Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Opep+ decide retornar aos níveis de produção de petróleo do mês de agosto

Opep+ decide retornar aos níveis de produção de petróleo do mês de agosto

Osni Alves

Osni Alves

05 Set 2022 às 09:56 · Última atualização: 05 Set 2022 · 3 min leitura

Osni Alves

05 Set 2022 às 09:56 · 3 min leitura
Última atualização: 05 Set 2022

Imagem mostra uma plataforma de petróleo ao longe.

A Opep+ decidiu retornar aos níveis de produção de petróleo do mês de agosto. Trata-se da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, e o cartel cortará a produção em 100 mil barris diários em outubro.

Com o movimento, a instituição pretende estabilizar os mercados globais por conta do cenário instável da commodity.

Para se ter ideia, às 10h40 o petróleo tipo Brent subia 3,81%, cotado a US$ 96,58, ou seja, o barril continua sendo negociado abaixo dos US$ 100.

A medida causa certo alvoroço no continente europeu, visto que a Região se prepara para um inverno com menos aquecimento – ou aquecimento mais caro devido ao preço do gás que disparou por conta da guerra da Rússia contra a Ucrânia.

Inclusive, nesta segunda-feira (5) o Kremlin informou que somente ligaria o gasoduto que transporta o bem à Alemanha se as sanções econômicas instauradas por conta do conflito militar fossem retiradas.

Isso porque na última sexta (2) a Gazprom, da Rússia, informou que atrasaria a reabertura do oleoduto Nord Stream 1. A companhia, controlada pelo Estado, disse que encontrou uma falha durante a manutenção do gasoduto.

O Nord Stream 1 corre sob o Mar Báltico e fornece gás para a Alemanha e outros países europeus. O oleoduto deveria retomar as operações no sábado, após três dias de manutenção, e a notícia chega em um momento em que a Europa está lutando por combustível para passar o inverno. Nesse cenário, os contratos futuros de gás natural para entrega em outubro caíram mais de 4%.

Também na última semana a União Europeia pediu que a China e a Índia se juntassem à iniciativa do G-7 para aplicar um teto aos preços do petróleo russo, dizendo que é injusto que os países paguem receitas excessivas a Moscou em meio à guerra do Kremlin na Ucrânia.

As nações do G-7 anunciaram dia 2 que concordaram com um plano para impor um preço fixo ao petróleo russo, e a política visa reduzir os lucros que a Rússia obtém com a venda de petróleo e atua como outra medida punitiva contra o Kremlin por seu ataque na Ucrânia.

Imagem mostra homem abastecendo galões com combustível.

Preço do gás dispara

Os preços do gás natural na Europa subiram quase 25% hoje, após a Rússia ter interrompido indefinidamente o fluxo na estação Nord Stream. A decisão alimentou novos receios de uma escassez de gás na Europa no inverno.

Para se ter ideia, o contrato Dutch TTF Gas para entrega em outubro esta manhã estava cotado a 272,995 euros por MWh, o equivalente a um aumento de quase 400% face há um ano. Nos últimos cinco dias, contudo, acumula uma queda 9,71%.

  • Quer saber mais sobre petróleo e aprender a investir no mercado de capitais? Clique aqui!
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias