Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Zona do euro: PMI composto sobe para 55,8 pontos em abril

Zona do euro: PMI composto sobe para 55,8 pontos em abril

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

04 Mai 2022 às 10:51 · Última atualização: 24 Jun 2022 · 2 min leitura

Redação EuQueroInvestir

04 Mai 2022 às 10:51 · 2 min leitura
Última atualização: 24 Jun 2022

O Índice de Gestores de Compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, publicado nesta quarta-feira (4) pela S&P Global, apresentou uma elevação. O índice foi dos 54,9 pontos em março para 55.8 pontos em abril.

Esse crescimento do PMI composto (junção de serviços com a indústria) correspondeu às estimativas do mercado. Essa alta veio após  PMI da indústria ter atingindo o menor patamar dos últimos 15 meses, quando caiu para 55,5 pontos em abril, conforme foi divulgado na última segunda-feira (2).

Segundo Chris Williamson, economista-chefe da S&P Global, “a economia da zona do euro mostrou uma surpreendente resiliência frente à guerra entre Rússia e Ucrânia”.

Para ele, isso ocorreu “em razão de uma nova expansão da atividade do setor de serviços”, a qual teria sido produzida pelo gradual relaxamento, nas últimas semanas,  das medidas de contenção para combater o vírus da covid.

Também segundo o levantamento da S&P Global, o PMI do setor de serviços apresentou um crescimento de 55,6 pontos em março para 57,7 pontos em abril. Essa é a maior alta no índice desde agosto de 2021.

Crescimento das expectativas

Conforme as restrições para combate à pandemia diminuíam e a vida dos habitantes da zona euro retornava ao normal, o subíndice de expectativas de negócios de serviços cresceu dos 60,8 pontos em março para os 62,3 pontos em abril.

Já o índice composto de preços de produção também subiu de 65,7 em março para 68,5 em abril, o maior patamar desde 2002, quando a S&P Global começou a fazer o levantamento.

A leitura do mercado é que essas altas podem levar o Banco Central Europeu (BCE) a adotar políticas mais duras para conter a inflação no bloco, que ficou em 7,5% em abril.

Para Williamson, “a combinação de um crescimento forte para o segundo trimestre somada a uma aceleração persistente da inflação apontada pelas pesquisas está produzindo uma série de especulações”. Muitas dessas análises, segundo o  economista-chefe da S&P Global, indicam que “o BCE poderia começar a aumentar as taxas de juros em sua reunião de julho”.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias