Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
Dólar sobe 0,63% e volta a ultrapassar R$ 5 durante o dia

Dólar sobe 0,63% e volta a ultrapassar R$ 5 durante o dia

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

30 Jun 2021 às 20:01 · Última atualização: 30 Jun 2021 · 4 min leitura

Redação EuQueroInvestir

30 Jun 2021 às 20:01 · 4 min leitura
Última atualização: 30 Jun 2021

preço ao produtor, dólar

O dólar voltou a subir neste último dia do primeiro semestre de 2021. A quarta-feira (30) viu a moeda ganhar 0,63%, voltando a ultrapassar a marca dos R$ 5 no intradiário (máxima de R$ 5,0227), mas encerrando com R$ 4,9732.

Os investidores colocaram na balança as mesmas preocupações que vêm permeando a semana, mas pegou as agitação política que encurrala o governo federal na questão da compra da vacina Covaxin e, agora, a denúncia de que o Ministério da Saúde pediu US$ 1 para cada dose de vacina que seria comprada do consórcio Universidade de Oxford e AstraZeneca. Corrupção pura e simples.

Nos Estados Unidos, o resultado prévio do Payroll deu um certo alívio ao mercado internacional.

  • segunda-feira (28): -0,19% a R$ 4,9283
  • terça-feira (29): +0,28% a R$ 4,9419
  • quarta-feira (30): +0,63% a R$ 4,9732
  • semana : +0,72% a R$ 4,9732

Prévia do Payroll

A pesquisa ADP, considerada uma prévia do payroll americano, mas que não contabiliza os cargos públicos, apontou aumento de 692 mil vagas em junho, acima dos 550 mil estimados pela Dow Jones; mas ficou abaixo de maio, com 886 mil postos (revisados dos 978 mil anunciados anteriormente).

Os pequenos negócios (de 1 a 49 empregados) responderam por 215 mil novas vagas. Os médios (com até 499 empregados), 236 mil. E as grandes empresas, com mais de 500 funcionários, por 240 mil vagas.

A indústria gerou 68 mil novos postos, ao passo que o setor de serviços, 624 mil, com destaque para lazer, hospitalidade, educação e cuidados de saúde.

Entretanto, o payroll, dado oficial de emprego nos EUA, só será divulgado na sexta-feira (2).

Déficit primário no Brasil

Segundo divulgação do Banco Central hoje, o setor público brasileiro registrou déficit primário de R$ 15,5 bilhões em maio, ante déficit de R$ 131,4 bilhões em maio de 2020. A expectativa do mercado era por resultado pior: déficit de R$ 18,5 bilhões.

Com isso, o superávit primário soma R$ 60,300 bilhões no ano até maio, ou 1,76% do Produto Interno Bruto (PIB).

Houve déficit primário de R$ 20,9 bilhões no Governo Central e superávits de R$ 5,2 bilhões nos governos regionais e de R$ 134 milhões nas empresas estatais.

Nos primeiros cinco meses de 2021, o setor público consolidado registrou superávit primário de R$ 60,3 bilhões, ante déficit de R$ 214,0 bilhões no mesmo período de 2020.

Um dólar por dose

O jornal Folha de S.Paulo soltou a bomba na noite desta terça-feira (30): o diretor de logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias teria pedido a um vendedor propina de US$ 1 por dose de vacina contra a Covid-19, em troca de um contrato com o Ministério.

Luiz Paulo Dominguetti Pereira, que se apresenta como representante da empresa Davati Medical Supply, foi quem fez a denúncia. Ele já está convocado para falar na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia no Senado, sexta-feira (2). O encontro com o diretor do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, aconteceu dia 25 de fevereiro de 2021, no restaurante Vasto, no Brasília Shopping.

Segundo informa o jornal paulista, “a empresa Davati buscou a pasta para negociar 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca com uma proposta feita de US$ 3,5 por cada (depois disso passou a US$ 15,5). ‘O caminho do que aconteceu nesses bastidores com o Roberto Dias foi uma coisa muito tenebrosa, muito asquerosa’, disse Dominguetti”.

Com o dólar à época em R$ 5,53, o esquema daria R$ 2,212 bilhões aos corruptos instalados no governo federal.

Roberto Ferreira Dias foi exonerado na própria noite de terça (29).

Impacto para o mercado

O jornal Folha de S.Paulo ouviu alguns agentes do mercado financeiro sobre os abalos políticos causados pela denúncia.

“O mercado brasileiro está sendo impactado pela reforma tributária e pela CPI da Covid, que traz informações bombásticas do governo federal. Apesar da Bolsa não enxergar muito para isso, deixa o ambiente mais pesado”, disse Rodrigo Friedrich, diretor de renda variável da Renova Invest.

“A CPI ajuda a fragilizar a situação do Executivo. As propostas de reformas vindas do Executivo devem ‘custar mais caro’ politicamente, assim como sua posição política perante a sociedade fica mais fragilizada à medida que o tempo passa”, foi a análise de Dan Kawa, diretor da TAG Investimentos.

​”Obviamente, está todo mundo acompanhando esta nova descoberta. Vamos ver como isso vai se desenrolar, mas causa um pouco de pressão no mercado”, diz Vanei Nagem, responsável pela área de câmbio da Terra Investimentos.

*Com BDM e CNBC

A retomada das Criptos?
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias