é possível escolher qualquer um de qualquer categoria. Na verdade, pode-se compor uma carteira previdenciária com vários fundos.

Esse modelo é o mais recomendado, pois assim não há dependência de apenas uma única gestão.

Dessa forma, o investidor pode alocar seu patrimônio em fundos do mercado de renda fixa e de renda variável. Nesses últimos, pode ser escolhido fundos de diversos tipos, conforme veremos a seguir.

Quais são os tipos de fundos de previdência existentes?

Acompanhe a seguir os três tipos fundamentais de fundos de previdência do mercado brasileiro.

Renda fixa

Os fundos de renda fixa são os mais tradicionais do mercado financeiro. É o veículo que tradicionalmente sempre foi usado pelo brasileiro para fazer aportes em previdência.

No entanto, a rentabilidade da maioria desses fundos é ruim, principalmente dos mais antigos. Muitos deles têm rendimento abaixo até mesmo do CDI e isso é uma agressão ao patrimônio de longo prazo.

Tomando por base o patrimônio acumulado em previdência que já passa de R$ 1 trilhão, é uma rentabilidade muito baixa ter a maior parte desse recurso em fundos ruins de renda fixa.

Vale frisar que também há bons fundos de previdência no mercado de renda fixa. Basta pesquisar para conhecê-los.

Multimercado

Essa classe de fundos surgiu há pouco no mercado financeiro e caiu no gosto do público em geral. Tratam-se dos fundos multimercados que podem aplicar em quaisquer áreas de investimento, conforme seu nome indica: desde renda fixa para controle de risco, até investimentos internacionais e ações. Tudo dependerá da política de investimentos do fundo que o gestor precisa seguir a risca.

Ter esse tipo de fundo no portfólio ajuda a aumentar a rentabilidade final do investimento em previdência, já que se trata de um recurso de longo prazo.

Ações

Por fim, existem os fundos previdenciários de ações. Esses fundos são os preferidos de quem tem mais apetite por risco, mas também podem ser indicados para carteiras mais conservadoras, por incrível que pareça.

Tudo reside no percentual do patrimônio que é destinado a esse tipo de fundo. Como no longo prazo esses fundos mostram-se rentáveis, faz sentido ter uma parte alocada neles. Mesmo que seja uma pequena parcela.

No final das contas, o que faz grande diferença é estar em mais de um fundo. Com uma boa distribuição de capital, é possível montar um portfólio que seja defensivo quanto à maior parte do patrimônio e que traga uma rentabilidade superior ao optar por fundos multimercados e de ações.

Quer conhecer mais sobre fundos de previdência e investimentos? Então preencha este formulário que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para mostrar as aplicações disponíveis!

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias