Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
IPO da Agribrasil: empresa quer aproveitar o bom momento do agronegócio

IPO da Agribrasil: empresa quer aproveitar o bom momento do agronegócio

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

28 Jul 2021 às 13:48 · Última atualização: 28 Jul 2021 · 8 min leitura

Redação EuQueroInvestir

28 Jul 2021 às 13:48 · 8 min leitura
Última atualização: 28 Jul 2021

Agribrasil

A Agribrasil, exportadora de grãos com sede em São Paulo, está na lista de IPOs (Ofertas Públicas Iniciais) e deve estrear na B3 em agosto.

A principal missão da empresa é atuar como uma plataforma nacional independente, conectando o produtor de grãos ao comprador global, gerindo todo o processo de comercialização, incluindo a logística e riscos associados.

Com os recursos do IPO, a companhia informou em seu prospecto preliminar que pretende investir na expansão das atividades, realizar aquisições, otimizar a estrutura de capital e promover modernização tecnológica.

Vamos conhecer melhor a empresa?

Histórico da Agribrasil

Fundada por Frederico Humberg em julho de 2013, a Agribrasil é uma companhia brasileira com capital 100% nacional atuante principalmente na exportação de grãos. Humberg é ex-CEO da Gavilon do Brasil.

A empresa foi mantida totalmente não operacional até meados de 2016, quando se iniciaram os processos pré-operacionais, que perduraram até o início de suas atividades em janeiro de 2017.

Hoje a companhia é sediada na cidade e Estado de São Paulo, e possui filiais nos seguintes estados brasileiros: Mato Grosso, Paraná, Bahia, Pará, Goiás e Rio Grande do Sul.

As atividades da Agribrasil consistem na aquisição de milho e soja, transgênicos e não transgênicos, diretamente de grandes produtores, fazendeiros, cooperativas e revendas localizados no interior do Brasil.

A empresa atua na aquisição, na logística do transporte desses grãos e entrega dos mesmos no destino final, seja vendendo no mercado interno brasileiro ou exportando para mais de quinze países.

A presença geográfica da Agribrasil é essencial para proporcionar eficiências em suas operações. Além da presença regional nos quatro principais estados produtores: MT, PR, RS e GO, a Agribrasil possui filiais no PA e BA, importantes centros de produção nas regiões Norte e Nordeste.

As operações de compra e logística se concentram no Brasil, mas a companhia possui uma subsidiária na Suíça, que viabiliza as vendas diretas no mercado global, facilitando as negociações com compradores mundiais.

Agribrasil

Modelo de negócios da Agribrasil

A originação dos grãos utilizados nas operações da companhia é realizada no interior do Brasil, principalmente nos estados do Mato Grosso e Paraná.

Uma equipe de campo faz a primeira análise do produto, e de sua respectiva área de plantio, certificando-se da sustentabilidade e qualidade dos grãos – do cultivo à colheita. Desde julho de 2020, a companhia acompanha a área de plantio, via satélite.

Adicionalmente, o produtor de grãos assina contrato responsabilizando-se legalmente pela origem do produto. As vendas destinam-se tanto ao mercado interno, para consumo animal, como à exportação, visando atender consumidores e distribuidores em diversos continentes, com foco na Ásia e Europa e no Oriente Médio.

Para buscar resultados positivos na compra e transporte de grãos em um país com as dimensões geográficas do Brasil a Agribrasil acredita ser necessário que ocorra um equilíbrio entre a eficiência e, também, a sustentabilidade.

A empresa atua em um sistema multimodal, que permite o alcance de produtores pelo Brasil e movimentou mais de 80% dos grãos por modais hidros e ferroviários em 2020. O transporte rodoviário é necessário, em alguns trechos e situações, mas enquanto o transporte rodoviário representa 65% da matriz de grãos no Brasil, na companhia ele ocupou menos de 20% do total e emite quase cinco vezes menos gás carbônico por tonelada transportada do que um caminhão.

Estratégias de expansão

A Agribrasil pretende continuar expandindo suas operações, amparados pela tendência de crescimento do agronegócio no Brasil e a demanda por grãos no mundo inteiro para as mais diversas finalidades.

A estratégia de expansão concentra-se tanto na originação de mais produtos e busca de novos clientes como na otimização do processo logístico, em que a empresa busca:

  • Manter e reforçar o relacionamento com operadores logísticos, empresas de transporte (incluindo ferroviário e rodiviário e terminais portuários, buscando celebrar contratos de longo prazo);
  • Aumentar a presença geográfica nos estados brasileiros (a empresa tem atualmente sete filiais localizadas estrategicamente no Brasil);
  • Investir em ativos logísticos (como terminais portuários) em locais estratégicos e carentes de terminais operados por terceiros não proprietários das mercadorias, tudo de forma a tornar o processo de logística mais eficiente e gerar sinergias para as operações.

Como reflexo desse crescimento e visando o aprimoramento das práticas de governança corporativa, a companhia alterou a sua natureza societária de sociedade limitada para sociedade anônima em maio de 2020, estabelecendo um Conselho de Administração e incluindo um Conselheiro Independente.

Contexto do mercado agro

O Brasil figura entre os três maiores produtores e exportadores de milho e já é o maior produtor e exportador de soja mundial.

Assim, a empresa busca acompanhar a evolução da produção mundial de grãos desde sua fundação. A Agribrasil vem crescendo, aumentando o volume de grãos comercializados ao longo dos anos.

O volume de toneladas foi de 82,3 mil (41,2 mil de milho e 41,2 mil de soja), 169,2 mil (83,5 mil de milho e 85,7 mil de soja) em 2018, 522,4 mil (485,1 mil de milho e 37,3 mil de soja) em 2019 e 1.146,8 mil (818,7 mil de milho e 328,1 mil de soja) em 2020.

O PIB do agronegócio cresceu 2,06% em dezembro e fechou o ano de 2020 com uma expansão recorde de 24,31%, na comparação com 2019.

Com o resultado, o agronegócio ampliou para 26,6% sua participação no PIB total do país no ano passado. Em 2019, este percentual foi de 20,5%.

E a Agribrasil quer aproveitar este bom momento.

Todos os segmentos da cadeia produtiva do agronegócio brasileiro no geral tiveram alta em 2020, com destaque para o setor primário (56,59%), composto por produtores rurais, agricultores e pecuaristas.

Apesar desta representatividade, segundo os critérios setoriais da B3, em 15 de junho de 2021, apenas 2,6% pertencem à agricultura, açúcar e álcool, carnes e derivados, ao considerarmos o valor de mercado destas empresas em relação a todas as empresas listadas na B3.

Nesse contexto, a produção mundial de grãos vem crescendo e essa tendência deve continuar nos próximos anos. Segundo o Banco Mundial e o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) o mundo vai precisar cada vez de mais grãos.

Essa demanda será impulsionada, principalmente, pelo crescimento da população, demografia mundial em transformação e destinos alternativos do uso de grãos.

Dados econômico-financeiros

A Agribrasil reportou prejuízo de R$ 2,2 milhões no exercício social encerrado em 2018. Depois um lucro de R$ 2,1 milhões em 2019, e lucro de R$ 25 milhões ao fim de 2020.

Assim, o Ebitda também passou de negativos – R$ 1,1 milhão (2018) para positivos R$ 10,3 milhões (2019) e R$ 50 milhões (2020). A margem Ebitda ficou em 3,7% em 2020.

A receita da empresa cresceu de R$ 155 milhões em 2018 para R$ 386 milhões em 2019 e R$ 1,3 bilhão no ano passado.

Agribrasil

Vantagens competitivas

  • Foco na Originação e Busca de Grãos (Soja e Milho);
  • Flexibilidade no atendimento;
  • Administração e padrões de governança;
  • A Estratégia de Crescimento.

Principais fatores de risco

  • A atividade da Agribrasil apresenta riscos operacionais relevantes que se materializados podem resultar na paralisação parcial de suas atividades e impactar adversamente os seus resultados e condições financeiras.
  • Interrupção ou inadimplemento no fornecimento ou insolvência por parte dos fornecedores da companhia poderá fazer com que a empresa tenha que adquirir no mercado, com maior preço, o mesmo volume de mercadoria para cumprir com as obrigações com seus clientes, o que pode afetar adversamente seus resultados operacionais e sua situação financeira.
  • O crescimento futuro da Agribrasil poderá exigir o aporte de recursos adicionais, que poderão não estar disponíveis ou, caso disponíveis, poderão não ser em condições satisfatórias. Uma das opções para obtenção de capital adicional é por meio da emissão de valores mobiliários, podendo resultar na diluição da participação do acionista em seu capital social.
  • A estratégia de gestão de riscos poderá não ser eficaz.
  • Falhas nos sistemas, políticas e procedimentos de gestão de riscos e relatórios internos poderão expor a companhia a riscos, o que poderia afetar adversamente seus negócios.

Sobre o IPO da Agribrasil

O pedido de IPO foi feito pela Agribrasil à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em junho deste ano. E a estreia está prevista para 13 de agosto.

O período de reserva para participar do IPO vai até 10 de agosto. No dia 11 se encerra o procedimento de precificação da ação – bookbuilding.

O IPO é coordenado por ModalMais e BB Investimentos.

A empresa já definiu seu ticker: GRAO3.

O intervalo de preço por ação está entre R$ 7,70 a R$ 10,06.  Assim, caso saia pelo maior valor, a Agribrasil pode movimentar R$ 352,7 milhões.

As ofertas serão primária (quando a companhia destina os recursos para o caixa) e secundária (quando os acionistas vendem parte de suas ações).

Serão emitidas 25.974.026 novas ações na oferta primária e 9.090.909 ações de acionistas vendedores. Ou seja, mais de R$ 260 milhões podem ir para o caixa da companhia.

O fundador da Agribrasil, Frederico Humberg, pode embolsar pouco mais de R$ 90 milhões.

Há a possibilidade ainda de lotes suplementar e adicional.

A companhia pretende utilizar os recursos líquidos provenientes da oferta primária para (i) investir na expansão das nossas atividades, por meio de aquisições de sociedades ou ativos na América do Sul, nos segmentos de logística, transporte e processamento de grãos; (ii) otimização da estrutura de capital da Agribrasil; e (iii) investimentos contínuos em modernização tecnológica, como digitalização de processos e atividades.

newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias