Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Money Week: Armínio Fraga, ex-presidente do BC e um dos maiores gestores do país, está entre os convidados

Money Week: Armínio Fraga, ex-presidente do BC e um dos maiores gestores do país, está entre os convidados

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

20 Out 2021 às 19:00 · Última atualização: 20 Out 2021 · 3 min leitura

Redação EuQueroInvestir

20 Out 2021 às 19:00 · 3 min leitura
Última atualização: 20 Out 2021

A Money Week chega a sua quinta edição e mais uma vez traz nomes icônicos do mundo dos investimentos para evento online e gratuito.

Entre os dias 25 e 29 de outubro, mais de 50 convidados vão falar e tirar dúvidas sobre o cenário econômico atual, balanceamento de carteira, educação financeira, renda fixa, e diversos outros temas.

Dentre os convidados já confirmados está Armínio Fraga, sócio-fundador da Gávea Investimentos, presidente do Banco Central entre 1999 e 2003 e considerado um dos principais gestores do País.

Vamos conhecer mais sobre sua biografia? Acompanhe.

Presidente do Banco Central durante governo FHC

Carioca “da gema”, como diz a expressão popular, Armínio Fraga nasceu em julho de 1957. Formou-se em economia pela PUC-RJ. É mestre e doutor no assunto.

Não à toa, já exerceu a função de presidente do Banco Central do Brasil (durante o governo Fernando Henrique Cardoso). Em 2003, após deixar o cargo, fundou a Gávea Investimentos. A gestora é focada em fundos multimercados e fundos de Private Equity.

A empresa conseguiu tanto destaque no cenário nacional que, em 2010, teve seu controle acionário comprado pelo grupo JPMorgan Chase. Ou seja, por um dos maiores bancos de investimento dos Estados Unidos. Fraga, no entanto, segue como grande responsável pelas decisões e pela execução do empreendimento.

O início de Armínio Fraga

Pouco depois de se tornar mestre em economia, em 1981, Fraga passou quase dois anos nos EUA. Para aprimorar seus conhecimentos em uma espécie de estágio no Federal Reserve, o Fed, banco central americano.

Paralelamente, fechou seu doutorado em Princeton e, nas décadas de 1980 e 1990, se alternou entre o Brasil e os EUA. Ele lecionava na Fundação Getulio Vargas. Foi também professor da PUC-Rio, da SIPA-Columbia (Nova York) e da Wharton School (Pensilvânia).

“Pé” nos Estados Unidos

De tanto se dividir entre Brasil e Estados Unidos, Armínio Fraga chegou a ficar com um “pé” mais fincado em território norte-americano em 1993. Tudo por conta da vitoriosa parceria formada com o megainvestidor George Soros, do Soros Fund Managementt LLC.

Diretor-geral do poderoso conglomerado, Fraga alcançou, em seis anos de trabalho, o posto de conselheiro-chefe da Quantum Group of Funds. Esse setor era o responsável pelo mapeamento e pelo investimento nos países emergentes.

A volta de Armínio Fraga

Fraga ficou nos EUA até 1999, quando retornou ao Brasil. O motivo da volta ao país, no entanto, não foi por conta de problemas no trabalho à frente do Soros Fund Management. Muito pelo contrário.

Armínio Fraga retornou a convite do então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso. Para assumir a presidência do Banco Central do Brasil.

À frente do BC, Fraga fez um trabalho que rendeu elogios e, claro, também críticas da oposição política. Fraga foi considerado, inclusive, um dos 100 brasileiros mais influentes e o Economista do Ano de 1999, pela Ordem dos Economistas do Brasil (OEB).

Fraga e a Gávea Investimentos

Fundada em 2003 por Armínio Fraga e Luiz Henrique Fraga, a Gávea Investimentos se define como “uma gestora de recursos independente, com foco em mercados emergentes”. E que conta com duas principais áreas de negócios: fundos multimercados e fundos de Private Equity.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias