Fundos Imobiliários
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Risco de recessão nos EUA: como ficam os REITs

Risco de recessão nos EUA: como ficam os REITs

Vanessa Araujo

Vanessa Araujo

07 Jul 2022 às 16:37 · Última atualização: 08 Jul 2022 · 3 min leitura

Vanessa Araujo

07 Jul 2022 às 16:37 · 3 min leitura
Última atualização: 08 Jul 2022

Rua com prédios nos EUA

O comitê de política monetária dos Estados Unidos trouxe na quarta-feira, 06 de julho, sinalizações de que a economia americana pode estar próxima de uma recessão e que todo o esforço necessário para conter a inflação será feito por meio da subida da taxa de juros.

Em sua ata, o Fomc sinalizou que, após a deterioração dos dados da inflação nos Estados Unidos, a taxa de juros pode subir para algo entre 0,5 ponto e 0,75 ponto percentual, na próxima reunião em 27 de julho, confirmando perspectivas do mercado.

Documento do comitê americano não surpreende mercados 

De acordo com Felipe Paletta, analista de REITs e Fundos Imobiliários da Monett, as sinalizações do Fomc com relação às medidas de contenção à inflação já estão precificadas.

“Isso já vem gerando nas últimas semanas uma correção no mercado de ativos, especialmente, de ações e REITs. Esse movimento deve continuar acontecendo, mas por outro lado, os mercados nos EUA seguem subindo. A notícia não surpreendeu negativamente”, comenta o analista.

Possível recessão da economia americana: o que esperar dos REITs em 2022

Paletta observa que, no retrospecto do ano, os REITs vêm se comportando de maneira muito similar ao S&P 500, o principal índice norte-americano, caindo perto de 19% no ano. 

“A maior parte desse comportamento se deve, especialmente, pelos grandes exageros de 2021, dado que os REITs subiram mais de 35% em alguns setores durante aquele ano”, comenta.

REITs: riscos e oportunidades em 2022

O analista da Monett lembra de movimentações recentes que impactaram negativamente o mercado americano. 

“Tivemos a Amazon devolvendo diversos galpões logísticos devido ao emprego de novos processos e tecnologias. Isso desencadeou uma grande pressão de venda dos REITs desse segmento que possuem uma grande representatividade nos principais índices”, pontua. 

Segundo ele, o momento ainda pede uma análise cautelosa deste segmento frente a outros que já despontam entre os mais promissores. 

“Eu tomaria bastante cuidado e diminuiria o volume de aportes (no segmento logístico). Existem muitas oportunidades em setores que ficaram mais descontados em 2021, especialmente, aqueles que sofreram mais durante a pandemia como hotéis, hospitais e saúde, em geral. Também temos um fator de vinculação à inflação muito grande nas manufactures houses, um segmento bastante interessante, com vários REITs listados” completa. 

Ouça o comentário de Felipe Paletta sobre os REITs e o risco de recessão da economia americana.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias