FII Summit
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
FII Summit: Os desafios do amadurecimento das indústrias de FIIs

FII Summit: Os desafios do amadurecimento das indústrias de FIIs

Vanessa Araujo

Vanessa Araujo

13 Jun 2022 às 11:16 · Última atualização: 13 Jun 2022 · 6 min leitura

Vanessa Araujo

13 Jun 2022 às 11:16 · 6 min leitura
Última atualização: 13 Jun 2022

FII Summit 2022

Depois de quase 30 anos da criação do primeiro Fundo Imobiliário do Brasil, é possível ver um imenso avanço na indústria. Mas ainda há o que ser feito. Entenda os desafios do amadurecimento das indústrias de FIIs

Essa maturidade se reflete no número de investidores que a classe reúne hoje. De acordo com a B3, os FIIs cresceram 660% nos últimos 3 anos. 

A quantidade de CPFs por investidor registrou aumento de 24% no período entre abril de 2021 e março de 2022.

O número saltou de 1,3 milhão, para 1,6 milhão de pessoas. O valor em custódia alcançou R$ 133 bilhões. 

gráfico com evolução de investidores em fiis
Reprodução/B3

Ainda há espaço para crescimento? Especialistas apontam que sim e acreditam em um cenário bastante otimista para os próximos anos.

E quem já investe ou pensa em investir em Fundos Imobiliários deve estar atento a esse movimento para não perder as oportunidades. 

Para dar alguns insights sobre o que vem por aí, reunimos três grandes nomes da indústria: 

Professor Baroni, Analista-chefe de Fundos Imobiliários (FIIs) da Suno Research; Sérgio Belleza, Criador do primeiro Fundo de Investimento Imobiliário brasileiro; e Arthur Vieira, apresentador do programa FIIS no portal Exame.

Eles estiveram reunidos no FII Summit, maior evento sobre Fundo Imobiliários do Brasil.

  • Você pode conferir o painel na íntegra e toda a programação do FII Summit de maneira totalmente online e gratuita. Faça sua inscrição aqui. Aprenda com os grandes nomes do mundo dos fundos imobiliários.

Acompanhe abaixo alguns dos pontos mais importantes do painel “Os desafios do amadurecimento das indústrias de FIIs”:

30 anos depois, o que o mercado de Fundos Imobiliários aprendeu?

Hoje, a maioria dos investidores em Fundos Imobiliários é composta por Pessoa Física, o que representa 74% do volume total, conforme indica a B3. Mas nem sempre foi assim.

Entre os anos de 1993 e 1994 – período em que a Lei No 8.668, que criou os Fundos Imobiliários foi sancionada no Brasil e do aparecimento do “Memorial Office” (FMOF11), primeiro Fundo Imobiliário do país – a missão de conseguir a primeira subscrição foi árdua. 

Desconhecido do grande público, na época, o instrumento representava um verdadeiro desafio comercial, que levou dois anos para receber sua primeira subscrição.

Depois de quase 30 anos, a história é outra.

“Os números que vemos hoje em dia são fabulosos com 1,6 milhão de investidores e me atrevo a falar que o número de investidores em FIIs irá ultrapassar o de investidores em ações”, analisa Sérgio Belleza, Criador do primeiro Fundo de Investimento Imobiliário brasileiro. 

O mercado brasileiro confia em FIIs

“Acho que hoje já existe uma consciência muito grande por parte dos investidores sobre o que são os Fundos Imobiliários. Eles entendem que este é um instrumento de muita credibilidade. É impressionante o envolvimento das Pessoas Físicas dentro deste investimento. É possível ver isso na participação nas assembleias de Fundos Imobiliários, por exemplo”, comenta Belleza. 

Para Arthur Vieira, apresentador do programa FIIS no portal Exame, esta confiança está baseada nos instrumentos de regulação existentes.

“Distribuir Fundos Imobiliários hoje é coisa ‘de gente grande’. É um mercado organizado, regulado, fiscalizado e transparente. Sem dúvida, um sinal de amadurecimento da indústria”. 

Ele ressalta o potencial de transformação do mercado imobiliário, que responde prontamente aos estímulos da conjuntura econômica. 

“Boa parte do crescimento do mercado imobiliário se deu por causa dos Fundos Imobiliários, que levaram bilhões para a construção de galpões logísticos durante a pandemia. Além disso, são os Fundos Imobiliários que financiam boa parte da construção das grandes lajes corporativas”, observa.

FIIs: crescimento dentro de um cenário adverso

“O investidor brasileiro associa muito os Fundos Imobiliários ao comportamento da Selic e esquece de enxergar o ciclo em sua plenitude. Esta barreira entre financeiro e imobiliário precisa ser superada para evoluirmos como mercado. A educação pode mudar isso”, reforça Professor Baroni, analista-chefe de Fundos Imobiliários (FIIs) da Suno Research.

Otimista, ele completa:

“A boa notícia é que a quantidade de investidores vem aumentando. Hoje, temos um crescimento médio de 25 mil novos investidores por mês, mesmo em um cenário de juros desafiador e no qual muitas variáveis ainda não estão respondidas”, observa.

Potencial em trilhões de reais

“Os Fundos Imobiliários têm hoje 177 bilhões de patrimônio, mas estamos dentro de um mercado que são mais de 6 trilhões em outros veículos de investimento e mais de um 1 trilhão de reais em poupança. Ainda há muito o que fazer”, analisa Baroni.

De acordo com ele, o processo de consolidação da indústria resultará na eficiência de todos os players.

“Olhando para daqui a alguns anos, é possível considerar a consolidação e refinamento das estratégias de todos os envolvidos na cadeia, este é um processo natural do amadurecimento”. 

Ainda de acordo com ele, é esperada também uma potencial abertura dos FIIs para novos tipos de ativos. 

“Existem uma infinidade de opções. No mercado americano, por exemplo, em 2022, já tivemos 32 incorporações. Nos próximos anos precisamos falar de eficiência. É preciso criar uma sinergia em toda a cadeia para acessar os 7 trilhões que estão sendo deixados ‘na mesa’, destaca o professor. 

Novas praças 

Para Sérgio Belleza, um dos caminhos para a expansão do mercado é a exploração de outras praças, além do tradicional circuito já conhecido pelos investidores. “É preciso quebrar o ‘bairrismo’, sair do circuito de São Paulo e Rio de Janeiro”, aponta.

Arthur Vieira concorda e vê movimentações interessantes nesse sentido.

“Isso vem acontecendo, vagarosamente. Os próprios administradores estão aprendendo sobre outras praças como Norte e Nordeste brasileiro. Vemos iniciativas interessantes nessas localidades”. 

Avanços regulatórios estão acontecendo

A regulamentação dos Fundos Imobiliários é outro ponto a ser comemorado como um sinal da solidez do setor. “Esse é o pilar do amadurecimento de qualquer indústria”, aponta Vieira.

“A legislação dos Fundos Imobiliários é bastante segura. Essa é uma marca do produto. Observar que a grande massa dos investidores em FIIs é formada por PFs é muito importante, porque esse investidor é cauteloso e o tamanho dessa adesão mostra que ele confia no mercado”, reforça Sérgio Belleza.

Quer saber mais sobre o mercado de Fundos Imobiliários? Não fique de fora!

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias