Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Investimento em CDB é um dos mais populares | EuQueroInvestir

Investimento em CDB é um dos mais populares | EuQueroInvestir

Osni Alves

Osni Alves

28 Abr 2022 às 12:43 · Última atualização: 19 Jun 2022 · 10 min leitura

Osni Alves

28 Abr 2022 às 12:43 · 10 min leitura
Última atualização: 19 Jun 2022

O investimento em CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um dos mais populares do mercado. Ou seja, trata-se de um produto com bastante apelo por sua simplicidade.

Não à toa, todo mundo já ouviu falar nesse tipo de aplicação, embora nem todo mundo saiba, de fato, o que é e como funciona.

Mas isto é muito comum e faz parte do dia a dia das pessoas. Aqueles que um dia foram conversar com o gerente do banco certamente ouviram algo sobre essa sigla. Uma proposta de alocação, talvez. Uma oferta de rentabilidade, quem sabe.

Mas o que é o CDB, afinal?

Para começar, o mais importante é saber que um CDB é um título de renda fixa, e que este tipo de investimento permite que o investidor tenha uma previsibilidade dos ganhos à frente, diferentemente da renda variável, cujos ganhos são, como dito, variáveis.

Na prática, significa dizer que a remuneração do CDB é definida pelo próprio investidor quando ele adquire o produto, ou seja, no momento da contratação. Do outro lado do balcão compete aos bancos ou instituições que operam o Certificado emitirem o ativo com a finalidade de levantar recursos financeiros para si próprios.

Funciona da seguinte forma: há quem tome dinheiro emprestado dos bancos e há quem empreste dinheiro aos bancos. Quem investe em CDBs está, popularmente falando, emprestando dinheiro aos bancos e estes redirecionam esses recursos para empréstimos e financiamentos.

Assim, quem empresta ao banco o faz com base em uma certa rentabilidade futura, e quem toma dinheiro emprestado vai pagar juros em cima do valor adquirido, bem como do tempo estipulado, o chamado prazo. É assim que a instituição financeira remunera o investidor.

Entretanto, diferentemente de outros investimentos de renda fixa, no caso dos CDBs o banco é livre para operar com a rentabilidade que considerar mais oportuna. Por isso, o retorno desse produto está estrelado às condições de mercado, e isso obriga o investidor a estudar o ambiente a sua volta: juros, inflação, dólar. Porém, estudar o cenário é premissa para todo tipo de investimento.

Imagem mostra uma planta nascendo, representando um investimento bem no início.

E existe um tipo ou mais tipos de CDBs?

Esta é uma excelente pergunta e podemos afirmar que existem mais do que um tipo de Certificado de Depósito Bancário (CDB). Isso porque eles se dividem em três categorias distintas, sendo os pré-fixados, os pós-fixados e os híbridos e a diferença entre elas está basicamente na forma como a rentabilidade é calculada.

No caso dos Pré, por exemplo, pode-se dizer que a taxa de rentabilidade exata é informada no momento da aplicação, o que permite ao investidor saber com precisão quanto ele receberá de volta no vencimento do título.

Essa característica se mantém mesmo quando o ambiente econômico se altera sutilmente ou sofre algum impacto macro. Isso faz com quem aqueles que optam por esse veículo de investimento necessite ter uma boa perspectiva sobre as projeções do cenário econômico no período da aplicação, sob o risco de perder oportunidades melhores, dependendo da circunstância.

Já no caso dos Pós, pode-se dizer que estes têm sua rentabilidade atrelada a um indicador econômico, cujo mais utilizado costuma ser o CDI (Certificado de Depósito Bancário), que acompanha muito de perto a SELIC, juros básicos da economia nacional.

Assim, o rendimento costuma ser informado a partir de um percentual sobre o CDI. Então, é comum ver CDBs que prometem ao investidor um retorno de 110% do CDI, por exemplo.

Os Híbridos, por sua vez, funcionam combinando as características dos títulos pré-fixados e dos pós-fixados. Assim, a rentabilidade é obtida a partir da combinação de uma taxa fixa mais a oscilação de um indicador econômico, que podem ser os juros ou a inflação.

Podemos dar como exemplo uma opção que ofereça ao investidor um retorno de 4% ao ano, mais a oscilação da inflação medida pelo IPCA no período. Isso garante que o dinheiro investido não perca poder de compra diante do aumento de preços e faz com que ele obtenha um ganho real.

Já entendi o que é, mas quais são as vantagens?

Falar em vantagens é sempre algo complexo, pois isto vai depender do que o investidor considera melhor para si. Com isso, podemos dizer que não existe fórmula mágica e nem pote de ouro ao final do arco-íris.

Quem quer investir precisa saber o que está fazendo, conhecer o mercado e, tão importante quanto qualquer outra característica, é ter resiliência para vencer as intempéries do mundo dos investimentos. E estas são muitas!

Dito isto, podemos elencar ao menos cinco vantagens acerca do investimento em CDBs, sendo elas a rentabilidade, a facilidade, o baixo risco, a liquidez, e os prazos envolvidos na operação. Em relação à primeira, vale informar que existem Certificados que entregam bons níveis de retorno quando comparados a outros produtos de renda fixa.

Em relação à facilidade, os CDBs são facilmente encontrados em todos os bancos e não demandam a abertura de conta em corretoras. Pode-se dizer, ainda, que todo o investimento e o seu acompanhamento podem ser feitos pela internet, a qualquer momento.

Na sequência, o baixo risco é outra característica bastante reconhecida pelos CDBs. Ainda assim, sempre levando em conta que não existe investimento isento de risco, é necessário considerar esse aspecto também nessa aplicação.

Depois, liquidez que é, em uma linguagem financeira, a boa capacidade de pagamento. Atualmente é possível encontrar títulos com vencimento desde um dia até um, dois, três anos. O que muda, na realidade, é o rendimento oferecido por cada um deles. É possível dizer que quanto mais curto o prazo do investimento (ou seja, quanto maior a sua liquidez), menor será a rentabilidade do título.

Por último, podemos elencar o prazo como outra vantagem importante, visto que este veículo de investimento tem vencimentos bem definidos. Normalmente, eles são emitidos para períodos que variam entre 30 e 1826 dias (5 anos). Então, você saberá quando pode resgatar o seu capital.

Outro ponto importante, ainda relacionado a prazos, mostra que a liquidação também é conhecida. Isso significa que o investidor sabe exatamente o tempo que o emissor tem para transferir o capital aplicado e corrigido na conta bancária.

Formas de investimentos

Como dito anteriormente, cada instituição financeira coloca na praça o CDB do jeito que preferir e o investidor pode começar com aportes menores, como R$ 100 por mês, por exemplo. Vale ressaltar, ainda, que no valor do rendimento é retido o IR (Imposto de Renda) que pode chegar até 22,5% conforme abaixo:

  • aplicações até 180 dias: 22,5%
  • aplicações até 181 a 360 dias: 20%
  • aplicações até 361 a 720 dias: 17,5%
  • aplicações acima de 720 dias: 15%.

Outro ponto importante é que todos os investimentos de renda fixa possuem prazos de vencimento bem definidos. Os CDBs costumam ser emitidos para períodos entre 30 dias e 5 anos. Para prazos inferiores a 30 dias, incidirá o IOF conforme a Tabela Regressiva de IOF4.

Você não precisa se preocupar com o pagamento dos impostos, pois o próprio banco recolhe para o fisco a parte que lhe é devida.

Cabe destacar que o CDB é protegido por Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até o valor máximo de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e aplicações em cada instituição ou instituição financeira, limitado apenas pelo teto R$ 1 milhão, a cada 4 anos, com garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Importante frisar, também, que alguns títulos têm uma data de carência. Funciona como um período em que você precisa ficar com a aplicação até poder ter liquidez diária. Mas cuidado: há muitos CDBs que oferecem a carência na mesma data do vencimento.

Ou seja, significa que você precisa carregar o título até o fim. É importante entender qual é o prazo de carência, o prazo de vencimento e a própria liquidez do CDB que você deseja. Esses termos definirão se é como o investidor pode resgatar seu dinheiro antes da hora programada.

Lembre-se: um título que você precise carregar até o vencimento não é necessariamente ruim. Ele pode ser interessante para determinados objetivos. O cuidado fundamental é planejar suas condições financeiras para não precisar do dinheiro antes da data.

Já em relação à tributação do investimento, saiba que há cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nas aplicações. O Imposto de Renda, no caso, é cobrado conforme a tabela regressiva — que beneficia quem mantém o investimento por mais tempo.

A alíquota máxima cobrada é de 22,5% para investimentos inferiores a 180 dias, e a mínima é a de 15%, para aplicações acima de 720 dias. A taxa é cobrada apenas sobre o rendimento (ou seja, sobre os juros recebidos), e não sobre o valor total do investimento.

Recorrendo a assessores para se municiar de todas as informações

Mesmo compreendendo tudo acerca de investimentos, é recomendável também contar com profissionais especializados na hora de fazer levantamentos, cálculos e decidir por vender ou segurar.

A EQI Investimentos, por exemplo, conta com mais de mil profissionais treinados para oferecer sempre a melhor assessoria sobre todo tipo de investimento. A empresa atende por telefone, chat, e-mail e coloca seu time à disposição para ligar aos interessados também.

Além disso, mantém no ar o portal Euqueroinvestir.com com notícias, artigos e análises de maneira a manter seu público sempre bem-informado. E não apenas isso, mas também um canal no YouTube com aulas, análises, call de mercado e tudo o que é essencial ao investidor, seja ele iniciante ou alguém cum uma carteira robusta.

EQI é BTG Pactual (BPAC11)

A EQI alcançou, recentemente, R$ 14 bilhões sob custódia, o que faz dela uma das maiores assessorias do país. Isso se dá também por conta dos muitos escritórios em cidades importantes, sendo capitais ou não.

Além disso, a EQI é associada do BTG Pactual (BPAC11), ou seja, tratar com a EQI é tratar com o maior banco de investimentos do Brasil, o que garante agilidade e segurança, além de uma infinidade de opções e operações à disposição do investidor.

Inclusive, o investidor que quiser se aprofundar ainda mais acerca da marcação a mercado pode obter, gratuitamente, um documento do próprio BTG. O objetivo, com isso, é municiar o investidor com todos os recursos possíveis, de maneira que ele conheça cada vez mais e se sinta seguro e confortável para fazer seus movimentos no mercado de capitais.

  • Quer saber mais sobre CDB? Então preencha este formulário que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato para mostrar as aplicações disponíveis!
A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias