Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Agronegócio: valor de produção bate recorde, mas safra 2021 é menor que a de 2020

Agronegócio: valor de produção bate recorde, mas safra 2021 é menor que a de 2020

Fernando Cesarotti

Fernando Cesarotti

15 Set 2022 às 11:05 · Última atualização: 15 Set 2022 · 5 min leitura

Fernando Cesarotti

15 Set 2022 às 11:05 · 5 min leitura
Última atualização: 15 Set 2022

Agronegócio: valor de produção bate recorde, mas safra 2021 é menor que a de 2020

Jaelson Lucas/AEN-PR

O valor de produção das principais culturas do agronegócio no Brasil atingiu o recorde de R$ 743,3 bilhões em 2021, um crescimento de 58,6% em relação ao ano anterior. A safra de grãos, no entanto, teve uma ligeira redução de 0,4% em relação a 2020, totalizando 254,4 milhões de toneladas.

A área plantada do país, considerando todas as culturas, totalizou 86,7 milhões de hectares, uma ampliação de 3,3 milhões de hectares, ou 3,9%, a mais que em 2020. Os dados são da Pesquisa Agrícola Municipal, divulgada nesta quinta-feira (15) pelo Instituto Brasiliero de Geografia e Estatística (IBGE).

“O ano de 2021 ainda foi marcado pelos reflexos da pandemia de covid-19, que trouxe como consequência uma elevada demanda das commodities agrícolas ao redor do mundo e a valorização do dólar frente ao real. Essa situação resultou também na disparada dos preços agrícolas em 2021 na comparação com o ano anterior”, explicou Winicius de Lima Wagner, supervisor da pesquisa.

Soja, milho, cana-de-açúcar, café e algodão foram, nesta ordem, os cinco primeiros produtos no ranking de valor de produção, todos eles mostrando aumento em geração de valor. Em termos de quantidade produzida, no entanto, apenas a soja apresentou crescimento, atingindo novo recorde. Outros produtos com aumentos na produção foram o trigo, que bateu recorde, e o arroz.

“As condições climáticas favoreceram a maior parte dos cultivos de verão, mas extensos períodos de estiagem durante o outono e o inverno e, também, fortes geadas castigaram as culturas da segunda safra, com perdas registradas, principalmente, na safra do milho, feijão, cana-de-açúcar e café”, afirmou o supervisor

  • Tem vontade de investir no agronegócio? Leia nosso e-book da Boa Safra e conheça mais sobre o setor!

Na avaliação dele, contudo, apesar da tímida retração, o ano de 2021 apresentou uma boa safra: “Como 2020 foi um ano de safra recorde, temos uma base comparativa muito elevada”, justificou.

Mato Grosso lidera produção por estados

A unidade da federação com maior valor de produção foi o Mato Grosso, maior produtor de soja, milho e algodão do país. Em 2021, a produção do Estado gerou R$ 151,7 bilhões, um aumento de 91,5%. Cerca um quinto, ou 20,4%, do valor de produção agrícola do país se concentra no estado.

Em seguida, com um aumento de 138,4% no valor de produção, o Rio Grande do Sul alcançou R$ 90,8 bilhões. O Estado mostrou recuperação na safra de soja, após perdas em 2020, e sua participação no valor de produção nacional passou de 8,1% em 2020 para 12,2% em 2021.

Já São Paulo, com R$ 84,1 bilhões, ficou em 3º lugar. Apesar do aumento de 23,7%, São Paulo perdeu participação no valor de produção nacional, passando de 14,5% para 11,3%.

“O destaque negativo foi o Paraná, que teve perdas severas com estiagem durante a cultura da 2ª safra, e por isso caiu da 2ª para 4ª colocação. Mas, ainda assim, registrou aumento no valor de produção. Apenas Amapá e Amazonas, estados com menor vocação agrícola, tiveram retração no valor gerado”, explicou Winicius.

Sorriso é o mais rentável dos municípios

Entre os municípios, o destaque foi, pela terceira vez consecutiva, Sorriso (MT), que respondeu sozinho por 1,3% do valor de produção total, alcançando R$ 10 bilhões, um crescimento de 86,4%. “Sorriso se destaca pela produção de soja e milho, as duas principais culturas do país”, contou o supervisor da pesquisa.

Em segundo lugar aparece o município de Sapezal (MT), maior produtor nacional de algodão, com crescimento de 111,6%, chegando a R$ 9,1 bilhões, ou seja, mais que o dobro do valor alcançado no ano anterior. Na terceira posição, aparece Rio Verde (GO), com R$ 7,7 bilhões, um crescimento de 131,1%. O município tem como carro-chefe a produção de soja e milho.

Dos 50 municípios com maior valor de produção, mais da metade (26) estão no Mato Grosso e seis estão em Goiás, consolidando a região Centro-Oeste como motor da agricultura nacional.

Deseja conhecer mais sobre o agronegócio e saber onde vale a pena investir? Preencha este formulário e um dos consultores da EQI Investimentos entrará em contato.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias