Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Quem se interessa por criptos deve conhecer sobre Initial Coin Offering (ICO)

Quem se interessa por criptos deve conhecer sobre Initial Coin Offering (ICO)

Osni Alves

Osni Alves

23 Set 2022 às 14:03 · Última atualização: 23 Set 2022 · 6 min leitura

Osni Alves

23 Set 2022 às 14:03 · 6 min leitura
Última atualização: 23 Set 2022

Imagem mostra uma cotação de criptoativos em tablet e celular e telão.

Os investidores que se interessam por criptoativos devem conhecer tudo sobre Initial Coin Offering (ICO), que são, basicamente, a oferta inicial de ativos virtuais.

Isso porque quando o assunto é ativo tradicional, como ações de empresas, por exemplo, os investidores estão sempre atentos à oferta pública inicial (IPO).

O volume de investimento em ativos digitais está crescendo exponencialmente e há uma enorme variedade de produtos no mercado.

Quem lê pouco talvez pense que o Bitcoin é o que há de mais avançado na praça, entretanto, outros criptoativos são tão atrativos quanto este em termos de retorno.

É o caso, por exemplo, do Ethereum, ou Eth, cotado nesta data em US$ 1.360,75 contra US$ 19.262,80 do Btc. Os dois ativos estão em queda livre no mercado, mas poucos dias atrás o primeiro subia e virou a chave por conta da atualização (the merge).

Isso porque o Ethereum mudou o mecanismo usado pela rede, de proof-of-work (PoW) para proof-of-stake (PoS) – um movimento esperado há alguns anos pela comunidade e entusiastas.

Porém, a queda se dá não apenas pela modificação em si, mas porque há um mau humor generalizado no mercado em razão da expectativa de mais aumentos da taxa de juros nos Estados Unidos pelo Federal Reserve (Fed, o Banco Central americano) e possível recessão.

Ainda assim, investidores mais otimistas dizem acreditar que esse recuo torna o ativo atrativo em termos de preço, ou seja, trata-se de um possível ponto de entrada para quem ainda estava fora desse segmento.

Os criptoativos vão voltar a performar?

A aposta é que, assim que passar toda a ansiedade do mercado por conta dos movimentos do Fed, os criptoativos voltem a performar. Desta forma, como o Ethereum está três vezes mais barato que o Bitcoin, investidores menos confiantes podem começar por ele para depois escalar para o ativo digital mais conhecido no mundo.

Alguns especialistas desse segmento dizem acreditar, inclusive, que nas próximas semanas o Btc deverá saltar para mais de US$ 20 mil. Outros analistas, inclusive ligados à Bloomberg, apostam em US$ 100 mil nos próximos três anos.

Seria uma evolução e tanto, e muita gente poderia encher os bolsos, ainda assim é preciso frisar que este artigo não é uma recomendação de compra, esses números são, neste momento, especulações de mercado, e o segmento está mais volátil do que de costume.

Imagem mostra algumas moedas digitais sobre um notebook.

O que é o Initial Coin Offering (ICO)?

Em se tratando da Initial Coin Offering (ICO), que é a Oferta Inicial de Ativos Virtuais, como já dito, pode-se dizer que é por meio delas que novos projetos de criptoativos são oferecidos para o mercado em geral.

Cabe lembrar que investidores com alguma experiência estão sempre de olho em produtos novos no mercado justamente pelo potencial de valorização.

Uma reportagem publicada no Valor Econômico dia 19 de setembro, inclusive, destaca que a alocação de uma pequena parcela de recursos em fundos de investimento de ativos digitais pode ser uma boa opção para quem quer aproveitar as oportunidades que esse mercado ascendente pode oferecer, desde que respeitado o perfil de investidor e o horizonte de longo prazo.

Conforme o jornal, nesse caso a alocação é recomendada apenas para investidores arrojados, já que a volatilidade dos ativos é muito alta, com grandes ganhos e perdas se equivalendo, principalmente, no curto prazo.

ICO tem ligação com Blockchain?

Voltando às ICO, pode-se dizer que estas têm por intuito arrecadar recursos para um projeto baseado em blockchain. O objetivo pode ser, por exemplo, a produção de uma nova moeda ou de um produto ou serviço.

Quando um desenvolvedor pretende implementar uma ICO, ele deve verificar se não está infringindo regulações locais.

Ele também deve conferir quais investidores podem participar e, na sequência, deve criar o projeto, montar a equipe e desenvolver o whitepaper.

Na prática, significa dizer que o whitepaper é um documento com detalhes comerciais e financeiros do projeto. Ou seja, é um documento com todas as informações importantes sobre o projeto e a cripto.

Quais as vantagens de uma ICO?

Em relação às vantagens de uma ICO, elas costumam ser atrativas aos pequenos empreendimentos que não teriam outra chance de conseguir investimentos com o mesmo potencial de ganho que existe no negócio dos criptoativos.

Outro ponto chave é o alto potencial de retorno para quem aplica por meio de empresa, visto que apesar do risco e da volatilidade, as ofertas costumam ter um preço baixo.

Como exemplo, o criptoativo Solana foi lançado em abril de 2022 por US$ 0,22 e, em setembro de 2021, já estava valendo US$ 208.

Pode-se frisar, também, que qualquer empresa pode levantar dinheiro de qualquer lugar do mundo, diferentemente dos IPOs, procedimento este com restrição geográfica.

Os investidores podem, ainda, criar comunidades sobre um ativo digital específico, ou mais, trocarem informações e experiências e acompanharem o mercado.

Como contraponto, o investidor deve se ater à liquidez do ativo, visto que existe a chance de que não haja muita gente interessada em comprar as criptos pelo preço cotado.

Para além disso, alguns investidores consideram que todo o processo de armazenar as criptos em locais seguros é um risco. Outro risco diz respeito à manipulação de preços.

  • Quer saber mais sobre Initial Coin Offering (ICO) e aprender a investir em criptoativos? Clique aqui!
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias