Moedas
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
“Manteu”! O câmbio pós-Super Quarta dos bancos centrais

“Manteu”! O câmbio pós-Super Quarta dos bancos centrais

Alexandre Viotto

Alexandre Viotto

22 Set 2022 às 14:42 · Última atualização: 22 Set 2022 · 3 min leitura

Alexandre Viotto

22 Set 2022 às 14:42 · 3 min leitura
Última atualização: 22 Set 2022

foto com notas de dólares

Pixabay

Alô, câmbio, tudo bem com você? Ontem (21) tivemos a última Super Quarta dos bancos centrais de 2022. Não houve a chamada “surpresa”, porém vale a pena dar uma olhada no que deve vir pela frente.

Só sei que nada sei…

O Federal Reserve (Fed), banco central americano, subiu a taxa básica mais uma vez em 0,75 pontos, com Powell dizendo no seu discurso logo após o anúncio que, entre aspas, ninguém sabe se isto levará a uma recessão.

Como se diz no mercado, ele fez um hedge aqui, dado que, no passado, ele afirmou que a inflação seria temporária e seguimos na alta de preços… Parece que aprendeu…

Tudo na mesma

Já o Banco Central do Brasil “manteu” a Selic em 13,75%, conforme o esperado.

Brincadeiras à parte, apesar da decisão ser, digamos, esperada, houve novidade no comunicado. Ele deu a entender que manterá até junho de 2023 este patamar, deixando a inflação ao redor da meta. Ou seja, não deu seta para uma eventual queda nos juros no curto prazo.

Vida “mais fácil” para o gringo

Outra notícia que deve impactar um pouco o câmbio a partir de hoje são as medidas para equalizar a tributação a investidores estrangeiros, o que deve trazer recursos de fora para o país.

Escalada do conflito

Por outro lado, vale ficar atento ao que acontece na Europa. A contraofensiva da Ucrânia gerou do outro lado uma resposta bastante contundente.

Putin acaba de convocar até 300 mil reservistas para ajudar no esforço de guerra. Com o inverno chegando, a esperança de haver uma solução para o que ocorre no leste europeu segue esfriando.

Dólar segue forte (lá fora)

Sendo assim, por mais que o USD siga valorizando no exterior, a Selic por um tempo maior nos patamares atuais somada à alta de preços de commodities e medidas como esta última anunciada por Brasília, devem segurar um pouco a força de desvalorização do real no curto e médio prazo.

Por hoje é só… Câmbio, desligo!

Por Alexandre Viotto, head de câmbio e comércio exterior da EQI Investimentos

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias