Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Com Selic em alta, qual a melhor opção: financiamento imobiliário ou aluguel?

Com Selic em alta, qual a melhor opção: financiamento imobiliário ou aluguel?

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

02 Out 2021 às 09:00 · Última atualização: 02 Out 2021 · 5 min leitura

Redação EuQueroInvestir

02 Out 2021 às 09:00 · 5 min leitura
Última atualização: 02 Out 2021

aluguel ou financiamento

Comprar ou alugar um imóvel é uma dúvida muito comum na hora de escolher uma nova moradia.

Em um cenário de aumento gradativo da taxa Selic, as incertezas são ainda maiores já que a alta na taxa básica de juros tem potencial para refletir nas taxas dos empréstimos imobiliários.

A verdade é que tanto o aluguel como a compra de um imóvel possuem vantagens e desvantagens, a depender de sua situação financeira e planos atuais e futuros.

Então, para fazer a melhor escolha é preciso analisar e pontuar uma série de questões que vão além do valor final da parcela.

Nesse sentido, acompanhe o artigo a seguir e veja o que deve ser levado em conta para fazer a melhor escolha.

Alugar um imóvel: Vantagens e desvantagens

Uma das principais vantagens de alugar um imóvel é a flexibilidade, já que o inquilino pode mudar de endereço com mais rapidez e menos burocracia.

Na prática, ainda que o processo de locação seja burocrático, ele é muito mais simples e rápido do que o financiamento imobiliário tradicional.

Além disso, em momentos de incertezas econômicas e financeiras, o aluguel permite que se busque um local menor e mais barato para reduzir os custos.

Apesar das vantagens, é importante lembrar que o aluguel pode gerar uma sensação de instabilidade, visto que o local não é seu de fato.

Além disso, quem mora em um imóvel locado costuma ter limitações para mudar a estrutura e deixar a residência como realmente gostaria.

Outro ponto que precisa ser observado diz respeito ao índice que reajusta o contrato de aluguel. No Brasil o indicador oficial é o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M).

Em setembro, a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que faz a medição do IGP-M registrou uma alta de 31,12% nos últimos 12 meses.

Isso acaba sendo um ponto extremamente desfavorável para o aluguel, já que o torna mais oneroso e imprevisível.

Financiamento imobiliário: vantagens e desvantagens

Em primeiro lugar, o financiamento imobiliário permite a compra do bem sem precisar dispor do montante total. Isso porque, além de não precisar desembolsar todo o valor do imóvel, o financiamento permite que as prestações sejam pagas em até 35 anos.

Então, se você tem certeza que o imóvel vai ser bem aproveitado pela família no longo prazo e que a parcela não foge muito do que seria gasto com aluguel, financiar pode ser uma boa opção.

Outro ponto importante é que a casa própria oferece mais segurança e adaptabilidade. Logo, você poderá construir, realizar reformas ou alugar como bem entender.

Entre as desvantagens, está o comprometimento da renda por um período de tempo muito longo, sobretudo para aqueles que não conseguem prever suas condições financeiras no futuro.

Além disso, a burocracia para financiar é muito maior, tendo em vista que as instituições financeiras exigem diversos documentos e comprovantes de renda para aprovar o crédito.

Então, para descobrir se o melhor é alugar ou financiar um imóvel, o primeiro passo é analisar seu momento de vida bem como os sonhos da sua família.

Realizar o sonho da casa própria vai lhe trazer mais segurança e qualidade de vida para você? Então financiar pode ser uma excelente alternativa, caso contrário, a saída pode ser alugar.

Antes de tomar qualquer decisão, busque ainda analisar a situação econômica do país, a variação na taxa de aluguel e de financiamento e quais são as expectativas econômicas para os próximos meses e anos.

Opção do COE Crédito

Dentre as modalidades de empréstimos disponíveis para financiamento imobiliário, existe o COE Crédito. Por meio desta operação, o cliente aplica em COE (Certificado de Operações Estruturadas) para cinco anos e tem crédito com 70% do valor para o mesmo prazo e taxa de 100% do CDI.

O COE, para que não sabe, é uma cesta de ativos, e não um ativo único. Dentro desta cesta, o COE contém a segurança da renda fixa e a rentabilidade da renda variável. É uma opção de investimento que garante diversificação com baixo risco. E é como uma versão brasileira das chamadas Notas Estruturadas, bastante populares nos Estados Unidos.

Quer saber mais sobre como é possível financiar imóveis através do COE Crédito? Preencha o formulário abaixo para conversar com um de nossos assessores de investimentos. 

Investir em Fundos imobiliários

Pensa em imóvel não para morar, mas sim para gerar renda? Então, além da opção de comprar uma casa ou apartamento para locação, vale a pena aprender sobre fundos imobiliários.

Muitas pessoas sonham com a possibilidade de ganhar dinheiro sem precisar fazer nenhum esforço. Sim, estamos falando da famosa renda passiva, que nada mais é do que auferir determinado retorno sem ter que trabalhar para isso.

Quem consegue atingir esse estágio pode dizer com orgulho que alcançou sua independência financeira. Entre as diferentes formas de ter renda passiva, podemos citar o universo da bolsa de valores. E nesse contexto, existem os Fundos Imobiliários (FIIs), que são um instrumento poderoso para obter renda passiva com investimentos imobiliários.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias