Moedas
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Alô, câmbio: A volta de “Brasília” ao noticiário econômico…

Alô, câmbio: A volta de “Brasília” ao noticiário econômico…

Alexandre Viotto

Alexandre Viotto

09 Jun 2022 às 12:10 · Última atualização: 09 Jun 2022 · 3 min leitura

Alexandre Viotto

09 Jun 2022 às 12:10 · 3 min leitura
Última atualização: 09 Jun 2022

fotos de notas de dólares

Reprodução/Pixabay

Alô, câmbio! Tudo bem com você?

Depois de um bom tempo sem “causar”, tivemos a volta da “volatilidade política” aos mercados. E que retorno minha amiga, meu amigo…

Tudo por conta de algo que havia desaparecido quase que por milagre do noticiário. Nada menos que o Fiscal, aquele item presente em 11 de cada 10 análises sobre os riscos à Economia Brasileira no futuro.

Câmbio: inflação

Apesar de muita gente ter acreditado que a inflação seria temporária, a conta chegou. Não dava mesmo para injetar tanta liquidez, sem o custo amargo de uma alta de preços generalizada. O problema não está restrito ao Brasil, afetando o humor dos eleitores ao redor do planeta… Não é mesmo, Casa Branca?

Conflito na Europa

Em uma verdadeira tempestade perfeita, a guerra só fez ajudar neste processo. Com a Rússia, maior produtor de Petróleo do planeta sofrendo com sanções, o barril disparou… Já tem algumas semanas que o Brent é negociado acima dos US$ 100.

Soluções “criativas”

O governo brasileiro, preocupado com o preço dos combustíveis, resolveu até certo ponto, inovar. Prometeu zerar os impostos federais da gasolina e do diesel. E ainda convidou os governadores a fazerem o mesmo, propondo um ressarcimento desta arrecadação aos estados. Só que o cobertor é curto…

Risco fiscal

Por incrível que pareça, para alguns economistas, dinheiro não dá em árvore.

Ou seja, se eu vou deixar de receber de um lado, vou precisar compensar em outro local. E, neste caso, se houver renúncia fiscal, quem vai sofrer será ninguém menos que as contas públicas. Isto explica o estresse nos mercados desde o anúncio das medidas há alguns dias…

Câmbio e a eleição?

A tentativa do governo é clara… Tentar segurar a alta dos preços, com uma medida extrema e rezando para que o futuro seja melhor que o presente. Traduzindo, torcer para o barril de petróleo voltar aos níveis de preço do segundo semestre do ano passado. Até mesmo porque fica difícil de convencer alguém a votar em você quando o poder de compra do salário só faz cair, um mês após o outro.

Câmbio: tá, mas e o dólar?

Vai seguir bem volátil… e não vale dizer que não avisamos não é mesmo? Se antes as coisas estavam bem feias lá fora, agora temos mais um componente na equação. Um que vivia adormecido, mas que parece ter voltado para vale: o famoso risco Brasil.

Muito obrigado! E não deixe de nos consultar para as melhores estratégias para aproveitar o momento atual. Abraços e até semana que vem. Câmbio, desligo.

Por Alexandre Viotto, head de câmbio e comércio exterior da EQI Investimentos.

Quer entender melhor como o câmbio impacta os seus investimentos? Preencha o formulário que um assessor da EQI irá entrar em contato.

BTG Talks
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias