Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Como declarar ações no Imposto de Renda 2022?

Como declarar ações no Imposto de Renda 2022?

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

07 Mar 2022 às 19:00 · Última atualização: 24 Jun 2022 · 7 min leitura

Redação EuQueroInvestir

07 Mar 2022 às 19:00 · 7 min leitura
Última atualização: 24 Jun 2022

Imposto de renda: foto de celular na página da Receita Federal

Divulgação

Ter lucro com ações é o sonho da grande maioria dos investidores, porém existem obrigações tributárias como a declaração anual dos ativos no Imposto de Renda.

Na prática, todo cidadão que investe em renda variável terá que apresentar as suas contas ao Leão, e neste ano, o período para entregar a declaração é entre os dias 7 de março e 29 de abril.

Existem diferenças entre pagar e declarar o Imposto de Renda.

A declaração consiste em um documento que é entregue para a Receita Federal anualmente,  e desta forma, a certidão aponta possíveis diferenças no cálculo do tributo. Vale lembrar que esta exposição deve ser feita por todos, independente do valor anual dos investimentos.

Em relação ao pagamento do IR, este é obrigatório para investidores que obtiveram valores superiores a R$ 20 mil com a venda de ações. Para quitar o imposto, o cidadão precisará do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) que é pago mensalmente, e para isto, é necessário anexar todos os boletos que foram quitados ao longo de 2021.

Declaração de ações no imposto de renda

É preciso ter atenção ao fazer a declaração do Imposto de Renda, já que possíveis erros podem ser sinônimo de entraves como multas e ter o nome exposto na malha fina da Receita Federal.

O primeiro passo para fazer tudo corretamente é separar e organizar as informações gerais do contribuinte, como por exemplo,  se ele tem dependentes, bens e direitos – o que inclui investimentos, renda,  dívidas e ônus,  pagamentos e doações que foram efetuados ao longo do ano.

Para declarar ações, o investidor tem que saber qual foi o valor dos papéis adquiridos, além de anexar relatórios que comprovam a retenção do imposto na fonte e comprovantes de pagamento dos Documentos de Arrecadação de Receitas Federais.

Adicionar extratos de IR e informes de rendimentos são essenciais para que não haja possíveis riscos ou falhas na declaração do imposto. Uma alternativa é buscar notas de corretoras, que contam com todos os dados relacionados às ações.

Declaração de lucros

Com a documentação em mãos, o contribuinte precisa verificar os lucros decorrentes do investimento. Para isto, é preciso calcular o preço médio de compra e venda das ações de acordo com as fórmulas:

  • Preço médio de compra = valor pago (com taxas) / número de ações
  • Preço médio de venda = valor de venda (sem taxas) / número de ações

Por exemplo,  um investidor compra 70 ações ao valor de 50 reais (unidade) no mês de maio. Em agosto, ele decide investir em um lote com 30 papéis a R$ 60 reais (unidade). O preço total das ações foi de R$ 5.300 conforme cálculo: (70 x 50) + (30 x 60) = 3.500 + 1.800 = 5.300

Em relação ao preço médio, a conta é simples: basta dividir o que foi gasto pelo número das ações: 5.300 / (70+30) = 5.300/100 = 53. Desta forma, o valor médio da compra foi de R$ 53.

Se esta for a única movimentação no período, o investidor deverá usar o código 31 e declarar a propriedade na seção de “bens e direitos”.

Se o mesmo investidor decidir vender 100 ações que representam parte de sua carteira no mês de setembro de 2021 a R$ 65: 100 x 65 = R$ 6.500, que é o valor de venda.

Existe outra fórmula para saber qual foi o lucro ou prejuízo da transação: 6.500 (valor de venda) – 5.300 (preço total das ações) = 1.200 (lucro obtido).

Neste exemplo, o valor foi inferior a R$ 20 mil e precisa ser declarado na seção de rendimentos que são isentos e não tributáveis.

Programa do IRPF

O próximo passo é buscar o programa do Imposto de Renda de Pessoa Física no site da Receita Federal. Para declarar o tributo, o contribuinte poderá utilizar o Programa Gerador da DIRPF de 2021 ou o aplicativo Meu Imposto de Renda.

Para declarar investimentos, o que inclui compra e venda de ações, o contribuinte precisa ter acesso a aba de bens e direitos. Documentos com valores inferiores a R$ 20 mil estão isentos da contribuição, mas precisam ser declarados.

  • escolha a seção rendimentos isentos e não tributáveis
  • em novo campo, digite o código 20 – que são ganhos líquidos de operações com ações que foram negociadas na Bolsa de Valores e que contam com alienações em até R$ 20 mil.
  • em seguida digite o valor de cada ação
  • por último, clique em ok para confirmar

Declaração de dividendos

Dividendos são valores que são repassados para titulares de ações. Este tipo de rendimento é isento de tributação na maioria das vezes. Para declarar o dividendo, o contribuinte precisa seguir a ordem abaixo:

  • acesse a aba rendimentos isentos e não tributáveis
  • selecione a opção 09 – lucros e dividendos recebidos
  • adicione as informações do dividendo.
  • repita o processo com todas as ações que obtiveram dividendos

Declaração de juros sobre capital próprio (JCP)

Os juros sobre capital próprio (JCP) são bastante comuns em empresas, e este tipo de rendimento também precisa estar na declaração do Leão.

  • escolha a seção: rendimentos sujeitos a tributação exclusiva / definitiva
  • escolha o código 10 – este número representa os JCPs.
  • Digite as informações solicitadas
  • repita o processo com todas as ações que obtiveram JCPs.

Ficha de renda variável

Preencher a ficha de renda variável é essencial para o contribuinte que busca declarar as suas ações. Vale destacar que nesta seção serão declaradas operações acima de R$ 20 mil. Os impostos serão pagos através do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), e desta forma será preciso anexar e reunir todos os comprovantes de pagamentos.

  • escolha a ficha de renda variável
  • acesse a aba operações comum / day trade
  • tipo de mercado: a opção mercado à vista é a mais comum
  • escolha operação comum  ou day trade de acordo com o investimento
  • preencha os meses onde as vendas foram superiores ao valor de R$ 20 mil
  • se não houve operação em um determinado mês, deixe o campo zerado.
  • em caso de prejuízo, coloque o sinal de negativo (-).
  • finalize o processo que foi consolidado no mês e verifique as semelhanças entre imposto a pagar e o quitado via DARF.

investimentos isentos de imposto de renda

Ficha de bens e direitos

O último passo para preencher a declaração do Leão é a ficha de Bens e Direitos, onde o contribuinte irá reunir as mais variadas ações que fazem parte da carteira no período de um ano. Para ter acesso aos dados com segurança, o investidor precisa buscar o informe de rendimentos e as suas notas de corretagem.

Para acessar a seção “Bens e Direitos”, o contribuinte precisa colocar o código 31 para ações e 47 para “contratos futuros, de opções e a termo”, e dentro desta aba, o investidor precisa seguir as informações que são solicitadas:

  • CNPJ
  • nome da empresa
  • código de negociação dos papéis
  • número de ações
  • valor que será pago
  • vendas e compras parciais de ações.

Por fim, o investidor precisa ter o custo médio dos seus papéis calculados, e desta forma, multiplicar pelo número de ações adquiridas até o dia 31 de dezembro de 2021.

 

 

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias