Educação Financeira
arrow-bc
Notícias
arrow-bc
CSN Cimentos: conheça a empresa do Grupo CSN (CSNA3) que vai fazer IPO

CSN Cimentos: conheça a empresa do Grupo CSN (CSNA3) que vai fazer IPO

Redação EuQueroInvestir

Redação EuQueroInvestir

19 Jun 2021 às 17:00 · Última atualização: 19 Jun 2021 · 8 min leitura

Redação EuQueroInvestir

19 Jun 2021 às 17:00 · 8 min leitura
Última atualização: 19 Jun 2021

CSN Cimentos

Um dos braços da Companhia Siderúrgia Nacional (CSNA3), a CSN Cimentos quer fazer seu IPO (Oferta Pública Inicial) este ano.

O pedido foi registrado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em 17 de maio.

A CSN Cimentos é uma das cinco frentes de negócios da companhia siderúrgica. Ela opera como uma empresa independente.

Liderada por Benjamin Steinbruch, a CSN tem seguido o caminho de buscar recursos via mercado de capitais para potencializar o crescimento de suas empresas.

A história da CSN Cimentos

A CSN Cimentos é uma companhia que atua em toda a cadeia de produção do cimento no mercado brasileiro, com uma operação que atua na mineração, fabricação, comercialização e na distribuição do produto.

Embora tenha a atual configuração societária desde 31 de janeiro de 2021, a companhia atua no segmento de cimento como uma unidade de negócio do Grupo CSN desde maio de 2009, quando foi instalada sua primeira unidade, a planta de moagem em Volta Redonda/RJ, com capacidade instalada de 2,3 milhões de toneladas de cimento por ano.

A instalação da planta foi impulsionada pela sinergia existente, utilizando-se a escória produzida pelos altos-fornos da Usina Presidente Vargas, pertencente à controladora CSN, na moagem para a produção do cimento, em adição ao clínquer adquirido de terceiros.

Em 2011, entrou em operação a primeira linha de produção de clínquer no segmento de cimento em Arcos/MG, consumindo parte do calcário produzido pela mina Bocaina, dando início à estratégia de verticalização de toda a sua produção de cimentos. Estratégia essa que foi consolidada nos anos seguintes, com a inauguração em Arcos/MG de mais duas moagens de cimento (2015) e de um segundo forno de clínquer (2016), estabelecendo a configuração operacional atual e atingindo a capacidade instalada anual de 4,7 milhões de toneladas de cimento.

A estratégia da CSN Cimentos envolve, além da integração e aproveitamento dos recursos de forma sustentável, uma abordagem comercial diferenciada focada na pulverização das vendas e na eliminação de intermediários na distribuição dos seus produtos, com mais de 50% das vendas destinadas ao varejo.

Em função da localização das plantas atuais e da dinâmica do mercado de cimentos nacional, a companhia possui atuação primordialmente na região sudeste, o maior mercado produtor e consumidor de cimentos no Brasil.

Projetos para crescimento

Desde o início da sua operação em 2009, expandiu e consolidou sua marca e presença nessa região. Nos últimos anos, o negócio de cimentos do Grupo CSN vem trabalhando na busca ativa de jazidas de calcário para suportar projetos de expansão em mercados relevantes.

A partir de 2021, a companhia tem intensificado sua estratégia de consolidação nacional. Ela tem buscado expandir seu negócio para novas regiões tanto através de projetos greenfield quanto analisando potenciais aquisições estratégicas.

Considerando apenas os projetos de expansão, a companhia acredita que aumentará sua capacidade instalada de produção de cimento das atuais 4,7 milhões de toneladas para 15,9 milhões de toneladas por ano até 2028.

A companhia entende possuir uma avenida clara para se tornar uma das maiores companhias no setor de cimento do país.

Os principais ativos

A companhia é proprietária de três ativos. Confira abaixo detalhes de cada um deles.

  • Mina da Bocaina, localizada na cidade de Arcos, Estado de Minas Gerais. Fornece, desde a década de 1970, calcário (calcário calcítico) e dolomito (calcário dolomítico) para a Usina Presidente Vargas em Volta Redonda. Esses produtos são utilizados no processo de sinterização e calcinação para a produção do aço. Após a instalação das moagens de cimentos e fornos de clínquer, a mina passou também a fornecer 100% da necessidade de calcário utilizado na produção do clínquer e do cimento.
  • Ativos localizados nas unidades de Arcos (MG) e Volta Redonda (RJ). A produção de cimento ocorre nestas duas localidades. O processo se dá por meio da moagem das principais matérias-primas que incluem o clínquer, calcário, gesso e escória. A capacidade total instalada para a produção de cimento é de 4,7 milhões de toneladas por ano. São 2,4 milhões de toneladas em Arcos e 2,3 milhões de toneladas em Volta Redonda. Todo clínquer utilizado no processo é produzido na fábrica em Arcos, que possui capacidade de 2,8 milhões de toneladas/ano.
  • Jazidas de calcário que suportam o plano de expansão da CSN Cimentos. Como parte da estratégia de integração e crescimento, a companhia tem ao longo dos últimos anos adquirido direitos minerários e desenvolvido estudos de pesquisa geológica em regiões com mercados relevantes. O acesso a reservas de calcário de alta qualidade é uma das vantagens competitivas. As jazidas estão em Maruim (SE), Cerro Azul (PR), São João do Pirabas (PA) e Jaguaruana (CE).

Agenda ESG da CSN Cimentos

A unidade de negócio de cimento do Grupo CSN é uma das protagonistas na agenda ESG do grupo. Na esfera ambiental, a companhia se destaca por ecoeficiência e por se sobrepor às metas para redução de carbono.

A companhia já atingiu diversas metas de ecoeficiência estabelecidas pelo Roadmap Tecnológico do Cimento. Entre elas estão o fator de clínquer usado nas operações, consumo de eletricidade e consumo térmico.

Para 2030, a companhia possui como meta atingir ou superar todas as metas delineadas pelo Roadmap Tecnológico do Cimento para 2050.

Setor de cimentos em expansão

O setor de cimento está em um ciclo de forte recuperação desde a retomada econômica que se iniciou em 2018 e com a expectativa de um robusto crescimento para os próximos anos.

Estimativas da consultoria Brain projetam um crescimento no consumo de cimento no Brasil, no período de 2020 até 2025, de aproximadamente +6,4% a.a. considerando o cenário base e 7,3% a.a no cenário otimista.

A CSN Cimentos acredita que há um potencial de crescimento muito grande para seus negócios nos próximos anos. O efeito do aumento de participação de mercado seria ampliado pelo crescimento total esperado para o mercado nos próximos anos.

“A companhia acredita que esse cenário positivo de forte retomada do consumo refletirá em uma recuperação ainda maior dos preços, já iniciada em 2020, para os próximos anos. Nos últimos anos o preço do cimento foi depreciado em função da desaceleração econômica e retração do consumo, e ainda se encontra em patamares defasados com relação aos preços históricos do setor”, diz a empresa.

Crescimento da indústria de cimento

Números da CSN Cimentos

  • A CSN Cimentos tem uma participação no mercado de cimentos do Sudeste de 14% (até 2020). O indicador vem crescendo nos últimos anos. Foi de 8% em 2015, 6% em 2013 e 0% em 2009;
  • A carteira ativa da empresa é de 8.111 clientes em aproximadamente 860 cidades no Brasil. Para estes clientes, a companhia vendeu 4 milhões de toneladas em 2020;
  • A companhia teve um CAGR de 12% no seu número de clientes entre 2010-20. Com isso, os 10 maiores clientes representaram cerca de 13% das suas vendas em 2020;
  • A companhia possui 5 projetos de expansão, que totalizam uma capacidade adicional de 11,2 milhões de toneladas de cimento e representam um investimento de aproximadamente R$6,2 bilhões de reais. Os projetos serão desenvolvidos ao longo dos próximos anos e espera-se que todos estejam operacionais em 2028.

Cidades da CSN Cimentos

Detalhes do IPO

Preços da oferta e detalhes do cronograma do IPO ainda não foram divulgados pela CSN Cimentos.

Mas já foi definido que a oferta será apenas primária. Ou seja, todo o valor arrecadado com o IPO irá para o caixa da empresa.

Foi submetido o pedido de adesão da CSN Cimentos ao segmento especial de listagem do Nível 2 da B3 (B3SA3).

A oferta é coordenada por BTG Pactual, Citi, Banco Safra e XP Investment.

A empresa afirma que usará os recursos para a “execução de seus projetos de expansão”.

Na assembleia geral da companhia realizada em 14 de maio de 2021, foi aprovado o grupamento da totalidade das ações ordinárias de emissão da CSN Cimentos, na proporção de 5,9121891821:1. Assim, o capital social da companhia passou a ser representado por 333.333.333 ações ordinárias.

Dados econômico-financeiros

A receita líquida no 1TRI21 totalizou R$184 milhões. O indicador foi impulsionado por um volume de vendas de 1,3 milhão de toneladas e preço médio de R$240,60/to.

O resultado financeiro no 1TRI21 foi negativo em R$3,2 milhões. Basicamente decorrente de ajuste a valor presente de provisões de longo prazo, tais como a provisão para desmobilização de ativos.

No 1TRI21, a CSN Cimentos registrou lucro líquido de R$31 milhões.

O Ebitda ajustado foi de R$ 68,7 milhões.

A receita líquida da companhia aumentou 50,3%, ou R$287,4 milhões, de R$570,8 milhões, em 2019, para R$858,2 milhões em 2020. Esse desempenho decorreu devido ao aumento de 12,7% nos preços médios praticados e aumento no volume de vendas.

O lucro da companhia aumentou 152,5% entre 2019 e 2020. Assim, saiu de um prejuízo de R$186,8 milhões, em 2019, para lucro de R$ 96,2 milhões, em 2020.

Principais fatores de risco da CSN Cimentos

  • O setor cimenteiro possui natureza cíclica e variações na oferta e demanda podem afetar negativamente as companhias do setor;
  • Equipamentos com defeitos ou acidentes nas instalações da CSN Cimentos, podem diminuir ou interromper a produção, a logística interna ou a distribuição de seus produtos e/ou afetar adversamente seu negócio;
  • Potenciais responsabilidades ambientais e potenciais custos relacionados ao cumprimento da legislação ambiental poderão afetar adversamente a companhia;
  • Os projetos estão sujeitos a riscos que podem resultar em maiores custos e/ou atrasos, bem como impedir sua implementação bem-sucedida;
  • A companhia pode enfrentar situações de conflito de interesses nas operações com partes relacionadas.
newsletter
Receba informações exclusivas em seu email

Últimas notícias