Ações
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
CVM | MRV (MRVE3) liquida operações da carteira Pró-Soluto

CVM | MRV (MRVE3) liquida operações da carteira Pró-Soluto

Osni Alves

Osni Alves

01 Jul 2022 às 09:37 · Última atualização: 01 Jul 2022 · 5 min leitura

Osni Alves

01 Jul 2022 às 09:37 · 5 min leitura
Última atualização: 01 Jul 2022

BTG

Divulgação

A MRV (MRVE3) informou ter liquidado as operações referentes à venda de carteira Pró-Soluto.

De acordo com a companhia, o movimento se deu no âmbito de operações de securitização, realizado em 03 de junho de 2022 e rerratificada em 23 de junho de 2022.

O valor total das ofertas corresponde à R$ 396.280 milhões, ao qual foram aplicados descontos relativos às despesas e constituição dos Fundos de Reserva e de Despesa, sendo o montante líquido total recebido pela companhia de R$ 349.429.603,29 milhões.

Conforme a empresa, as vendas foram realizadas em duas operações de securitização de certificados de recebíveis imobiliários distintos, emitidos pela True Securitizadora.

CRI PRO SOLUTO I: No âmbito das 1ª e 2ª séries da 13ª emissão, o valor total da oferta correspondeu à R$ 226.280.000,00 milhões, sendo o montante líquido recebido pela companhia de R$ 199.669.118,48 milhões.

CRI PRO SOLUTO II: No âmbito das 1ª e 2ª séries da 48ª emissão, o valor total da oferta correspondeu à R$ 170.000.000,00 milhões sendo o montante líquido recebido pela companhia de R$ 149.760.484,81 milhões.

Vale (VALE3) firma acordo para fornecimento gás natural com a Eneva (ENEV3)

A Vale (VALE3) firmou contrato para viabilizar o fornecimento de gás natural para a usina de São Luís, no Maranhão, a partir de 2024, com a Eneva (ENEV3).

De acordo com a mineradora, a medida consolida o uso deste combustível em todas as suas plantas de pelotização. Para atingir essa meta, a Vale está investindo entre US$ 4 bilhões e US$ 6 bilhões.

Também se comprometeu a cortar em 15% das emissões da sua cadeia de valor até 2035 e ser carbono zero até 2050.

A Eneva, por sua vez, informou que o contrato terá vigência de cinco anos a partir do início do fornecimento comercial, previsto para o primeiro semestre de 2024. A companhia suprirá o GNL a partir de suas concessões na Bacia do Parnaíba, onde será instalada uma unidade adicional de liquefação de gás natural com capacidade instalada de 300.000 m³/dia.

Eletrobras (ELET3): SAESA firma acordo para extinção de cumprimento de sentença

A Eletrobras (ELET3) informou na manhã desta sexta-feira (1º) que a sociedade de propósito específico Santo Antônio Energia S.A (SAESA) firmou acordo para extinção de cumprimento de sentença.

De acordo com documento ao mercado, a SAESA realizou acordo com o Grupo Industrial Complexo Rio Madeira (GICOM), para extinguir a Ação de Cumprimento de Sentença proposta pelo GICOM, que trata de uma parcela do valor definido em sentença arbitral.

Também disse que a SAESA é uma controlada da Madeira Energia S.A (MESA), na qual Furnas Centrais Elétricas detém 72,36% do Capital social.

CCR (CCRO3) diz que, se reajustes de contratos não forem aplicados, adotará medidas cabíveis

A CCR (CCRO3) informou, acerca da decisão do governo do estado de São Paulo de não reajustar os contratos de concessão de rodovias, previsto para ocorrer a partir de hoje, que tomou conhecimento da medida por meio de Edição Suplementar do Diário Oficial do Estado de São Paulo, datada de 30 de junho de 2022.

Em nota, disse que “o Grupo CCR espera que o Estado de São Paulo reitere o seu respeito a lei e aos contratos de concessão em vigor, visando estabelecer medidas adequadas e imediatas para evitar os desequilíbrios contratuais. Não o fazendo, as Concessionárias adotarão as medidas cabíveis para garantir a aplicação dos direitos contratualmente estabelecidos”.

Orizon (ORVR3) informa autorização para geração em UTE Paulínia

A Orizon (ORVR3) informou que a Aneel publicou dia 29 de junho a liberação da última unidade geradora da UTE Paulínia, da qual a companhia detém 33,33% do capital social. Assim, fica confirmado o completo início da operação comercial do projeto a partir de ontem (quinta-feira) com fornecimento de volume médio de 15,7 MW. A companhia divulgou também a implantação de uma unidade de purificação de biogás para a produção de biometano, através da subsidiária integral Orizon Biometano Paulínia.

Ecorodovias (ECOR3) se manifesta sobre congelamento de pedágios em São Paulo

A Ecorodovias (ECOR3) se posicionou acerca da decisão do governo do estado de São Paulo de não aplicar os reajustes de tarifas de pedágio, que deveriam vigorar a partir de hoje. Assim como a CCR (CCRO3), a companhia disse ter tomado conhecimento da decisão por meio do Diário Oficial de São Paulo, afirmando que “acompanhará as providências do Poder Concededente e analisará as medidas necessárias para resguardar seus direitos e assegurar o cumprimento dos contratos de concessão da Ecovias dos Imigrantes e Ecopistas”.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias