Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Athena Saúde (ATEA3): conheça a empresa de planos de saúde e odontológicos

Athena Saúde (ATEA3): conheça a empresa de planos de saúde e odontológicos

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

26 Jun 2021 às 14:00 · Última atualização: 26 Jun 2021 · 9 min leitura

Redação EuQueroInvestir

26 Jun 2021 às 14:00 · 9 min leitura
Última atualização: 26 Jun 2021

porcentagem

porcentagem

Com atuação há quatro anos no mercado de planos de saúde e assistência odontológica, a Athena Saúde quer competir no acirrado segmento de saúde na Bolsa de Valores.

A empresa, que protocolou seu pedido de IPO este ano, mas que pediu a paralisação do processo, quer reunir recursos para ampliar sua atuação principalmente fora do eixo Rio de Janeiro-São Paulo.

As operações da companhia estão distribuídas hoje nos estados do Piauí, Maranhão, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Paraná e Rio Grande do Sul. Mas a empresa quer crescer ainda mais, e conquistar novos Estados por meio de fusões e aquisições.

Vamos conhecer melhor esta empresa?

Athena Saúde nasceu em 2017

Criado 2017, o Grupo Athena foi constituído como uma nova tese de investimento do fundo de investimento Brazilian Private Equity V Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, gerido pelo Pátria Investimentos Ltda.

O objetivo era organizar um modelo de negócio inovador e diferenciado em saúde no Brasil. Ou seja, saudável e sustentável, na busca pela entrega humanizada de saúde de qualidade por meio de valores acessíveis e competitivos, alinhado com o investimento em tecnologia, infraestrutura e gestão.

No mercado há 30 anos, o Pátria é uma das maiores gestoras de investimentos alternativos da América Latina, sendo pioneiro em Private Equity no Brasil, e tem como uma das suas principais sócias a Blackstone, líder mundial na gestão de investimentos alternativos.

Histórico de aquisições

A trajetória da Athena, marcada por um significativo crescimento por meio de aquisições, começou em outubro de 2017, com a aquisição do Grupo Med Imagem, um reconhecido grupo de saúde do estado do Piauí.

A aquisição do GMI consistiu na compra de cinco hospitais, com 362 leitos no total, um centro médico e duas operadoras de planos de saúde reconhecidas.

Em junho de 2018, a empresa passou a operar na região sudeste do Brasil ao ingressar no estado do Espírito Santo com a aquisição do Vitória Apart Hospital, hospital de referência na região.

Em fevereiro de 2019 foi concluída a aquisição da SAMP Espírito Santo Assistência Médica Ltda., uma operadora de planos de saúde, referência em saúde suplementar no estado do Espírito Santo. Ainda em 2019, outras duas aquisições menores foram feitas, porém bastante estratégicas: um centro de exames neuro-cardiovascular, o Hemodinâmica, localizado dentro do VAH, e uma clínica de imagem, a Med Imagem Jóquei, localizada na cidade de Teresina, no estado do Piauí.

Em setembro de 2019, a Athena iniciou operações na região sul do país por meio da aquisição do Grupo Multivida, grupo verticalizado composto pela operadora de planos de saúde Santa Rita Saúde.

Durante o ano de 2020, o grupo concluiu a aquisição do Centro Médico Maranhense S.A., da Clínica Luiza Coelho Ltda. e da Maxlab Medicina Diagnóstica Ltda., além da Unihosp Serviços de Saúde Eireli, Oncolife Clínicas Ltda. e Clínica de Atendimento de Prevenção à Saúde Ltda.  Também foi feita a compra do Hospital do Coração de Natal Ltda.

Por fim, em 2021, o grupo adquiriu o Hospital Marechal Cândido Rondon S.A., do Paraná, e a Pró Salute – Serviços para Saúde S.A., situada no Rio Grande do Sul.

Athena Saúde

O negócio da Athena

A Athena Saúde diz que é uma das maiores empresas de saúde suplementar verticalizada do país em números de beneficiários, conforme dados da ANS. Ela oferece planos de assistência à saúde e odontológica, além de uma rede própria de atendimento com hospitais, centros médicos e pronto atendimentos.

A atuação é em cidades fora do eixo Rio de Janeiro – São Paulo, tendo em vista que estas regiões representam um mercado menos concentrado e, ao ver da empresa, possibilitam maiores oportunidades de crescimento orgânico e inorgânico.

“Acreditamos que nosso modelo de negócios somado à oportunidade de crescimento no mercado em que atuamos nos transforma, consequentemente, em uma empresa com potencial de crescimento”, diz a empresa no prospecto preliminar.

Desde sua criação em 2017, a Athena Saúde quintuplicou, de forma orgânica e inorgânica, a base de clientes.

As operadoras de planos de saúde atuam de forma segmentada oferecendo planos empresarial, adesão e individual.

Assim, a empresa acredita que seu diferencial estratégico está relacionado não apenas à adoção de um modelo verticalizado, mas também à propriedade de marcas reconhecidas em toda cadeia operacional do nosso negócio, incluindo operadoras, hospitais e centros médicos.

Excluindo planos ambulatoriais, o ticket médio da empresa é de R$ 220,82. Ou seja, permite criar uma carteira de clientes pulverizada nas regiões em que a empresa atua.

“Nossa estratégia é embasada na busca pela dominância regional, de forma a melhor atender às necessidades de nossos beneficiários, que priorizam o atendimento local resolutivo e de qualidade. Procuramos continuamente inovar por meio de modernizações, expansões e ampliações de unidades, da realização de investimentos relevantes e contínuos em sistemas, na capacitação de pessoal e na infraestrutura”.

Beneficiários mais jovens

Segundo dados da ANS, em 31 de dezembro de 2020, a faixa etária média dos beneficiários era de 30,2 anos, enquanto a média do setor nas mesmas regiões era de 33,9 anos. Além disso, somente 7,5% da carteira de clientes da Athena Saúde eram beneficiários acima de 60 anos, comparado a média de 13,2% de demais operadoras verticalizadas.

Nos últimos dois anos, de 31 de dezembro de 2018 a 31 de dezembro de 2020, a carteira de clientes de plano de saúde e odontológico da Athena Saúde apresentou um crescimento acelerado e contínuo de 400,2%. Assim, atingiu  em 31 de dezembro de 2020 aproximadamente 802,4 mil beneficiários, fruto tanto de crescimento orgânico quanto de aquisições.

Em 31 de dezembro de 2018, 2019 e 2020, a carteira de beneficiários de saúde era de aproximadamente 141 mil, 467 mil e 671 mil beneficiários, respectivamente.

Rede própria e credenciada

A Athena Saúde acredita que sua rede própria está estrategicamente localizada em regiões de grande potencial de crescimento e desenvolvimento econômico e alta densidade populacional.

A dominância regional é concretizada por meio de uma base composta por sete operadoras de planos de saúde, dez hospitais, 1.104 leitos hospitalares, 30 centros médicos e oito pronto-atendimentos.

Além da rede médico-hospitalar própria, a empresa também oferece aos clientes a possibilidade de utilização de extensa rede médico-hospitalar credenciada. Assim, os beneficiários contam com uma ampla rede credenciada em outras localidades em que não há viabilidade econômica para a implantação e manutenção de uma rede médico-hospitalar própria ou em regiões que ainda estão em fase de expansão.

Estratégias da Athena

  • Foco no crescimento e em expansão geográfica para outras localidades do país por meio de aquisições estratégicas consistente com o modelo de negócio;
  • Intensificar a expansão geográfica para mercados adjacentes aos que a empresa já opera;
  • Impulsionar o crescimento orgânico, especialmente por meio do segmento odontológico, utilizando-se, inclusive, de estratégia de cross-selling;
  • Desenvolver a transformação digital;
  • Acelerar e impulsionar a estratégia comercial por meio da multicanalidade, oferta segmentada, cross-selling, capilaridade e posicionamento das marcas.

Dados econômico-financeiros

O lucro líquido da Athena Saúde passou de R$ 2,5 milhões em 2018 para R$ 3,0 milhões em 2019 e R$ 14,4 milhões em 2020.

O Ebitda da empresa cresceu de R$ 56,6 milhões (2018) para R$ 81,8 milhões (2019) e R$ 128,5 milhões (2020).

Já a margem Ebitda variou de 10% (2018) para 7,4% (2019) e 9,5% (2020).

Por fim, a receita da empresa saltou de R$ 565 milhões em 2018 para R$ 1,1 bilhão em 2019 e R$ 1,3 bilhão no ano passado.

Athena Saúde

Pontos fortes

  • Posição de liderança nos mercados de atuação e histórico de crescimento acelerado e contínuo;
  • Proposta de valor diferenciada para os clientes;
  • Modelo de assistência à saúde verticalmente integrado e pulverizado;
  • Sólida performance operacional e financeira com comprovado histórico de aquisições e integração de negócios;
  • Gestão experiente e qualificada, apoiada pelo forte suporte e conhecimento dos acionistas, com uma sólida governança corporativa e diversas iniciativas de ESG.

Fatores de risco da Athena Saúde

  • A companhia enfrenta concorrência significativa em um mercado com diversos players. Tanto com concorrentes atuais quanto com novos concorrentes que possam vir a explorar este setor, o que pode afetar adversamente a sua participação de mercado, situação financeira e resultados operacionais;
  • Os negócios da empresa dependem, em grande medida, da reputação de sua marca junto aos beneficiários, clientes e à comunidade médica das regiões em que atua;
  • Caso a Athena Saúde não consiga estimar ou controlar precisamente os custos de assistência à saúde ou não possa aumentar os preços de seus planos para compensar aumentos dos custos, os resultados de suas operações poderão ser adversamente afetados;
  • A companhia pode não ser capaz de realizar associações e/ou aquisições no momento e em termos ou preços desejados. Adicionalmente, tais associações e/ou aquisições podem não trazer os resultados que a companhia espera e/ou a companhia pode não ser capaz de integrá-las com sucesso aos seus negócios;
  • As aquisições e/ou associações poderão sofrer restrições ou poderão não ser aprovadas pelo Cade ou pela ANS.

IPO paralisado

A Athena Saúde protocolou em abril deste ano o pedido de IPO na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

A empresa chegou a definir até a faixa de preços da oferta em maio, mas acabou pedindo para suspender o IPO. Assim, a suspensão segue até 6 de agosto. Segundo a empresa, a suspensão foi motivada “tendo em vista as atuais condições de volatilidade no mercado de capitais”.

A oferta base é de 120.551.640 ações. Assim, considerando o meio da faixa, de R$ 20,74, o negócio poderia movimentar quase R$ 2,5 bilhões.

A empresa pretende fazer uma oferta primária e secundária de ações.

Por fim, a companhia quer ser listada no Novo Mercado.

Bank of America, XP, Bradesco BBI, BTG Pactual, Itaú BBA, Santander e ABC Brasil são os coordenadores da oferta.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias