Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Radar traz Bradespar (BRAP4), Taesa (TAEE11), Soma (SOMA3), Mater Dei (MATD3), e Light (LIGT3)

Radar traz Bradespar (BRAP4), Taesa (TAEE11), Soma (SOMA3), Mater Dei (MATD3), e Light (LIGT3)

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

12 Mai 2022 às 10:00 · Última atualização: 24 Jun 2022 · 24 min leitura

Redação EuQueroInvestir

12 Mai 2022 às 10:00 · 24 min leitura
Última atualização: 24 Jun 2022

média móvel

Creative Commons

O radar corporativo de hoje traz que a Bradespar (BRAP4) reportou lucro líquido de R$ 924,1 mi no 1TRI22, queda de 45,7% frente ao 1TRI21.

A Multilaser (MLAS3) reporta lucro líquido de R$ 171 mi no 1TRI22, queda de 11,7% frente o 1TRI21

A Positivo (POSI3) registra lucro líquido ajustado de R$ 28,5 mi no 1TRI22, alta de 6,9% frente o 1TRI21

A Taesa (TAEE11) obteve lucro líquido de R$ 559,9 mi no 1TRI22, praticamente estável frente ao 1TRI21.

O Grupo Soma (SOMA3) obteve lucro líquido ajustado de R$ 53,6 mi no 1TRI22, alta de 259,7% frente o 1TRI21.

A rede Mater Dei (MATD3) reportou lucro líquido de R$ 31 mi no 1TRI22, alta de 17% ante o 1TRI21.

A Light (LIGT3) registrou prejuízo líquido de R$ 106 mi no 1TRI22, elevação de 153,8% ante 1TRI21.

A Smart Fit (SMFT3) reportou lucro líquido de R$ 75,4 mi no 1TRI22, alta de 48% frente ao 1TRI21.

O Banco do Brasil (BBAS3) informou lucro líquido de R$ 5 bilhões no 1TRI22, sendo 23,4% maior do que o obtido no mesmo período do ano anterior. Na ocasião, o lucro líquido havia sido de R$ 4 bilhões.

A JBS (JBSS3) registrou lucro líquido de R$ 5,142 bi no 1TRI22, tendo crescimento de 151,4% em comparação ao igual período. No primeiro trimesre de 2021, o lucro havia sido de R$ 2,045 bilhões.

A Braskem (BRKM5) atingiu lucro líquido de R$ 3,8 bilhões no primeiro trimestre do ano. Esse resultado é 632% maior que no 1TRI21, quando foi de R$ 530 milhões.

A construtora Lavvi (LAVV3) registrou lucro líquido de R$ 21 milhões no primeiro trimestre de 2022, 24% acima do 1TRI21, quando foi de R$ 17,054 milhões.

Enquanto isso, a Aliansce Sonae (ALSO3) reportou lucro líquido de R$ 55,9 milhões no 1TRI22, sendo 33,6% superior ao mesmo período do ano anterior, quando atingiu lucro de R$ 41,8 milhões.

Por sua vez, a Moura Dubeux (MDNE3) obteve lucro líquido de R$ 23 milhões no 1TRI22. Esse resultado é 30,43% maior do que o 1TRI21, quando chegou a lucro líquido de R$ 17,819 milhões.

A Sulamerica (SULA11) registrou, no 1TRI22, lucro líquido de R$ 24,4 milhões ante R$ 53,9 milhões no 1TRI21. Isso significa que houve uma redução de 54,7%.

A Minerva (BEEF3) informou ter registrado lucro líquido de R$ 114,6 milhões no 1TRI22. Tal resultado é 55,8% inferior ao 1TRI21, quando atingiu lucro de R$ 259,5 milhões.

A Ultrpar (UGPA3) registrou lucro de R$ 461 milhões no 1TRI22, sendo 236% maior que o 1TRI21, quando chegou a R$ 137,4 milhões.

A Lojas Marisa (AMAR3) aprofundou o prejuízo líquido no 1TRI22. A companhia reportou perdas de R$ 77,2 milhões ante R$ 53,4 milhões de prejuízo no 1TRI21.

A SLC Agrícola (SLCE3) informou lucro líquido de R$ 797,062 milhões no 1TRI22. Esse resultado é 152,9% maior do que o 1TRI21, quando foi de R$ 376,8 milhões.

A Eternit (ETER3) informou lucro líquido de R$ 42 milhões no 1TRI22, resultado que é 27,6% menor do que no 1TRI21, quando foi de R$ 58,4 milhões.

A Copel (CPLE6) registrou lucro líquido de R$ 669,8 milhões no primeiro trimestre, ante R$ 759,2 milhões no 1TRI21, tendo queda de 11,8% no lucro.

A Santos Brasil (STBP3) reportou, no 1TRI22, lucro líquido de R$ 94,2 milhões ante R$ 30,9 milhões no 1TRI21. Isso significa um aumento de 204,9%.

A Vittia (VITT3) obteve lucro líquido de R$ 15,6 milhões no 1TRI22, resultado que é 23% superior frente ao 1TRI21.

A Allpark (ALPK3) reportou prejuízo líquido de R$ 43,3 milhões no 1TRI22, sendo 33,1% menor do que o prejuízo do 1TRI21, que foi de R$ 64,7 milhões.

A Mahle Metal Leve (LEVE3) informou lucro líquido de R$ 123 milhões no 1TRI22, sendo 2,5% menor do que no 1TRI21, que foi de R$ 126,2 milhões.

Já a Fras-Le (FRAS3) reportou lucro líquido de R$ 27,9 milhões no 1TRI22. Esse resultado é 53,9% menor do que no 1TRI21, quando obteve lucro de R$ 60,5 milhões.

A Petrobras (PETR4) pode ser privatizada, segundo desejo do novo ministro de Minas e Energia.

Parecer do Cade sobre a Petrobras (PETR4) pode ajudar governo a cortar até 15% no diesel e gasolina.

A Embraer (EMBR3) abriu mil vagas de trabalho no Brasil.

A 3R Petroleum (RRRP3) vai atuar no refino da commodity.

A Taesa (TAEE11) captou R$ 1,25 bi em sua maior emissão de ‘títulos verdes’, diz jornal.

Além do balanço trimestral, a Braskem (BRKM5) aprovou investimento de R$ 2 bilhões na construção de duas Plantas de Etanol de Segunda Geração (E2G) em São Paulo.

Além disso, a Viveo (VVEO3) anunciou a aquisição da Pro Infusion, detentora de laboratórios e farmacêuticas. E a Gafisa (GFSA3) assinou Memorando de Entendimentos visando a aquisição da Construtora São José, considerada referência na incorporação imobiliária de alto luxo na grande São Paulo.

Por fim, Petrobras (PETR4), JBS (JBSS3) e Ultrapar (UGPA3) informaram sobre proventos.

Balanços

Multilaser (MLAS3) reporta lucro líquido de R$ 171 mi no 1TRI22, queda de 11,7% frente o 1TRI21

A Multilaser (MLAS3) reportou lucro líquido de R$ 171 milhões no primero trimestre de 2022, queda de 11,7% frente o primeiro trimestre de 2021.

Entretanto, o canal de vendas diretas ao consumidor da companhia teve 40,4% de crescimento ano a ano.

Positivo (POSI3) registra lucro líquido ajustado de R$ 28,5 mi no 1TRI22, alta de 6,9% frente o 1TRI21

A Positivo (POSI3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 28,5 milhões no primeiro trimestre de 2022, alta de 6,9% frente o primeiro trimestre de 2021.

Já a receita líquida alcançou R$ 1,03 bilhão no período, alta de 52,5% frente igual período do ano anterior.

Por fim, o Ebitda ajustado marcou R$ 125,5 milhões no período, alta de 104,5% frente o primeiro trimestre de 2021.

Bradespar (BRAP4) reporta lucro líquido de R$ 924,1 mi no 1TRI22, queda de 45,7% frente ao 1TRI21

A Bradespar reportou lucro líquido de R$ 924,1 milhões no primeiro trimestre de 2022, queda de 45,7% frente ao primeiro trimestre de 2021.

De acordo com a companhia, o resultado reflete a redução da fatia da Vale detida pela Bradespar, que foi de 5,73% para 3,44%.

Já a receita operacional, originada do resultado de equivalência patrimonial, dividendos e juros sobre capital próprio da Vale, somou R$ 918,4 milhões, valor 47% menor do que há um ano.

E acrescentou que o resultado financeiro somou R$ 13,8 milhões, decorrente de aplicações financeiras e de remuneração sobre Impostos a recuperar.

Por fim, as despesas de pessoal, gerais e administrativas da Bradespar totalizaram, no primeiro trimestre de 2022, R$ 5,2 milhões, em linha com o mesmo período do ano anterior.

Taesa (TAEE11) obtém lucro líquido de R$ 559,9 mi no 1TRI22, praticamente estável

A Taesa (TAEE11) obteve lucro líquido de R$ 559,9 milhões no primeiro trimestre de 2022, praticamente estável com o primeiro trimestre de 2021.

Já a receita líquida da companhia alcançou R$ 795,6 milhões no primeiro trimestre de 2022, queda de 12,4% frente aos R$ 908,4 milhões de igual período do ano anterior.

O Ebitda, por sua vez, subiu 43,5% no primeiro trimestre de 2022 ao marcar R$ 454,4 milhões no período, contra os R$ 316,7 milhões do primeiro trimestre de 2021.

Grupo Soma (SOMA3) reporta lucro líquido ajustado de R$ 53,6 mi no 1TRI22, alta de 259,7%

O Grupo Soma (SOMA3) reportou lucro líquido ajustado de R$ 53,6 milhões no primeiro trimestre de 2022, alta de 259,7% ante o primeiro trimestre de 2021.

O Ebitda ajustado, por sua vez, subiu 345,7% na comparação anual e marcou R$ 104,3 milhões.

Mater Dei (MATD3) reporta lucro líquido de R$ 31 mi no 1TRI22, alta de 17%

A rede Mater Dei (MATD3) reportou lucro líquido ajustado de R$ 31 milhões no primeiro trimestre de 2022, alta de 17% frente os R$ 26,5 milhões obtidos no primeiro trimestre de 2021.

Já o resultado financeiro líquido alcançou R$ 19,3 milhões no período, alta de 41,2% frente os R$ 13,7 milhões do primeiro trimestre de 2021.

No trimestre, a Companhia desembolsou R$ 237 milhões para a aquisição do Hospital Santa Genoveva e CDI e R$ 91 milhões, referente à primeira parcela, para a aquisição do Hospital Premium.

O caixa e equivalentes, somados às aplicações financeiras, atingiu R$ 858,8 milhões no PERIODO, um aumento de 276,7% na comparação anual e diminuição de 32,8% ante o quarto trimestre de 2021. 4T21. Neste trimestre o índice de alavancagem (dívida líquida / EBITDA LTM) atingiu 1,1x.

Light (LIGT3) registra prejuízo líquido de R$ 106 mi no 1TRI22, elevação de 153,8% ante 1TRI21

A Light (LIGT3) registrou prejuízo líquido de R$ 106 milhões no primeiro trimestre de 2022, elevação de 153,8% ante o primeiro trimestre de 2021, quando as perdas foram de R$ 41,7 milhões.

Já a receita líquida totalizou R$ 3,552 bilhões no período de janeiro a março deste ano, queda de 4,1% sobre os R$ 3,694 bilhões no mesmo intervalo do ano anterior.

O Ebitda, por sua vez, que representa o lucro antes de juros impostos, depreciação e amortização (Ebitda) marcou R$ 525,5 milhões no período, alta de 25,2% sobre o Ebitda de R$ 419,8 milhões no mesmo período de 2021.

Smart Fit (SMFT3) reporta lucro líquido de R$ 75,4 mi no 1TRI22, alta de 48% frente ao 1TRI21

A Smart Fit reportou lucro líquido de R$ 75,4 milhões no primeiro trimestre de 2022, elevação de 48% frente ao primeiro trimestre de 2021 quando a companhia obteve prejuízo de R$ 114,7 milhões.

Já a receita líquida da companhia alcançou R$ 622 milhões no período, alta de 67% frente os R$ 371,7 milhões obtidos no primeiro trimestre de 2021.

O Ebitda, por sua vez, marcou R$ 66,4 milhões no período, alta de 212% frente os R$ 21,3 milhões frente a igual período de 2021.

Banco do Brasil (BBAS3) reporta lucro líquido de R$ 5 bilhões

O Banco do Brasil (BBAS3) informou que obteve lucro líquido de R$ 5 bilhões no primeiro trimestre do ano, sendo 23,4% maior do que o obtido no mesmo período do ano anterior. Na ocasião, o lucro líquido havia sido de R$ 4 bilhões.

JBS (JBSS3) lucra R$ 5,142 bi no 1TRI22, alta de 151%

A JBS (JBSS3) registrou lucro líquido de R$ 5,142 bilhões no primeiro trimestre de 2022 (1TRI22), crescimento de 151,4% em comparação ao igual período do ano anterior, quando chegou a R$ 2,045 bilhões.

Segundo a companhia, o crescimento constante dos resultados geraram maior retorno do patrimônio liquido no período: 52,1% de ROE. Já o retorno sobre o capital investido (ROIC), teve um avanço de 26% o que representou um melhor desempenho nos últimos cinco anos.

Braskem (BRKM5) atinge lucro líquido atribuível R$ 3,8 bilhões

A Braskem (BRKM5) atingiu a lucro líquido atribuível aos acionistas de R$ 3,8 bilhões. Esse resultado é 632% maior que no 1TRI21, quando foi de R$ 530 milhões.

Lavvi (LAVV3) registra lucro líquido de R$ 21 milhões no 1TRI22

A construtora Lavvi (LAVV3) registrou lucro líquido de R$ 21 milhões no primeiro trimestre de 2022 (1TRI22), 24% acima do 1TRI21 e 14% abaixo do 4TRI21.

Já a margem liquida, foi de 21,2% no 1TRI22, queda de 1,3 pontos percentuais em relação ao 4TRI21.

O lucro líquido acumulado em 12 meses totaliza R$ 182 milhões. O ROE anual ao final do 1T22 foi de 15%, considerando o lucro líquido acumulado em 12 meses e o PL médio do período (1TRI22 vs 1TRI21).

Aliansce Sonae (ALSO3) registra lucro líquido de R$ 55,9 milhões

A Aliansce Sonae (ALSO3) reportou lucro líquido de R$ 55,9 milhões no primeiro trimestre do ano, sendo 33,6% superior ao 1TRI21, quando atingiu lucro de R$ 41,8 milhões.

Moura Dubeux (MDNE3) tem lucro líquido de R$ 23 milhões no 1TRI22

A Moura Dubeux (MDNE3) reportou lucro líquido de R$ 23 milhões no 1TRI22. Esse resultado é 30,43% maior do que o mesmo período do ano anterior, quando chegou a lucro líquido de R$ 17,819 milhões.

Sulamerica (SULA11) obtém lucro de R$ 24,4 milhões no 1TRI22

A Sulamerica (SULA11) registrou, no 1TRI22, lucro líquido de R$ 24,4 milhões ante R$ 53,9 milhões em igual período do ano anterior. Isso significa que houve uma redução de 54,7%.

Minerva (BEEF3) tem lucro líquido de R$ 114,6 milhões no 1TRI22

A Minerva (BEEF3) informou ter registrado lucro líquido de R$ 114,6 milhões no primeiro trimestre do ano (1TRI22). Tal resultado é 55,8% inferior ao 1TRI21, quando atingiu lucro de R$ 259,5 milhões.

Ultrapar (UGPA3) registra lucro líquido de R$ 461 milhões

A Ultrpar (UGPA3) registrou lucro líquido de R$ 461 milhões no 1TRI22, resultado que é 236% maior do que no 1TRI21, quando chegou a R$ 137,4 milhões.

Lojas Marisa (AMAR3) aprofunda prejuízo líquido

A Lojas Marisa (AMAR3) aprofundou o prejuízo líquido no 1TRI22. A companhia reportou perdas de R$ 77,2 milhões ante R$ 53,4 milhões de prejuízo no 1TRI21, o que significa uma prejuízo 44,5% maior de um ano para o outro.

SLC Agrícola (SLCE3) tem lucro líquido de R$ 797,062 milhões

A SLC Agrícola (SLCE3) informou ter obtido lucro líquido de R$ 797,062 milhões no 1TRI22. Esse resultado é 152,9% maior do que no 1TRI21, quando foi de R$ 376,8 milhões.

Eternit (ETER3) obtém lucro líquido de R$ 42 milhões no 1TRI22

A Eternit (ETER3) informou ter registrado lucro líquido de R$ 42 milhões no primeiro trimestre do ano, resultado que é 27,6% menor do que no 1TRI21, quando o lucro foi de R$ 58,4 milhões.

Copel (CPLE6) reporta lucro líquido de R$ 669,8 milhões

A Copel (CPLE6) registrou lucro líquido de R$ 669,8 milhões no primeiro trimestre do ano, ante R$ 759,2 milhões no 1TRI21, sendo então um resultado 11,8% inferior de um ano para o outro.

Santos Brasil (STBP3) registra lucro líquido de R$ 94,2 milhões

A Santos Brasil (STBP3) reportou, no primeiro trimestre do ano, lucro líquido de R$ 94,2 milhões ante R$ 30,9 milhões no 1TRI21. Isso significa que houve uma evolução de 204,9%.

Vittia Fertilizantes (VITT3) tem lucro líquido de R$ 15,6 milhões

A Vittia Fertilizantes (VITT3) informou que obteve lucro líquido de R$ 15,6 milhões no primeiro trimestre do ano, resultado que é 23% superior frente ao 1TRI21.

Allpar (ALPK3) reduz prejuízo líquido

A Allpark (ALPK3) reportou prejuízo líquido de R$ 43,3 milhões no 1TRI22, resultado que é 33,1% menor do que o prejuízo observado no 1TRI21, que foi de R$ 64,7 milhões.

Mahle Metal Leve (LEVE3) tem queda no lucro líquido do 1TRI22

A Mahle Metal Leve (LEVE3) informou lucro líquido de R$ 123 milhões no 1TRI22, sendo 2,5% menor do que o obtido no 1TRI21, que foi de R$ 126,2 milhões.

Fras-Le (FRAS3) registra lucro líquido de R$ 27,9 milhões

A Fras-Le (FRAS3) reportou lucro líquido de R$ 27,9 milhões no 1TRI22. Esse resultado é 53,9% menor do que o registrado no 1TRI21, que foi de R$ 60,5 milhões.

Cias abertas

Petrobras (PETR4) pode ser privatizada, quer novo ministro de MME

A Petrobras (PETR4) pode ser privatizada, segundo o desejo do novo ministro de Minas e Energia, informou o Estadão.

Isso porque Adolfo Sachsida solicitou estudos ao governo federal para a desestatização da petroleira e da Pré-Sal Petróleo (PPSA), responsável pelos contratos da União do pré-sal.

Ele é aliado do ministro da Economia, Paulo Guedes, economista de formação e também defendeu o prosseguimento da venda da Eletrobras, que depende de aval do Tribunal de Contas da União (TCU).

Petrobras (PETR4): Parecer do Cade pode ajudar governo a cortar até 15% no diesel e gasolina

Parecer do Cade sobre Petrobras (PETR4) pode ajudar governo a cortar até 15% no preço de diesel e gasolina, segundo O Globo.

Conforme o jornalão carioca, decisão do órgão de defesa da concorrência pode permitir alinhar preços da estatal aos custos de exportação de combustíveis em vez dos de importação.

Também disse que com a saída de Bento Albuquerque do Ministério de Minas e Energia e seu substituto Adolfo Sachsida já apresentado, o governo agora corre para encontrar opções que reduzam os preços de gasolina e diesel antes da eleição.

O periódico traz ainda que a petroleira vai investir R$ 2,3 bi para ampliar produção de diesel na refinaria de Paulínia, que faz 50 anos hoje. O investimento na maior unidade de refino do país vai ser feito em parceria com empresas Toyo e TSE. Brasil importa 30% do combustível.

Embraer (EMBR3) abre mil vagas de trabalho no Brasil

A Embraer (EMBR3) abriu mil vagas de trabalho no Brasil, informou o Valor acerca da terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo, acrescentando que os postos são para diferentes cargos na hierarquia, em preparação ao ciclo de crescimento projetado para os negócios nos próximos anos.

Também disse que a demanda firme de jatos executivos, a expectativa de retomada na aviação comercial, a entrada em novos mercados – incluindo o lançamento de seu turboélice de última geração e do veículo elétrico de decolagem e pouso vertical (eVTOL) da Eve Holding – e a expansão das coligadas sustentam a abertura das vagas.

3R Petroleum (RRRP3) vai atuar no refino da commodity

A 3R Petroleum (RRRP3) vai atuar no refino da commodity, informou o Valor.

Conforme o periódico, a companhia se prepara para assumir, no primeiro trimestre de 2023, o primeiro ativo da empresa fora do setor de exploração e produção de petróleo e gás, a Refinaria Potiguar Clara Camarão (RN), comprada no processo de desinvestimentos da Petrobras.

Também disse que depois de uma intensa campanha de aquisições nos últimos anos, a companhia iniciou ontem a operação de mais um ativo de produção, o Polo Recôncavo, também comprado da estatal.

Com a incorporação dos novos ativos, a companhia conduz plano de investimentos de US$ 1,2 bilhão que inclui trabalhos para aumento da produção nos campos. Cerca de 40% dos investimentos irão para o Polo Potiguar, onde está a refinaria.

Gol (GOLL4): acionista controlador celebra Master Contribution Agreement

A Gol (GOLL4) informou que seu acionista controlador, a MOBI Fundo de Investimento em Ações Investimento no Exterior (MOBI FIA) celebrou Master Contribution Agreement, que é um acordo a ser feito entre a Corporação e a Sociedade estabelecendo os termos e condições sobre os quais a Corporação transferirá, cederá, transmitirá e estabelecerá ou fará com que seja transferido, atribuído, transmitido e definido, para o parceiro.

De acordo com a aérea, o MCA foi assinado com alguns dos principais acionistas do Investment Vehicle, incluindo Kingsland International Group S.A., Elliott International L.P. e South Lake One LLC.

Também disse que a Avianca Holding é uma sociedade holding que controla a Aerovías del Continente Americano S.A., uma companhia aérea colombiana, que opera sob a marca Avianca, e presta serviços de transporte aéreo regular de passageiros e cargas, na Colômbia e na América Latina.

E acrescentou que a rede da Avianca combina hubs localizados na Colômbia, Equador e El Salvador, conectando diferentes destinos na América do Norte, América Central, América do Sul e Europa.

Nos termos do Master Contribution Agreement, o MOBI FIA contribuirá suas ações da GOL para uma empresa recém-formada, em troca de ações ordinárias da Holding.

Posteriormente, os Principais Investidores da Avianca e as outras partes do Master Contribution Agreement contribuirão suas ações da Avianca Holding para a Holding em troca de novas ordinárias da Holding.

A Holding é uma sociedade de capital fechado, constituída sob as leis da Inglaterra e do País de Gales.

Raízen (RAIZ4) investirá R$ 2 bilhões em plantas de etanol

A Raízem (RAIZ4) informou que foi aprovado pelo Conselho de Administração da companhia a construção da 3ª e 4ª Plantas de Etanol de Segunda Geração (E2G) nos Parques de Bioenergia da Barra e Univalem, ambas no estado de São Paulo.

O investimento na construção das plantas será de R$ 2 bilhões, adicionando uma capacidade de 164 mil m³ de biocombustível por ano. De acordo com a companhia, o investimento esperado já considera o cenário atual de inflação e câmbio para o suprimento e fornecimento de máquinas, equipamentos e mão de obra. A previsão é que as plantas entrem em operação em 2024.

Cesp tem cancelamento de listagem deferido

A Companhia Energética de São Paulo (Cesp) informou que obteve da B3 (B3SA3) o deferimento para o cancelamento voluntário de sua listagem na bolsa de valores, uma vez que a empresa passou recentemente por uma reorganização societária e passou a fazer parte da Auren Energia (AURE3).

Positivo (POSI3) aprova eleição de presidente do conselho

A Positivo (POSI3) aprovou a eleição de Alexandre Silveira Dias ao cargo de presidente do conselho de administração da companhia.

Moura Dubeux (MDNE3) comunica renúncia de diretor

A Moura Dubeux (MDNE3) comunicou a renúncia do diretor Darnon Álvares Medeiro sao cargo de Diretor Técnico e Inovação.

Odontoprev (ODPV3) vende 13,4 mil ações em leilão de fração

A Odontoprev (ODPV3) informou que as frações resultantes do desdobramento foram vendidas nesta quarta-feira (11). Foram alienadas 13.428 ações ordinárias, apurando-se o valor líquido de R$ 9,85 para cada ação.

De acordo com a empresa, o valor líquido apurado será dividido proporcionalmente entre os acionistas titulares dessas frações de novas ações ordinárias da Companhia e pago até o dia 18 de maio de 2022.

Terra Santa (LAND3) elege novos diretores

A Terra Santa (LAND3) elegeu novos diretores para um mandato unificado de um ano. Foram escolhidos José Humberto Teodoro Júnior, como Diretor Presidente e de Relações com Investidores; e César Henrique Gallo do Prado, como Diretor Executivo Administrativo e Jurídico.

Aquisições e fusões

Viveo (VVEO3) anuncia aquisição da Pro Infusion, dona de laboratórios e farmacêuticas

A Viveo (VVEO3) anunciou a aquisição da Pro Infusion, detentora de laboratórios e farmacêuticas.

A companhia, chamada CM Hospitalar S.A., teve o movimento autorizado pelo conselho de administração, e o contrato foi celebrado dia 10 de maio de 2022.

Também disse que a Proinfusion S.A. detém ações representativas do capital social da Seven Fórmulas Quimioterápicas Ltda., a Ative Medicamentos Especiais Ltda., a Statum Participações Ltda., a Hosp-Pharma Manipulação e Suprimentos Ltda. e a Solus Soluções Estéreis S.A.

E acrescentou que a Pro Infusion foi fundada em 1989 e atua no setor de saúde, oferecendo, sobretudo a hospitais e operadoras de saúde, serviços farmacêuticos de manipulação de terapias antineoplásicas com foco em tratamentos oncológicos, manipulação de nutrição parenteral e de outras soluções estéreis.

A adquirida é a maior manipuladora do Brasil com sete operações, presente em São Paulo, Valinhos, Ribeirão Preto, Curitiba, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

O preço de aquisição (enterprise value) é de R$ 256,7 milhões. Em adição a Pro Infusion e conforme divulgado em Fato Relevante no dia 11 de abril de 2022, a Viveo está investindo mais de meio bilhão de reais para comprar a LIFE, a FAMAP e a Pro Infusion e montar sua plataforma de manipulação.

As empresas irão adicionar aproximadamente R$ 90 milhões de EBITDA ao ecossistema da companhia e corroboram a estratégia de ampliar a prestação de serviços para hospitais, clínicas e operadoras de saúde.

A conclusão da Operação está sujeita à implementação de condições precedentes usuais a este tipo de operação, dentre as quais se destaca a aprovação da Operação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE.

Gafisa (GFSA3) assina memorando para aquisição de construtora do mercado de alto luxo

A Gafisa (GFSA3) assinou Memorando de Entendimentos preliminar visando a aquisição da Construtora São José, considerada referência na incorporação imobiliária de alto luxo na grande São Paulo.

Caso concluída, a operação envolverá uma composição entre uma parcela em espécie e assunção de dívidas, cujos valores finais ainda estão sujeitos a confirmação e due diligence.

A concretização da aquisição dependerá do cumprimento de condições precedentes – dentre as quais a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência – CADE, conclusão de diligências, obtenção das autorizações necessárias e negociação e assinatura de documentos definitivos.

Mudança acionária

Alienação de participação acionária relevante na Quero-Quero (LJQQ3)

A Lojas Quero-Quero (LJQQ3) recebeu correspondência do Itaú Unibanco (ITUB4), que reduziu a sua participação acionária, que corresponde a 9.345.050 papéis, ou 4,989% do total de ações ON.

Tenda (TEND3) recebe comunicado da Sharp Capital

A Tenda (TEND3) recebeu comunicado do seu acionista Sharp Capital Gestora de Recursos. De acordo com a empresa que atua no setor imobiliário, o somatório das ações ON detidas pela Sharp Capital foi reduzido ao montante de 4.822.253, que equivale a 4,62% dos papéis da companhia.

Alper (APER3) informa alteração acionária

A Alper (APER3) recebeu correspondência da BC Gestão de Recursos (Brasil Capital). De acordo com a companhia, houve redução nos fundos de investimentos geridos pela Brasil Capital, que passa a deter 2.129.397 ações ordinárias, nominativas, que representam 13,97% do capital social da empresa.

Cury (CURY3): gestora reduz participação

A Cury (CURY3) recebeu comunicado da BC Gestão de Recursos (Brasil Capital). Houve redução dos fundos geridos pela Brasil Capital, que passa a deter o percentual de 4,70% ações ordinárias, que equivalem 13.730.677 papéis.

Desktop (DESK3) informa redução de participação de gestoras

A Desktop (DESK3) informou que recebeu correspondência da JGP Gestão de Recursos e da JGP Gestão Patrimonial na qual estas informam que reduziram, de forma agregada, sua participação acionária no capital social da companhia, passando a deter 4.328.600 ações ordinárias (ON).

Emissões

Taesa (TAEE11) capta R$ 1,25 bi em sua maior emissão de ‘títulos verdes’

A Taesa (TAEE11) captou R$ 1,25 bilhão em sua maior emissão de ‘títulos verdes’, informou o Estadão.

De acordo com o jornal, trata-se de sua 12ª emissão de debêntures, e os recursos serão destinados aos empreendimentos em construção da empresa, com destaque para lote arrematado no último leilão, realizado em dezembro passado.

A demanda pela emissão alcançou R$ 2,1 bilhões e foi classificada como uma das melhores captações do setor elétrico nos últimos dois anos, atingindo um baixo prêmio em relação aos títulos do Tesouro Nacional (NTN-B): na primeira série, com prazo de 7 anos, o spread sobre a NTN-B de referência é de 0,09%; na segunda série, com prazo de 10 anos, de 0,22%; e na terceira série, de 15 anos, de 0,21%.

JBS (JBSS3) cancela ações e aprova programa de recompra

A JBS (JBSS3) comunicou também que cancelou 26,6 milhões de ações, sem prejuízo para o capital social da empresa. Em paralelo, a companhia inicia um programa de recompra de papéis, com o intuito de investir em 113 milhões de ações que estão disponíveis no mercado. O plano terá prazo de 18 meses.

Lojas Marisa (AMAR3) emitirá notas comerciais

A Lojas Marisa (AMAR3) informou que emitirá R$ 50 milhões em notas comerciais, que correspondem a uma oferta de 50.000 notas, todas com valor unitário de R$ 1.000,00. Os papéis terão prazo de vencimento de dois anos

Proventos

Petrobras (PETR4) reajusta dividendos com base na Selic

A Petrobras (PETR4) reajustou dividendos com base na Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira, conforme documento ao mercado.

A petroleira explicou que o valor por ação dos tributos será corrigido pela taxa Selic de 31 de dezembro de 2021 até a próxima segunda-feira (16). Assim, a remuneração ao investidor passa de R$ 2,86 para R$ 2,97 por ação, e os valores começam a ser pagos no dia 16 de abril.

JBS (JBSS3) pagará R$ 2,2 bilhões em dividendos

A JBS (JBSS3) aprovou a distribuição de R$ 2,2 bilhões em dividendos, que corresponde a R$ 1 por ação, sendo que data base para o pagamento é 16 de maio, inclusive. Já os acionistas receberão os valores no dia 24 de maio.

Ultrapar (UGPA3) antecipará pagamento de juros sobre capital próprio

A Ultrapar (UGPA3) comunicou que antecipará o pagamento de juros sobre o capital próprio, para o dia 10 de agosto. Ao todo serão disponibilizados R$ 450 milhões, que correspondem a R$0,41247 por ação.

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias