Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
BTG (BPAC11) revê projeções sobre JHSF (JHSF3) diante de novo cenário

BTG (BPAC11) revê projeções sobre JHSF (JHSF3) diante de novo cenário

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

03 Fev 2022 às 18:41 · Última atualização: 03 Fev 2022 · 2 min leitura

Redação EuQueroInvestir

03 Fev 2022 às 18:41 · 2 min leitura
Última atualização: 03 Fev 2022

JHSF (JHSF3); BTG

JHSF (JHSF3)

O banco BTG Pactual (BPAC11) está revisando as projeções para JHSF (JHSF3) para incluir o cenário macro mais desafiador. Isto inclui taxas de juros mais altas, menor crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), entre outros fatores. Porém, mantém a visão positiva sobre o negócio.

De acordo com o relatório do banco, apesar do cenário macro mais difícil, o banco manteve a visão positiva. Pois a empresa é considerada bem posicionada no segmento de altíssima renda (mais defensivo) com um valuation atraente. Neste ponto, o BTG vê uma grande vantagem com relação às ações da empresa.

BTG (BPAC11): negócios imobiliários permanecem relevantes

Ainda de acordo com o documento, os negócios imobiliários permanecem relevantes graças estoque e banco de terrenos de qualidade.

O segmento de habitação da JHSF tem sido o principal impulsionador de seus bons resultados nos últimos dois anos. Este foi impulsionado por forte demanda por segundas residências; e baixas taxas de juros.

“Embora reconheçamos que as vendas de imóveis devem desacelerar no cenário macro mais difícil, acreditamos que a forte exposição da JHSF a indivíduos de alto patrimônio mitiga o aumento das taxas de juros – esses compradores de imóveis são menos dependentes de hipotecas”, informa trecho do relatório.

Segundo o banco, como a JHSF possui margens robustas em seus projetos, a contribuição do segmento habitacional para o resultado consolidado deve permanecer sólida em 2022-23.

Renda recorrente se recupera aos poucos

A divisão de renda recorrente da JHSF, como shoppings, hotéis, restaurantes e aeroportos, sofreu muito desde o início da Covid-19. Mas registrou uma forte recuperação nos últimos dois trimestres, com as vendas dos shoppings já superando os níveis pré-pandemia.

Em paralelo, o segmento aeroporto está crescendo bem e os hotéis e restaurantes também estão mostrando alguma recuperação (embora ainda abaixo dos níveis de 2019).

“Assim, a JHSF planeja expandir sua atuação, com projetos já aprovados e/ou em construção em todos os segmentos – sua ABL na divisão de renda recorrente pode dobrar, gerando bons retornos – de aproximadamente 20% YoC”, aponta outro trecho do relatório.

Jogada defensiva

Como a JHSF visa pessoas de alto patrimônio, o banco avalia a ação como uma “jogada defensiva” em meio ao cenário macro mais difícil. Isto porque seus clientes são menos dependentes de hipotecas e têm poder de compra muito maior.

“Como tal, acreditamos que a JHSF deve navegar muito bem no cenário macro mais difícil (como foi o caso da Covid-19, quando a venda de bens de luxo disparou)”, aponta.

Com forte crescimento à frente e um valuation considerado atraente, o banco reafirma a classificação de compra com upside de 46% no preço-alvo de soma das partes de R$ 9,00/ação, segundo o BTG.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias