Fundos de Investimento
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Como investir em criptomoedas?

Como investir em criptomoedas?

Matheus Gagliano

Matheus Gagliano

10 Mai 2022 às 13:04 · Última atualização: 10 Mai 2022 · 16 min leitura

Matheus Gagliano

10 Mai 2022 às 13:04 · 16 min leitura
Última atualização: 10 Mai 2022

como investir em criptomoedas

Reprodução/Pixabay

A popularização das moedas virtuais como bitcoin e outras, faz com que muitos investidores se perguntem sobre como investir nas criptomoedas. Como todo investimento, é preciso conhecer bem o tema, ir entrando aos poucos.

Ainda que seja um ativo muito volátil, as criptomoedas podem produzir rendimento aos investidores, especialmente se eles investirem intenção de manter esses investimentos em moedas digitais a longo prazo, conforme reportado pelo CNBC.

Esta é uma forma que os norte-americanos têm usado para ampliar seu patrimônio. De acordo com dados de uma pesquisa da Universidade de Chicago, cerca de 13% dos americanos já compraram ou negociaram criptomoedas.

Tyrone Ross, CEO da Onramp Invest, fornecedora de tecnologia de gerenciamento de “cryptoasset” para consultores financeiros, avaliou que as moedas virtuais possuem um lugar mais preponderante entre os jovens investidores.

Ele sugeriu, entretanto, que antes de investir pesado em criptomoedas, o investidor precisa buscar primeiro plano financeiro. Depois terá uma ideia mais clara onde a moeda virtual se encaixa nos objetivos traçados. Do contrário, pode parecer não fazer muito sentido, diz ele.

Porém, tendo um plano de investimento em mãos, pode fazer sentido para os investidores considerarem a criptografia como uma parte fundamental de seu portfólio de longo prazo.

Devido à natureza volátil da criptomoeda, os especialistas geralmente a recomendam para investidores experientes em tecnologia. Isto porque estes se dedicam a aprender sobre o ativo e têm tempo disponível para enfrentar os altos e baixos.

Daí é possível aplicar algumas das mesmas regras do mercado financeiro “tradicional”. Ou seja: não ir no efeito manada, em caso de desaceleração brusca. Mantenha a calma e tente compreender para onde o mercado está caminhando. Assim será possível evitar decisões errôneas e a perda de dinheiro.

E ter disciplina é fundamental. Ainda mais levando em conta o caráter volátil das criptomoedas. Para manter o controle, Ross sugere não verificar o preço a todo instante. E isso inclui certamente não verificar todos os dias.

Um ponto importante é a alocação. Especialistas financeiros geralmente recomendam colocar em criptomoedas apenas uma quantia de dinheiro que seja aceitável perder com segurança. Em suma, o investidor deve evitar comprometer seu patrimônio nas moedas digitais.

Geralmente, ter 5% de seu portfólio em um ativo de alto risco, como bitcoin – ou outras moedas – é considerada uma regra segura. Porém, para alguns investidores, pode fazer sentido colocar um percentual maior.

Como obter rendimento com criptomoedas

Existem várias formas de ganhar dinheiro com criptomoedas. São várias as opções para obter ganhos para quem pretende começar a investir. Existem duas formas principais. A primeira delas é o investimento direto, sendo o mais tradicional de todos. Esta consiste em comprar diretamente a própria criptomoeda.

Em outras palavras: cabe ao próprio investidor fazer a análise de qual moeda virtual deseja e ele mesmo efetuar a operação. Para que isso seja possível, é preciso ter conta aberta em uma exchange (corretora) que oferece esse tipo de transação.

Existem diferenças entre as corretoras e entre as principais diferenças é o leque de opções disponíveis para negociação. Porém, é comum que todas ofereçam as duas maiores criptos: Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH).

Outro passo importante antes de começar é fazer uma boa pesquisa em relação à reputação da instituição. Isso porque já ocorreram diversos casos de quebra de exchanges.

Além disso, é preciso conhecer também o país no qual a corretora está sediada. Como os investimentos em criptomoedas não são investimentos, o investidor fica impossibilitado em abrir qualquer tipo de reclamação a qualquer autoridade nacional sobre eventuais perdas.

A segunda forma de investir nas moedas digitais é por meio de um fundo de investimentos. A forma mais usual é pelos conhecidos ETFs (exchage traded found). Estes são uma forma mais simplificada de investir nas moedas digitais, uma vez que a distribuição dos recursos fica sob a responsabilidade da gestão profissional do fundo.

Pode-se dizer então que este é um tipo de investimento mais seguro, pois há uma política de investimento que o gestor deve seguir. Ela está disponível para consulta do investidor antes mesmo que ele faça seu primeiro aporte.

Verificando a política de investimento é possível tomar conhecimento de que forma o fundo faz seus aportes. Isso vale para qualquer tipo de investimento, inclusive com relação aos percentuais em cada criptomoeda. Se estiver de acordo, o investidor pode seguir em frente.

Além de mais segura, é mais simples e conta com a regulação de órgãos oficiais ligados ao Sistema Financeiro Nacional.

O Brasil, aliás, é considerado pioneiro em lançar ETFs para o mercado cripto.

O primeiro investimento desse tipo estreou na B3 (B3SA3) em abril de 2021. Nos Estados Unidos esse mesmo veículo estreou na bolsa americana somente em novembro do mesmo ano.

No Brasil existem diversos fundos de investimentos de criptomoedas. Vejamos alguns deles:

HASH11

O Hashdex (HASH11) foi o primeiro ETF de moedas virtuais, estreando justamente em abril de 2021. Pertence à gestora de recursos chamada Hashdex.

Esse fundo replica o NCI, um índice composto por 8 criptomoedas com diferentes percentuais de participação. De tempos em tempos, essa composição é revista e os ativos podem se manter ou serem substituídos.

QBTC11

Poucos meses depois, surgiu o QBTC11, que estreou em junho do ano passado. A diferença com relação ao caso anterior é que o QBTC11 concentra sua exposição integralmente no bitcoin, que é a criptomoeda de maior participação no mercado.

Esse ETF pertence à gestora QR Asset Management e replica o índice CME CF Bitcoin Reference Rate. A CME é a principal bolsa na qual se negociam contratos derivativos em todo o mundo.

QETH11

Também pertencente à QR Asset Management, está o QETH11. Trata-se do proimeiro primeiro produto do mercado financeiro nacional com 100% de exposição ao Ethereum.

Replica outro índice da CME, o CME CF Ether Reference Rate. O acompanhamento do criptoativo pelo índice é feito em dólares.

BITH11

A Hashdex foi na mesma direção da QR e lançou seu produto com exposição exclusiva ao Bitcoin. O BITH11 possui 100% de indexação a essa criptomoeda e replica o Nasdaq Bitcoin Reference Price.

ETHE11

Semelhante ao caso acima, a Hasdex lançou seu ETF com exposição integral à Ether. Trata-se do ETHE11. O índice de referência é o Nasdaq Ethereum ETF.

Hashdex Bitcoin Full 100 FIC FIM

A gestora Hashdex também possui fundos de investimentos tradicionais que aplicam seus recursos em criptomoedas. O Hashdex Bitcoin Full investe integralmente no bitcoin. Possui um investimento inicial mínimo é de R$ 1.000,00, com taxa de administração de 1,75%.

Hashdex Ethereum 100 FIC FIM

Sendo semelhante ao caso anterior, esse fundo pode investir até 100% de seu patrimônio na Ethereum. Esse é voltado a investidores em geral e tem baixa barreira de entrada. O investimento inicial mínimo é de apenas R$ 1,00. Já a taxa de administração é de 1,40%

Além da compra direta e das aplicações em fundos de investimentos, existem outras formas de obter ganhos com as criptomoedas:

Mineração

O blockchain, rede utilizada pelas transações das moedas virtuais, consiste em uma rede totalmente descentralizada: as informações que constam são independentes e não é possível alterá-las. Essas informações contidas em blocos podem ser conectadas. Para que isso seja possível, é necessário que sejam resolvidas várias operações matemáticas, a fim de que um bloco se conecte a outro. Esse processo matemático é chamado de mineração.

O objetivo dos mineradores é encontrar uma sequência matemática que torne o seu bloco compatível com o bloco anterior, usando uma operação matemática que satisfaça esse problema.

É possível ainda ganhar dinheiro com mineração, mas com a sofisticação das moedas virtuais, essa atividade tem caído mais em desuso, pois as operações se tornaram tão complexas a ponto de ser necessário o uso de equipamentos realmente potentes para dar conta das transações.

Trade

Outra forma comum de obter recursos com criptomoedas e com a atividade de trade, segundo o site iDinheiro. A volatilidade inerentes a esses ativos virtuais tem sido usado por muitos investidores interessados em ganhar dinheiro no curto prazo, do mesmo modo como funciona a atividade do day trade: ganhar na baixa e vender na alta, em diversas operações em um único do dia.

Mas é preciso lembrar que, assim como o day trade, esse tipo de operação necessita de um acompanhamento bem estreito e altamente disciplinado, além de requerer do investidor o conhecimento prévio de análise gráfica. Portanto, usar esse tipo de operação, sem o conhecimento básico, pode ser elevado.

Longo prazo

Como mostrou a pesquisa feita nos EUA, abordada anteriormente, é possível ganhar dinheiro com o investimento a longo prazo. Moedas mais consolidadas provam essa teoria, como o bitcoin.

Dados do site iDinheiro mostram que, desde sua criação, o BTC já possuiu uma valorização de 65 mil vezes o seu valor inicial, lá em 2010.

Forma de pagamento

Outra foram é usar a criptomoeda como forma de pagamento, porém isso envolve a existência de um negócio prévio que permita o uso das criptomoedas como pagamento. Por exemplo: o investidor pode possuir uma loja virtual e incluir essa moeda como modalidade de pagamento aos consumidores, além do cartão de crédito e da compensação via pix, que já se tornou bem popular.

Quando receber o pagamento das moedas virtuais, o investidor pode mantê-las guardadas e trocar por real quando a cotação subir a um nível desejado.

Games

Outro tipo de uso é para quem gosta de games online. Com o advento da blockchain há uma grande mudança em curso e é interessante ter em mente essa questão.

Existem muitas plataformas de jogos onde é possível ganhar criptomoedas jogando. E como isso funciona? Os jogadores conectados podem fazer transações entre si. É nessa modalidade que entram em cena os NFTs – tokens digitais não fungíveis. Estes comprovam a propriedade de bens que só existem no mundo virtual.

Os NFTs possuem valor considerável e, via de regra, são negociados por meio das criptomoedas.

Quanto custam as criptomoedas

Como vimos antes, desde seu lançamento, o bitcoin acumulou uma imensa valorização. Criado em 2009, essa criptomoeda acumulou uma impressionante valorização na última década. A primeira transação foi realizada em 2010. E, naquela ocasião, o bitcoin começou a ser vendido a um valor equivalente a US$ 0,23. Desde então, vem seguindo uma trajetória de alta que parece não ter fim.

Variação do bitcoin nos últimos 12 meses até 10 de maio de 2022

Para ter uma ideia da extrema valorização do bitcoin, por exemplo, em 2020, em plena pandemia, o índice Ibovespa caiu 3%. Ao mesmo tempo, a primeira das criptomoedas, acumulou uma valorização de 318% no ano. No início de 2020, um BTC já valia o equivalente a R$ 37 mil. Mas em dezembro, chegou ao incrível valor de R$ 158 mil.

A disparada sem precedentes começou, porém, a partir de 2017. Naquele ano, cada uma unidade de bitcoin passou a valor US$ 6 mil. Depois disso, tem se valorizado cada vez mais, e já acumulou, desde então, houve uma valorização de mais de 23 mil por cento.

Em quais criptomoedas investir em 2022

Em 2021, houve um crescimento acentuado na demanda por NFTs, os já citados tokens não fungíveis. Isto ocorreu em linha com a valorização da propriedade digital de ativos.

Os protocolos DeFi – de finanças descentralizadas – também encontram cada vez mais usuários. Estes buscam plataformas que permitem rodar contratos inteligentes. Além disso, há o metaverso, que promete ser a próxima etapa da internet, com a participação de grandes players, que estão investindo pesado para disputar esse novo mercado.

Diante desse contexto, foram selecionadas algumas criptomoedas que, de acordo com especialistas, têm boas perspectivas de valorização ao longo do restante do ano. Esta contempla criptoativos menos populares, para que os usuários conheçam novas alternativas.

Descentraland (MANA)

Trata-se de uma plataforma de realidade virtual descentralizada, construída com base no blockchain do Ethereum. Permite que os seus usuários criem e monetizem conteúdos, games e cenários em 3D.

José Artur Ribeiro, CEO da Coinext, em matéria publicada pelo Portal do Bitcoin, verificou que as pessoas têm ficado cada vez mais tempo no mundo virtual, seja para trabalho ou lazer. Isso significa que há um grande mercado para o 3D. De acordo com ele, a MANA parece bem promissora. “Haja visto o crescimento da base de usuários e valorização do preço do token (4.000% no acumulado de 2021)”, comentou ele.

Elrond (EGLD)

Felipe Dantas, especialista em criptomoedas da Exame invest, aponta outra criptomoeda para investir ao longo de 2022. Trata-se da Elrond. Para ele, esta é uma das melhores possibilidade de criptomoedas para este ano. Tem como objetivo solucionar o problema de escalabilidade na blockchain.

Além disso, ele enfatizou que o EGLD é promissor especialmente por contar com grandes nomes por trás do projeto. Além do mais, esta criou sua própria corretora e pôde aumentar o ecossistema interno.

Bloktopia (BLOK)

O metaverso também está presente, por meio do bloktopia, um game feito totalmente em blockchain. Junto a isso, o especialista da Exame Invest avaliou que o mundo de cryptogames está em forte expansão, o que proporciona a criação de um cenário favorável à esta criptomoeda.

Além disso, esta possui parceria com gigantes da tecnologia como Bitboy, que é um importante influenciador no universo cripto; KuCoin, uma das maiores corretoras do setor; CriptoWendy, outro grande influencer internacional; as redes Avalanche e Elrond; e grandes fundos de investimento.

Velas (VLX)

A Velas, que responde pela sigla VLX, usa o mesmo protocolo da Solana, porém busca implementar melhorias. Por exemplo, quem possui contratos inteligentes na Ethereum pode rodá-los na rede da Velas.

Avalanche (AVAX)

De acordo com especialistas, esta é outra critpomoeda bastante promissora. Trata-se de uma rede blockchain baseada em contratos inteligentes e se destaca pela velocidade, escalabilidade e compatibilidade de sua rede.

A título de comparação, enquanto o bitcoin e o Ether só podem lidar com 7 e 13 transações por segundo (TPS), respectivamente, a AVAX é capaz de processar mais de 4.500 TPS.

Além disso, é capaz de concluir as transações mais rapidamente. É capaz de fazer isso em menos de dois segundos, contra 6 minutos no caso da ETH e 60 minutos no BTC. Isso faz esta criptomoeda uma tese interessante para 2022.

Nano (XNO)

A Nano (XNO) é mais uma opção, tendo como diferenciais escalabilidade, velocidade e custo. Outro ponto promissor é o fato desta ser uma foram alternativa de blockchain: é formada por diversos blockchains que vão se interconectando uns com os outros, chamados block-lattice.

Isso significa que cada usuário tem seu próprio blockchain, não sendo necessário obter nenhuma aprovação que não seja do remetente ou destinatário do pagamento.

Já quanto à velocidade, a Nano é capaz de concluir transações em menos de um segundo, segundo avaliação de seus desenvolvedores. Por fim, as transações da Nano são gratuitas, devido ao mecanismo de consenso conhecido como Votação Representativa Aberta, sendo outro importante diferencial.

Algorand (ALGO)

Por fim, outra criptomoeda citada por especialistas é a Algorand (ALGO) e tem na velocidade uma de suas vantagens primordiais. Ao final do ano passado, ela era capaz de executar 1.162 TPS, com tempo de finalização de 4,36 segundos.

Mas o que pode ser o principal diferencial desta criptomoeda talvez seja a interoperabilidade de blockchain empresarial.

Muitos projetos correm o risco de não funcionar bem, segundo apontam especialistas. Ou mesmo de simplesmentenão serem compatíveis uns com os outros. Assim, o Algorand buscou preencher essa lacuna, oferecendo um foco ao mundo empresarial.

Tá, e aí? O que isso significa para o investidor?

Como vimos, há várias maneiras de ganhar dinheiro com criptomoedas. Porém, como regra importante no mercado financeiro em geral, é preciso ter em mente que se trata de um ativo exposto a uma alta volatilidade e alto risco. Daí é necessário ter uma boa base de conhecimento e uma boa dose de dedicação para conhecer bem as criptomoedas. Só desta forma, dominando bastante conhecimento, é possível tomar boas decisões, ganhar dinheiro e reduzir as perdas e os riscos ao máximo possível.

A EQI Investimentos possui uma equipe altamente qualificada em seu time de assessores de investimentos e pode ajudar os investidores a conhecer mais a fundo esse tipo de aplicação.

Existem mais de oito mil criptomoedas no mercado e, certamente, tendo todos os requisitos acima, o investidor consegue tomar boas decisões e saber como investir em criptomoedas de forma segura. 

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias