Economia
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Inflação pelo IPC-S não registrou variação e acumula alta de 5,11% nos últimos 12 meses

Inflação pelo IPC-S não registrou variação e acumula alta de 5,11% nos últimos 12 meses

Osni Alves

Osni Alves

23 Set 2022 às 08:26 · Última atualização: 23 Set 2022 · 4 min leitura

Osni Alves

23 Set 2022 às 08:26 · 4 min leitura
Última atualização: 23 Set 2022

Imagem mostra a cidade de Curitiba.

A inflação pelo IPC-S não registrou variação e acumula alta de 5,11% nos últimos 12 meses, segundo levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Os dados foram divulgados na manhã desta sexta-feira (23) e diz respeito ao Índice de Preços ao Consumidor – Semanal, mais especificamente à leitura da terceira quadrissemana de setembro de 2022.

Nesta apuração, seis das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição para o resultado do IPC-S partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação cuja taxa de variação passou de 5,48%, na segunda quadrissemana de setembro de 2022 para 4,94% na terceira quadrissemana de setembro de 2022. Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item passagem aérea, cujo preço variou 26,94%, ante 30,04% na edição anterior do IPC-S.

Também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Transportes (-2,79% para -2,92%), Alimentação (-0,21% para -0,28%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,76% para 0,66%), Despesas Diversas (0,14% para 0,07%) e Vestuário (0,52% para 0,42%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: etanol (-10,15% para -12,45%), laticínios (-2,47% para -3,94%), artigos de higiene e cuidado pessoal (1,47% para 1,01%), cigarros (1,19% para 0,79%) e roupas femininas (0,94% para 0,28%).

Tabela mostra a evolução do IPC-S, da FGV.

Inflação pelo IPC-S

Em contrapartida, elencou a FGV, os grupos Comunicação (-0,66% para -0,46%) e Habitação (0,16% para 0,23%) apresentaram avanço em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale citar os itens: tarifa de telefone residencial (-3,10% para -1,69%) e tarifa de eletricidade residencial (-1,21% para -0,72%).

A próxima apuração do IPC-S, com dados coletados até o dia 30.09.2022 será divulgado no dia 03.10.2022.

A tabela mostra a evolução da inflação pelo IPC-S, da FGV.

Inflação pelo Focus

O Boletim Focus do banco Central (BC), divulgado dia 19, projeta inflação menor em 2022, e juros estáveis neste e no próximo ano.

O Focus é um compilado da opinião de economistas consultados pela autoridade monetária e o objetivo é acompanhar os possíveis cenários para a economia brasileira.

Em relação ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador atrelado à inflação, para 2022 este recuará de 6,40% para 6,00%.

Já o IPCA de 2023 recuará de 5,17% para 5,01%, enquanto o de 2024 avançará de 3,47% para 3,50%, conforme o levantamento.

Em se tratando dos juros da economia brasileira, o Focus projeta que a Selic de 2022 permaneça em 13,75%, e a de 2023 permaneça em 11,25%. Ou seja, estabilidade em ambos os cenários.

O Produto Interno Bruto (PIB), por sua vez, avançará de 2,39% para 2,65% em 2022 e permanecerá estável em 0,50% em 2023, conforme levantamento anterior. Por fim, o câmbio para 2022 permanecerá em R$ 5,20, e o câmbio de 2023 também permanecerá em R$ 5,20.

  • Quer saber mais sobre a inflação pelo IPC-S e aprender a investir em ativos de proteção? Clique aqui!
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias