FII Summit
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
FII Summit: AAA – Investindo em Fundos Imobiliários

FII Summit: AAA – Investindo em Fundos Imobiliários

Vanessa Araujo

Vanessa Araujo

13 Jun 2022 às 11:08 · Última atualização: 13 Jun 2022 · 5 min leitura

Vanessa Araujo

13 Jun 2022 às 11:08 · 5 min leitura
Última atualização: 13 Jun 2022

FII Summit 2022

O que o mercado imobiliário AAA (ou Triple A), aquele que se refere ao que há de melhor na categoria de empreendimentos corporativos na atualidade – pode oferecer para o investidor hoje? 

Prédios luxuosos, localizados em regiões de altíssima valorização, como os da Faria Lima e região da Chucri Zaidan, ambas na cidade de São Paulo, sofreram durante a pandemia da Covid-19 e o inevitável home office.

A vacância em tais empreendimentos era impensável antes de março de 2020. Até que a necessidade de isolamento social foi amplamente recomendada pelas autoridades.

Muitas empresas chegaram a decretar o fim de suas atividades presenciais, prevendo um cenário mais duradouro do que realmente foi. 

A vacinação contra a doença tem se mostrado eficaz para amenizar a gravidade da situação. 

A sociedade pode, agora, respirar um pouco mais aliviada, assim como os investidores dos Fundos Imobiliários do segmento corporativo.

E para 2022, o que os grandes investidores estão esperando? 

A Monett, plataforma de análises comandada por Felipe Paletta, conversou com esses grandes player para obter respostas.

Paletta é um dos palestrantes do FII Summit, maior evento sobre Fundo Imobiliários do Brasil.

  • Você pode conferir o vídeo na íntegra e toda a programação do FII Summit de maneira totalmente online e gratuita, fazendo sua inscrição aqui

Aprenda com os grandes nomes do mundo dos fundos imobiliários.

Acompanhe agora alguns pontos: 

Mercado AAA anima investidores 

Existem empreendimentos que “se vendem” por si só. É o caso das torres do Rochaverá, ícones da cidade de São Paulo e, também, uma das responsáveis pelo ingresso da região da Chucri Zaidan no hall de ativos de altíssimo padrão. 

O empreendimento é um dos exemplos de imóveis que foram construídos dentro da estrutura do investimento privado e só depois foram adquiridos pelos Fundos Imobiliários. 

Hoje, gestores de Fundos de ativos localizados naquela região estão confiantes de que aspectos como a localização manterão boas taxas de ocupação, bom custo de aluguel e o interesse de investidores atentos. 

Eles acreditam na solidez deste mercado, embora ainda haja altas taxas de vacância em virtude da pandemia e do home office. 

Para eles, a desvalorização é pontual e não reflete um sistema imobiliário quebrado ou sem futuro. Ao contrário, está repleto de oportunidades.

Dando suporte a essas projeções está a indústria de Fundos Imobiliários. Hoje muito mais madura e diversificada. 

Ciclo do mercado imobiliário

Quem entende do segmento imobiliário sabe que o mercado é cíclico: existe o momento de expansão, super oferta, recessão e recuperação. 

O que acontece é que dependendo de cada segmento, pode-se ter um ciclo mais curto ou mais longo. 

Prova disso é o setor de logística que foi (no bom sentido) “a bola da vez” nos últimos dois anos. 

O fator que mais contribuiu para isso foi a ascensão do e-commerce, que se acentuou na ocasião da pandemia, justificada pela necessidade de comprar online.

Além disso, este é um segmento mais favorecido quando o assunto é oferta de novos empreendimentos. 

Isso porque a construção de galpões logísticos é mais rápida que a obra de um prédio corporativo. 

O que garante que a oferta desses imóveis seja mais controlada, sendo possível dosar o momento certo de começar a construção ou “Built to suit”.

Setor logístico pode crescer exponencialmente

Este é um mercado que tem a possibilidade de dobrar de tamanho nos próximos 3 anos, acreditam os especialistas em Fundos Imobiliários. 

E a pandemia apenas instaurou uma nova cultura de comprar online. 

Analistas do setor calculam que essa nova demanda pode representar um crescimento exponencial por espaço de galpões: a cada US$ 1 bi de faturamento do e-commerce, deve gerar uma demanda de 100 a 120 mil metros quadrados de galpão, apontam.

Isso quer dizer que observando um cenário de 3 a 5 anos e considerando um crescimento do e-commerce entre 15 a 20%, é possível calcular a construção de 3,5 a 5 milhões de metros quadrados de galpão somente para atender a este segmento em específico. 

Fundos Imobiliários: é agora ou nunca

Para quem já investe no setor, os Fundos Imobiliários estão em um ponto inicial na jornada brasileira.

Hoje, o mercado é representado por mais de um milhão e meio de investidores, segundo informações da B3. 

De acordo com a Bolsa de Valores, a quantidade de CPFs por investidor em FIIs registrou aumento de 24% no período entre abril de 2021 e março de 2022.

O número saltou de 1,3 milhão, para 1,6 milhão de pessoas. O valor em custódia alcançou R$ 133 bilhões, alta de 13%. 

A maioria dos investidores em Fundos Imobiliários é composta por Pessoa Física, o que representa 74% do volume total e mostra a confiança histórica do brasileiro no mercado imobiliário. 

Em 2022, mesmo com a Selic ainda em tendência de alta, o ritmo de investimento em FIIs deve continuar ascendente. 

Dessa forma, investidores atentos estão aproveitando as janelas atuais para a compra de fundos baratos e que continuam pagando bons dividendos. 

A expectativa é de que em 5 anos, o mercado de Fundos Imobiliários alcance números na ordem de 5 a 10 milhões de investidores.

Isso tudo será reflexo de uma indústria muito mais líquida e madura. 

O mercado já está mais sofisticado e com mais opções e as alternativas para as Pessoas Física ainda tem muito potencial para evoluir, considerando que o mercado brasileiro siga os passos dos mercados dos EUA e Europa. 

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias